< Portugiesische Sprichwörter >

Quem o alheio mal não sente, ninguém terá que o seu lamente.

Quem o alheio não sente, não tem quem o lamente.

Quem o alheio veste na praça o despe.

Quem o alheio veste, na praça o despe.

Quem o asno gaba, tal filho lhe nasça.

Quem o bem fizer, para si é.

Quem o come em chibo, não o come em bode.

Quem o coração quer vingar, sua casa vê prear.

Quem o demo toma uma vez, sempre lhe fica um jeito.

Quem o demo tomou uma vez, sempre lhe fica um jeito.

Quem o é, logo o mostra.

Quem o feio ama, bonito lhe parece.

Quem o feio ama, é porque vê mal como o .

Quem o feio ama, é porque vê mal.

Quem o feio ama, formoso lhe parece.

Quem o fez, o pague.

Quem o fez, que o pague.

Quem o filho beija, adoça a boca do pai.

Quem o foi, sempre será.

Quem o gosta, o louve, e quem não o gosta, o mofe.

Quem o herda, não o furta.

Quem o inimigo poupa, às mãos lhe morre.

Quem o inimigo poupa, nas mãos lhe morre.

Quem o mal deseja a seu vizinho, vem o seu pelo caminho.

Quem o mal procura, o mal encontra.

Quem o mel trata, sempre se lhe pega.

Quem o meu filho beija, minha boca adoça.

Quem o ouve, não o leva preso.

Quem o ouvir, não o leva preso.

Quem o pássaro quer tomar, não o há de enxotar.

Quem o pouco não agradece, o muito não merece.

Quem o rabo corta, por detrás se descobre.

Quem o seu cão quer matar chama-lhe raivoso.

Quem o seu cão quer matar, de raiva lhe põe o nome.

Quem o seu cão quer matar, raiva lhe põe nome.

Quem o seu dá, bem o vende, se dá a quem entende.

Quem o seu descuida, o diabo lho leva.

Quem o seu inimigo pouca, nas mãos lhe morre.

Quem o seu inimigo poupa, fica sem roupa.

Quem o tempo sabe poupar, muito vem a ganhar.

Quem obra mal, detesta a luz.

Quem ofende, não perdoa.

Quem oferece, não empobrece.

Quem oferece, não quer dar, e quem diz que quer, não tem vergonha.

Quem oferece, não quer dar.

Quem olha a milho não bota pitos.

Quem olha com desagrado, a tudo acha defeito, conforme a paixão do peito.

Quem os defeitos alheios quiser censurar, olhando os próprios, calará.

Quem os fez que os ature.

Quem ostenta a bolsa, quer perdê-la.

Quem outrem serve, não é livre.

Quem ouve conselhos, não chega a velho.

Quem ovelha se faz, o lobo o come.

Quem ovelhas cria, tolo é se não as tosquia.

Quem ovos vende e galinhas não tem, de algum lado eles vêm.

Quem paga a mula, receberá coices.

Quem paga adiantado é mal servido.

Quem paga adiantado, é mal servido.

Quem paga adiantado, é sempre mal servido.

Quem paga bem, paga menos.

Quem paga dívida, faz cabedal.

Quem paga dívidas, aumenta fortuna.

Quem paga dívidas, enriquece.

Quem paga dívidas, faz cabedal.

Quem paga logo, paga menos.

Quem paga mal, paga duas vezes.

Quem paga o que deve sabe o que lhe fica.

Quem paga o que deve, aumenta o que é seu.

Quem paga o que deve, sabe o que lhe fica.

Quem paga o que recebeu, o que lhe fica, é seu.

Quem paga suas dívidas, sua fortuna aumenta.

Quem paga tarde, paga duas vezes.

Quem paga, comanda.

Quem paga, não deve, e quem deve, não embolsa.

Quem palavras em si não retém, sempre lhe dizem que mais siso tem.

Quem pão e vinho compra, mostra a bolsa.

Quem para adiante não olha, atrás fica.

Quem para o bem não presta, para o mal remedeia.

Quem para os outros abre buraco, nele cai.

Quem para si junta, para os outros poupa.

Quem para si não sabe, nada sabe.

Quem para si não sabe, não ponha escola.

Quem para tudo presta, de nada vale.

Quem pariu a cria, lhe acha graça na baba.

Quem pariu Mateus que o embale.

Quem pariu Mateus, que o embalance.

Quem pariu Mateus, que o embale.

Quem pariu o filho, que lhe ache graça da baba.

Quem parte e reparte e não fica com a maior parte, ou é tolo, ou não tem arte.

Quem parte e reparte e não fica com a melhor parte, ou é tolo ou não tem arte.

Quem parte e reparte e não fica com a melhor parte, ou é tolo ou no repartir não tem arte.

Quem parte e reparte e não fica com a melhor parte, ou é tolo, ou não tem arte.

Quem parte e reparte, fica com a melhor parte.

Quem parte os vidros, que os pague.

Quem parte velho paga novo.

Quem parte velho, paga novo.

Quem parte, não baralha.

Quem parte, pensa em bagagens; quem chega, quer tomar banho.

Quem partiu, pagou.

Quem passa pela ermida sem rezar um padre-nosso?.

Quem passa pelo cabo Não, voltará ou não.

Quem passarinhos receia, milho não semeia.

Quem pássaro há de tomar, não o há de enxotar.

Quem passou o inverno nu, passa o verão, que é mais quente.

Quem pede a vilão, cansa-se em vão.

Quem pede com fortaleza, no dar sente fraqueza.

Quem pede emprestado, umas vezes se faz ruivo, outras descorado.

Quem pede para a candeia, nunca se deita sem ceia.

Quem pede uma coisa, compra-a pelo preço mais caro.

Quem pede, tem precisão.

Quem pede, vende-se, e quem dá, compra.

Quem pedra para cima deita, cai-lhe na cabeça.

Quem pega peso de graça, é balança.

Quem pela hera passou e uma folhinha não cortou, de seu amor não se lembrou.

Quem pelo alecrim passou e dele não colheu, ou nunca teve amores, ou deles se esqueceu.

Quem pelo alecrim passou e um raminho não apanhou, do seu amor não se lembrou.

Quem pensa muito, não casa.

Quem pensa, não casa, e quem casa, não pensa.

Quem pensa, não casa, nem faz casa.

Quem pensa, não casa.

Quem pensa, não casa; quem casa, não pensa.

Quem pensa, não dorme.

Quem pequena herdade tem, aos passos a mede.

Quem perde a honra pelo negócio, perde a honra e o negócio.

Quem perde a honra pelo negócio, perde o negócio e a honra.

Quem perde a honra pelo negócio, perde o negócio e mais a honra.

Quem perde a mulher, perde muito, quem perde dinheiro, perde muito mais.

Quem perde a riqueza, perde muito; quem perde um amigo, perde mais; quem perde a alegria, perde tudo.

Quem perde a riqueza, perde muito; quem perde um amigo, perde mais; quem perde o juízo, perde tudo.

Quem perde a vergonha, não tem mais que perder.

Quem perde a vontade, perde tudo.

Quem perde o dia, não perde o ano.

Quem perde o mês, não perde o ano.

Quem perde o penico, não perde a tampa.

Quem perde só o dinheiro, não se perde por inteiro.

Quem perfuma o porco, perde o cheiro e o juízo.

Quem pergunta quer saber.

Quem pergunta, mal não faz, se a pergunta não é néscia.

Quem pergunta, não erra, se a pergunta não é néscia.

Quem pergunta, quer saber.

Quem pés não tem, coices não promete.

Quem pés tem, coices promete.

Quem pesca um peixe, pescador é.

Quem planta cebolas, não lhes sente o cheiro.

Quem planta e cria, tem alegria.

Quem planta no S. Miguel (29.9), vai à horta quando quer.

Quem planta, colhe.

Quem pobreza tem, dos parentes é desdém.

Quem pode e não quer, quando quer, não pode.

Quem pode manda e quem não pode, faz.

Quem pode nadar e quer voar, tempo virá em que nem nade nem voe.

Quem pode o mais pode o menos.

Quem pode o mais, pode o menos.

Quem pode ser livre, não se cative, e quem pode ser todo seu, em ser de outro é sandeu.

Quem pode ser livre, não se cative.

Quem pode ser seu, em ser de outro é sandeu.

Quem pode ser seu, não se cative.

Quem pode ser seu, sendo de outro, é sandeu.

Quem pode ser todo seu, em ser doutrem é sandeu.

Quem pode, carrega e sai; quem não pode, carrega e cai.

Quem pode, luta; quem não pode, escuta.

Quem pode, pode.

Quem pode, pode; quem não pode, se sacode.

Quem põe a mesa, põe a negra.

Quem por cobiça veio a ser rico, corre mais perigo.

Quem por cobiça vem a ser rico, corre mais perigo.

Quem por fresta espreita, seus males aventa.

Quem por gosto navega, não deve temer a água.

Quem por greta espreita, seus doilos vê.

Quem por ladeira arriba corre, por sua vontade morre.

Quem por morte alheia espera, a sua lhe chega primeiro.

Quem por rodeios fala, com arte anda.

Quem por si me julga, não me ofende.

Quem por si mesmo se rege, obedece a um tolo.

Quem por trabalhos não passa, bem pouco sente os alheios.

Quem porá o guizo no gato?.

Quem porcos busca, a cada moita lhe grunhem.

Quem porfia mata a caça.

Quem porfia mata caça.

Quem porfia sem saber, vira-lhe as costas e manda-o beber.

Quem porfia sempre alcança.

Quem porfia, mata caça.

Quem porfia, mata veado, que nem besteiro cansado.

Quem porfia, sempre alcança.

Quem pouco ganha e muito gasta, se não herdou, furtou.

Quem pouco sabe, asinha o reza.

Quem pouco sabe, depressa o reza.

Quem pouco sabe, pouco tem.

Quem pouco tem e isso dá, cedo se arrependerá.

Quem pouco tem, na cama o tem.

Quem pouco tem, pouco lhe basta.

Quem pouco tem, pouco teme.

Quem poupa na cozinha, aumenta sua casinha.

Quem poupa o mau, prejudica o bom.

Quem poupa o que tem, não mendiga o de ninguém.

Quem poupa seu mouro, poupa seu ouro.

Quem precisa de candeia, que traga azeite.

Quem precisa, é quem se estira.

Quem prega sermão a burro e lava cabeça de negro com sabão, perde o sermão e o sabão.

Quem prego não tira, pendura mais asinha.

Quem presume na cozinha, não vai à rua com a vizinha.

Quem primeiro achar remédio, ajude o parceiro.

Quem primeiro anda, primeiro apanha.

Quem primeiro anda, primeiro ganha.

Quem primeiro anda, primeiro manja.

Quem primeiro chega, primeiro é servido.

Quem primeiro nasce, primeiro chora.

Quem primeiro se levanta, primeiro se calça.

Quem primeiro se queixa foi quem atirou a ameixa.

Quem primeiro se queixa, é o que larga a ameixa.

Quem primeiro se queixa, foi quem atirou a ameixa.

Quem primeiro vai à barca, primeiro se passa.

Quem primeiro vai à fonte, primeiro enche a cântara.

Quem primeiro vem, primeiro é servido.

Quem primeiro vem, primeiro mói.

Quem prmetena quarta e vem na quinta não é falta que sinta.

Quem procede bem, não teme ninguém.

Quem procura agradar a todos, não agrada a ninguém.

Quem procura aventuras, nem sempre as encontra boas.

Quem procura casamento, procura arrependimento.

Quem procura e acha, não perde o seu tempo.

Quem procura elevar-se mentindo, vai em outras mentiras caindo.

Quem procura pimenta, tem com que a comer; quem procura limão, terá ou não.

Quem procura sempre acha, se não um prego, uma tacha.

Quem procura trabalho, é porque é trabalhador.

Quem procura trabalho, tem comida no borralho.

Quem procura, acaba achando.

Quem procura, acha.

Quem procura, sempre acha, se não é um prego, é uma tacha.

Quem procura, sempre acha.

Quem procura, sempre alcança.

Quem promete à quarta e vem à quinta, não faz falta que se sinta.

Quem promete com pressa, arrepende-se com vagar.

Quem promete deve.

Quem promete, cumpre.

Quem promete, deve.

Quem promete, em dívida se mete.

Quem promete, não cumpre.

Quem protesta, perde.

Quem prova demais, não prova nada.

Quem puxa a carroça é que sabe o que ela pesa.

Quem puxa a carroça é que sabe quanto ela pesa.

Quem puxa aos seus não degenera.

Quem quebra os copos, os paga.

Quem quebra os copos, os pague.

Quem quebrou, pague.

Quem queira durar, aprenda a suportar.

Quem quer a bolota, atrepa!.

Quem quer a bolota, que trepe.

Quem quer a moça, anda do pé e puxa da bolsa.

Quem quer a rosa, agüente o espinho.

Quem quer a sardinha assada, chega-lhe a brasa.

Quem quer aprender a rezar, que entre no mar.

Quem quer bater, não lhe falta pau.

Quem quer bem, dá abraços.

Quem quer bem, de longe se faz perto.

Quem quer bem, sempre se encontra.

Quem quer bolota, que trepe.

Quem quer bom cão de caça procuralhe a raça.

Quem quer bulir com a moça, bole com o pé e com a bolsa.

Quem quer caça, vai à praça.

Quem quer caçar, não diz "xô!".

Quem quer cão, tenha pão.

Quem quer casar, sempre casou, se não é com quem quer, é com quem achou.

Quem quer cavalo sem tacha, a pé se acha.

Quem quer cavalo sem tacha, anda a pé.

Quem quer cavalo sem tacha, sem ele se acha.

Quem quer chegar mui depressa, arrisca-se a ficar manco.

Quem quer chegar muito depressa, arrisca-se a ficar manco.

Quem quer coisas de graça, vai ao diabo que lhe faça.

Quem quer comer o peixe tem que molhar o cu no rio.

Quem quer comer pela festa, sua pela testa.

Quem quer contas, quer clareza.

Quem quer dormir, paga a guarda.

Quem quer dormir, paga à guarda.

Quem quer enganar o rei, paga-lhe os seus direitos.

Quem quer enricar em um ano, em seis meses o enforcam.

Quem quer faz, quem não quer manda.

Quem quer festa, sua-lhe a testa.

Quem quer fogo, busque a lenha.

Quem quer ganhar a moça, anda do pé e joga da bolsa.

Quem quer mais do que lhe convém, perde o que quer e o que tem.

Quem quer mais do que tem, a mal vem.

Quem quer mal cear, à noite o vá buscar.

Quem quer muito, traz de casa.

Quem quer o filho ladrão, tira-lhe o pão.

Quem quer o fim, quer os meios.

Quem quer o que não convém, perde o que quer e o que tem.

Quem quer os fins, quer os meios.

Quem quer passar bem, traz de casa.

Quem quer pegar galinha, não diz "xô!".

Quem quer pegar galinha, não faz "xô!".

Quem quer pescar, há de se molhar.

Quem quer que é, a seu pai parece.

Quem quer que lhe obedeçam muito, mande pouco.

Quem quer rir-se, compra macacos.

Quem quer sardinha assada, chega-lhe a brasa.

Quem quer ser gordo, gordão, come pão de milhão.

Quem quer ser grande, nasce viçoso.

Quem quer ser mais do que é, fica pior do que está.

Quem quer ser rico em um ano, aos seis meses o enforcam.

Quem quer só o que pode, pode tudo quanto quer.

Quem quer subir, se abaixa.

Quem quer ter mais do que lhe convém, perde o que quer e o que tem.

Quem quer tudo, tudo perde.

Quem quer uste, que lhe custe.

Quem quer vai quem não quer manda.

Quem quer vai, quem não quer (manda/fica).

Quem quer ver o lobo, fale-lhe na pele.

Quem quer ver se a raposa dá leite é olhar-lhe prás barbas.

Quem quer ver, quer ser visto.

Quem quer vista, que lhe assista.

Quem quer viver muito às claras, pode ofuscar-se na luz.

Quem quer, faz; quem não quer, manda.

Quem quer, já fez metade.

Quem quer, vai; quem não quer, fica.

Quem quer, vai; quem não quer, manda.

Quem quer-se divertir, compra macaco.

Quem quer-se esquentar, chega para perto do fogo.

Quem quer-se fazer, não pode; quem é bom, já nasce feito.

Quem quis casar, sempre casou. Se não foi com quem quis, foi com quem calhou.

Quem quiser andar pouco e mal, meta-se no areal.

Quem quiser barato a caça, cace-a na praça.

Quem quiser bem cear, a sua casa o vá buscar.

Quem quiser bom conselheiro, consulte o travesseiro.

Quem quiser branquear um preto, perde o seu sabão.

Quem quiser caça, vá à praça.

Quem quiser cedo engordar, coma com fome e beba devagar.

Quem quiser colher asinha, plante devagar e sem fadiga.

Quem quiser comer arroz sem sal, vá para o hospital.

Quem quiser comer comigo, traga em que se assentar.

Quem quiser comer, depene.

Quem quiser comer, mastigue.

Quem quiser comer, migue.

Quem quiser comigo estar, traga em que se assentar.

Quem quiser conhecer o ruim, dê-lhe ofício.

Quem quiser emendar o mundo, faça-o em si.

Quem quiser ganhar, tem de aprender a suportar.

Quem quiser ir ao longe, poupe o cavalo.

Quem quiser livrar-se de lazeira, compre em casa e venda na feira.

Quem quiser mal cear, à noite o vá buscar.

Quem quiser medrar, viva em pé de serra, ou perto do mar.

Quem quiser mentir, arrede testemunhas.

Quem quiser morrer de fome e devagar, é fazer roça e não ir lá.

Quem quiser mulher formosa, ao sábado a escolha, que não domingo à boda.

Quem quiser o olho são, ate a mão.

Quem quiser pescar, há de se molhar.

Quem quiser plantar asinha, seja de espaço e não com fadiga.

Quem quiser prosperar na vida, há de ser diligente e gastar por medida.

Quem quiser que a fruta mal lhe faça, mistura-lhe massa.

Quem quiser que a fruta mal não lhe faça, misture-lhe massa.

Quem quiser que a morte o deixe, coma carne, depois, peixe.

Quem quiser que lhe obedeçam muito, mande pouco.

Quem quiser que o amigo se afaste, empreste-lhe dinheiro ou traste.

Quem quiser saber coisas vá à forja do ferreiro, dê a volta pelo forno e venha pelo fiadeiro.

Quem quiser ser bom, morra primeiro.

Quem quiser ser muito tempo velho, comece cedo a sê-lo.

Quem quiser ser muito tempo velho, comece-o a ser cedo.

Quem quiser sossego, não se meta ao rego.

Quem quiser ter olho são, não o toque com a mão.

Quem quiser uma besta ruim, compre um burro bom.

Quem quiser vencer, aprenda a sofrer.

Quem quiser ver alguém pobre, ponha-lhe os bens em cobre.

Quem quiser ver um pobre soberbo, dê-lhe a chave de um palheiro.

Quem quiser viver seguro, há de ser surdo, cego e mudo.

Quem quiser, que enfie a carapuça.

Quem quiser, que meta a carapuça.

Quem quiser, que ponha a carapuça.

Quem rabo corta, por detrás se descobre.

Quem rala, morre cedo.

Quem ralo semeia, rala leva a paveia.

Quem rapa tachos, com razão lhe chamam guloso.

Quem rapa tachos, ganha fama de guloso.

Quem regateia, quer comprar.

Quem regateia, quer pagar.

Quem repica os sinos, está de saúde.

Quem rezinga, quer comprar.

Quem ri hoje, chora amanhã.

Quem ri por ultimo ri melhor.

Quem ri por último ri melhor.

Quem ri por último, é retardado ou mongolóide.

Quem ri por último, é retardado.

Quem ri por último, não entendeu a piada.

Quem ri por último, ri melhor.

Quem roga a Deus, não pede ao diabo.

Quem roga a Deus, não serve ao diabo.

Quem rogou, não recebeu de graça.

Quem rói por trás, é rato.

Quem rouba a ladrão, tem cem anos de prisão.

Quem rouba ao jogo, queima ao fogo.

Quem rouba pouco é ladrão, quem rouba muito é barão.

Quem rouba tostão é ladrão; quem rouba milhão é barão.

Quem rouba um cesto, rouba um cento.

Quem rouba um pão, é ladrão; quem rouba um milhão, é barão.

Quem rouba um tostão, rouba um milhão.

Quem ruim é em sua terra, ruim é fora dela.

Quem ruim é, sempre o é.

Quem ruins manhas há, tarde ou nunca as perderá.

Quem s comer sua a trabalhar acua.

Quem sabe calar, evita guerrear.

Quem sabe da luta, luta, quem não sabe da luta, labuta.

Quem sabe dar, sabe tomar.

Quem sabe de luta, luta, e quem não sabe, labuta.

Quem sabe faz, quem não sabe ensina.

Quem sabe fazer negócio, não sabe o que é precisão.

Quem sabe ofício, não morre de fome.

Quem sabe procurar, sempre acha.

Quem sabe sorrir, sabe viver (Portugal-Terceira).

Quem sabe sorrir, sabe viver.

Quem sabe temer, sabe acometer.

Quem sabe, está sabendo; quem não sabe, está-se vendo.

Quem sabe, faz; quem não sabe, ensina.

Quem sabe, sabe.

Quem sabe, sabe. Quem não sabe, aprende.

Quem sabe, sabe. Quem não sabe, ensina.

Quem sai aos seus não degenera.

Quem sai aos seus não é de Genebra.

Quem sai aos seus, não degenera.

Quem sai aos seus, não é monstro.

Quem sai aos seus, não furta: herda.

Quem sai na chuva, é para se molhar.

Quem saiba e pense, vence e convence.

Quem se abaixa, faz corcunda.

Quem se abraça, também se beija.

Quem se abriga debaixo de folha, duas vezes se molha.

Quem se acaba, morre cedo.

Quem se acolhe debaixo de folha, duas vezes se molha.

Quem se acosta a toco, não espera sombra.

Quem se aflige antes, se aflige muito.

Quem se afoga, às palhas se agarra.

Quem se ajusta a São Miguel não é dono de si quando quer.

Quem se aluga no S. Miguel não se senta quando quer.

Quem se ama, sempre se encontra.

Quem se anoja na boda, perde-a toda.

Quem se aparta, deve carta.

Quem se apressa a pagar o que deve, é devedor.

Quem se apressa a pagar o que deve, é ingrato.

Quem se apressa a pagar o que deve, mais é pagador que agradecido.

Quem se apressa, logo cansa.

Quem se arrepende, salva-se.

Quem se assenta em pedra, três dias arrenega.

Quem se bem estréia, bem lhe venha.

Quem se cala e pedras apanha, tempo vem em que as derrama.

Quem se cansa, morre cedo.

Quem se carrega de nabos carrega-se de diabos.

Quem se casa por amores, maus dias e boas noites.

Quem se consome, velho fica.

Quem se corre de lhe tirarem pulga ou piolho, metam-lhe uma figa num olho.

Quem se corre de na igreja estar de pé, suspeitoso é na fé.

Quem se cura com benefes <=violetas bravas>, não vai à mão de mestres.

Quem se cura com benefes <=violetas bravas>, não viverá à mão de mestre.

Quem se cura n se regala.

Quem se deita a dormir, acaba a pedir.

Quem se deita com cães, acorda com pulgas.

Quem se deita com crianças, amanhece borrado.

Quem se deita com meninos, amanhece mijado.

Quem se deita em pipas amanhece em fontes.

Quem se deita sem ceia toda a noite esperneia.

Quem se deita sem ceia, toda a noite rabeia.

Quem se deixa adormecer nos braços da fortuna, tem muitas vezes a queda como despertadora.

Quem se desculpa em si põe a culpa.

Quem se deserda antes que morra, precisa apanhar com uma cachaporra.

Quem se detém em dar o que promete, claro está que se arrepende.

Quem se empena, sem ter pena, depois se depena e vive em pena.

Quem se encosta ao ferro, enferruja-se.

Quem se engana, aprende.

Quem se esconde bem, vive bem.

Quem se esconde pelos cantos, é vassoura.

Quem se escusa, se acusa.

Quem se esquece, come queijo.

Quem se estréia, bem lhe venha.

Quem se exalta, será humilhado.

Quem se expõe a amar, se expõe a padecer.

Quem se farta a comer, não se farta a lamber.

Quem se faz de açúcar, mela no sereno.

Quem se faz de cordeiro, o lobo o devora.

Quem se faz de mel, abelha o lambe.

Quem se faz de mel, abelhas o comem.

Quem se faz de mel, moscas o comem.

Quem se faz de mel, vespas o comem.

Quem se faz de ovelha por amor à paz, é comido pelo lobo.

Quem se faz de ovelha, o lobo o come.

Quem se faz de Redentor, sai crucificado.

Quem se faz temer, não se faz amar.

Quem se faz verme, que muito é que o pisem?.

Quem se fia em viúva rica, solteiro fica.

Quem se gaba, em algo se atreve.

Quem se gaba, suja-se que nunca mais se lava.

Quem se guardou, não errou.

Quem se lava com vinho, torna-se menino.

Quem se lava e não se enxuga, toda a pele se lhe enruga.

Quem se levanta tarde, nem ouve missa, nem toma carne.

Quem se livra dum tolo, ganhou seu dia.

Quem se mata morre cedo.

Quem se mata, morre cedo.

Quem se mata, morto fica e, se não morre, entisica.

Quem se mata, morto fica, e se não morre, entisica.

Quem se mata, morto fica.

Quem se mete a Cristo, morre na cruz.

Quem se mete a fogueteiro, é porque sabe enrolar taboca.

Quem se mete a Redentor, sai crucificado.

Quem se mete em atalhos mete-se em trabalhos.

Quem se mete em atalhos não se livra de trabalhos.

Quem se mete em atalhos, se mete em trabalhos.

Quem se mete em bulhas, sai arranhado.

Quem se mete em demanda, ganhe ou perca, vem a chorar.

Quem se mete por atalhos, não se livra de trabalhos.

Quem se mete por atalhos, nunca se livra de trabalhos.

Quem se mistura com cachorros, dorme na cinza.

Quem se mistura com porcos, farelos come.

Quem se muda deus ajuda e o diabo empurra.

Quem se muda, Deus o ajuda.

Quem se não sente de agravos, não é honrado.

Quem se não sente não é filho de boa gente.

Quem se obriga a amar, dispõe-se a padecer.

Quem se obriga a amar, obriga-se a padecer.

Quem se obriga a amar, sujeita-se a padecer.

Quem se pica, alhos come.

Quem se pica, cardos come.

Quem se pica, é que se dói.

Quem se preza de boa mulher, tudo há de olhar.

Quem se queima, alhos come.

Quem se queima, pega em brasas.

Quem se queimar, que sopre.

Quem se quer bem, não esquece.

Quem se quer bem, sempre se encontra.

Quem se quer vender, não deve ser comprado.

Quem se rala, morre cedo.

Quem se ralou, já morreu.

Quem se retira, não está fugindo.

Quem se ri dos conselhos da prudência, da sua leviandade recebe a recompensa.

Quem se senta ao lado do fuso, é tolo ou não tem uso.

Quem se senta em seu lugar, ninguém o faz levantar.

Quem se sente bem, não deve tratar de melhorar.

Quem se sentir sem culpa, atire a primeira pedra.

Quem se te encomenda, caro se vende.

Quem se trata, não se regala.

Quem se vai, não é bom para odre.

Quem se vê perdido, lança-se ao mar.

Quem se vence, vence o mundo.

Quem se veste de ruim pano, veste-se duas vezes no ano.

Quem se veste de ruim pano, veste-se duas vezes por ano.

Quem se vexa, come cru.

Quem sega e fia, ouro cria.

Quem segredos quer saber, busque-os na mesa e no prazer.

Quem segredos quiser saber, busque-os no pesar e no prazer.

Quem segue alguma coisa, ou consegue parte ou todo.

Quem segue um mocho, vai ter a ruínas.

Quem segura a enguia pelo rabo e a mulher pela palavra, pode dizer que nada segura.

Quem segura enguia pelo rabo e mulher pela palavra, nada segura.

Quem sela dianteiro, se acha mui traseiro.

Quem sem perigo vence, sem prazer triunfa.

Quem semeia abrolhos, espinhos colhe.

Quem semeia abrolhos, não ande descalço.

Quem semeia basto, gasta mais e colhe menos.

Quem semeia bom grão, terá bom pão.

Quem semeia em caminhos, cansa os bois e perde o trigo.

Quem semeia espinhos, não ande descalço.

Quem semeia ódios, colhe vinganças.

Quem semeia urzes, colhe espinhos.

Quem semeia ventos colhe tempestades.

Quem semeia ventos, colhe tempestades.

Quem semeia virtudes, colhe glórias.

Quem semeia, colhe.

Quem semeia, em Deus colhe.

Quem semeia, em Deus espera.

Quem semeia, recolhe.

Quem sempre fala dos grandes, é pequeno.

Quem sempre faz mal, poucas vezes faz bem.

Quem sempre me mente, nunca me engana.

Quem sempre mente, vergonha não sente.

Quem sempre olha derradeiro, nunca comete bom feito.

Quem sempre se recata, nunca acaba nada.

Quem sempre traz má cor, nem é médico, nem doutor.

Quem senhora é em casa, senhora é pela vida chamada.

Quem ser a dois senhores, a algum há de agravar.

Quem serve a dois senhores, a algum há de enganar.

Quem serve a moço, a mulher e ao comum, não serve a nenhum.

Quem serve a todos, não serve a ninguém.

Quem serve ao altar, dele há de viver.

Quem serve ao comum, serve a nenhum.

Quem serve bem seu país, não precisa de avós.

Quem serve bem seus pais, não precisa de avós.

Quem serve depressa, serve duas vezes.

Quem serve no paço, sempre tem embaraço.

Quem serve o altar, dele deve comer.

Quem serve o altar, dele há de viver.

Quem serve, não responde.

Quem seu amigo quer conservar, com ele não há de negociar.

Quem seu bem usurpa ao dono, não espere tranqüilo sono.

Quem seu cão quer matar, de raiva lhe põe o nome.

Quem seu cão quer perder, raiva lhe põe nome.

Quem seu carro enseba, seus bois ajuda.

Quem seu carro unta, seu boi ajuda.

Quem seu carro unta, seus bois ajuda.

Quem seu coração quer vingar, sua casa vê prear.

Quem seu inimigo assenta em seu lugar, dele se quer tirar.

Quem seu inimigo pouca, nas mão lhe morre.

Quem seu inimigo poupa, às mãos lhe morre.

Quem seu inimigo poupa, nas mãos lhe vem a cair.

Quem seu peito descobre, a si mesmo é traidor.

Quem seu rabo corta, por detrás se descobre.

Quem seu segredo guarda, muito mal escusa.

Quem sinal tem sobre os dentes, honra é de seus parentes.

Quem só brilha pelo seu ouro, depressa se apaga com seu tesouro.

Quem só consigo se aconselha, consigo se depena.

Quem só ouve uma das partes, só sabe parte da verdade.

Quem só quer o seu, não faz escarcéu.

Quem só se aconselha, só se arrepende.

Quem só se aconselha, só se depena.

Quem só uma ovelha tem, mil lobos a comem.

Quem só vê de noite, mente de dia.

Quem sobe depressa, depressa cai.

Quem sobre depressa, cai de repente.

Quem sofre de cãibra, não atravessa rio a nado.

Quem sofreu, venceu.

Quem sozinho comeu seu galo, sozinho sele seu cavalo.

Quem sua burra mal peia, nunca a veja.

Quem sua fama despreza, mesquinho é.

Quem sua geração gaba, coisa alheia louva.

Quem sua mulher gaba de bela, vive dela.

Quem sua reputação perder, tarde ou nunca a torna a ver.

Quem sua vianda vê aparelhar, farta-se antes de cear.

Quem sua vida complica, seus cuidados multiplica.

Quem suas dívidas paga, sua fortuna aumenta.

Quem tanta água há de beber, há mister comer.

Quem tarda muito em lavrar, pouco há de enceleirar.

Quem tarda, arrecada.

Quem tarda, não erra.

Quem tarda, pouco alcança.

Quem tarde anda, pouco alcança.

Quem tarde casa, mal casa.

Quem tarde chega, mal se acomoda.

Quem tarde embarca, remo torto não lhe falta.

Quem tarde endentece, tarde amadurece.

Quem tarde se levanta, todo o dia trota.

Quem tarde vier comerá do que trouxer.

Quem tarde vier, comerá do que houver.

Quem tarde vier, comerá do que trouxer.

Quem te ama, te faz chorar; quem te odeia, te faz rir.

Quem te avisa, amigo é.

Quem te avisa, teu amigo é.

Quem te castiga, te ama.

Quem te cobre que te descubra.

Quem te cobre, que te descubra.

Quem te cobre, te descobre.

Quem te conhece, te compre.

Quem te conta os defeitos dos outros, aos outros contará os teus.

Quem te dá um osso, não te quer ver morto.

Quem te ensinou a remendar? Filhos pequenos e pouco pão para lhes dar.

Quem te fala mal de outra pessoa, falará mal de ti também.

Quem te faz festa, não a sabendo fazer, ou te quer enganar, ou te há mister.

Quem te faz festa, não a soendo fazer, ou te quer enganar, ou te há mister.

Quem te faz festa, não costumando fazer, ou te quer enganar, ou te há mister.

Quem te fez alcaide? A falta de bens.

Quem te fez alveitar? O mal dos meus burrinhos.

Quem te fez o bico, te fez rico.

Quem te fez rico? O não da minha aldeia.

Quem te fez rico? O pão da minha aldeia.

Quem te honra mais do que sói, ou te quer enganar, ou ver se pode.

Quem te lisonjeia, enganar-te quer.

Quem te manda a ti sapateiro tocar rabecão.

Quem te manda a ti, sapateiro, tocar no rabecão?.

Quem te mandou, sapateiro, tocar rabecão?.

Quem te mandou, urubu pelado, meter-se no meio dos coroados?.

Quem te mete, João Topete, com a carapuça do grumete.

Quem te mete, João Topete, com bicos de canivete.

Quem te viu e quem te vê.

Quem teima em dizer verdades, perde amizades.

Quem tem a cabra, essa a mama.

Quem tem a faca e o queijo, corta onde quer.

Quem tem a informação, tem o poder.

Quem tem abelhas, ovelhas e moinhos, entrará com el-rei em desafio.

Quem tem afeição, não tem inteira a razão.

Quem tem afeição, não tem toda a razão.

Quem tem alforjes e asno, quando quer vai ao mercado.

Quem tem amargo na boca não pode cuspir doce.

Quem tem amigos não morre na cadeia.

Quem tem amigos, não morre na cadeia.

Quem tem amor atrás da portela, tanto olha até que cega.

Quem tem amores atrás da portela, tanto olha até que cega.

Quem tem amores, não dorme.

Quem tem arte, vai para toda parte.

Quem tem arte, vive em toda parte.

Quem tem asa, não voa, quem não tem, quer voar; quem tem razão, não se queixa, quem não tem, quer-se queixar.

Quem tem bem começado, tem meio acabado.

Quem tem bens, tem percas.

Quem tem bens, tem perdas.

Quem tem besta, não compra cavalo.

Quem tem bico, não manda outro assobiar.

Quem tem boa mão, ganha sempre seu pão.

Quem tem boca não diz assopra.

Quem tem boca não manda soprar.

Quem tem boca vai a roma.

Quem tem boca vai. ao dentista.

Quem tem boca vai? ao dentista.

Quem tem boca vaia Roma.

Quem tem boca, não diz a outro "assopra!".

Quem tem boca, não diz a outro que sopre.

Quem tem boca, não manda soprar.

Quem tem boca, vai a Roma.

Quem tem bom dinheiro, é rico.

Quem tem bom ninho, não mude jazigo.

Quem tem bom vinho, beba-o, e não o dê a seu amigo.

Quem tem bom vinho, não mude jazigo.

Quem tem bom vinho, tem bom amigo.

Quem tem bom vizinho, dorme sossegado.

Quem tem bom vizinho, não teme arruído.

Quem tem brio não tem frio.

Quem tem burro e anda a pé ainda mais burro é.

Quem tem burro e anda a pé mais burro é.

Quem tem burro e anda a pé, ainda mais burro é.

Quem tem burro, não anda a pé, se é quem é.

Quem tem cabeça de cera, não a põe ao sol.

Quem tem cabra, esse a mama.

Quem tem calos não se mete em apertos.

Quem tem calos, não se mete em apertos.

Quem tem calos, não vai a apertos.

Quem tem capa sempre escapa.

Quem tem capa, escapa.

Quem tem capa, escapa; quem tem gibão, escapará ou não.

Quem tem capa, sempre escapa, e quem tem gabão, escapará ou não.

Quem tem capa, sempre escapa.

Quem tem cara grande, não cospe para cima.

Quem tem carneiro, tem lã.

Quem tem casal de renda, semente de meias e bois de aluguer, tem o que Deus não quer.

Quem tem casas na praça, uns as acham altas, outros baixas.

Quem tem cem e deve cem, nada tem.

Quem tem cem mas deve cem pouco tem.

Quem tem cinco trunfos e não trunfa, vai para o inferno.

Quem tem ciúme, quer bem.

Quem tem companheiro, tem amo.

Quem tem costa quente, é valente.

Quem tem criados, tem inimigos forçados.

Quem tem criados, tem inimigos não escusados.

Quem tem cu tem medo.

Quem tem cú tem medo.

Quem tem cu, tem medo.

Quem tem cuidados, não dorme.

Quem tem culpa no cartório, não pode dormir em paz.

Quem tem culpa, pague as custas.

Quem tem culpas no cartório, não pode dormir em paz.

Quem tem de morrer em palheiro, não erra a porta.

Quem tem de perder, perde sempre.

Quem tem dedos toca viola.

Quem tem defeitos, é que põe defeitos.

Quem tem defunto ladrão, não fala em roubo de vivo.

Quem tem demandas, não dorme quando quer.

Quem tem dentes, não tem nozes, quem tem nozes, não tem dentes.

Quem tem Deus por si, não pede a santo.

Quem tem dinheiro, pinta pandeiros.

Quem tem dinheiro, quebra penedos.

Quem tem dinheiro, tem graça e amigos.

Quem tem dinheiro, tem parentes.

Quem tem dó de angu, não cria cachorro.

Quem tem doença, abra a bolsa e tenha paciência.

Quem tem duas asas e quer voar com seis, logo cansará e chorará.

Quem tem em casa o pedreiro, tem o diabo inteiro.

Quem tem esperança sempre alcança.

Quem tem esperança, dança sem música.

Quem tem esperança, tem paciência.

Quem tem fé, vai a pé.

Quem tem filho barbado, é camarão.

Quem tem filho varão, não chame a outro ladrão.

Quem tem filhos ao lado, não morre enfastiado.

Quem tem filhos pequenos, por força lhes há de cantar.

Quem tem filhos, tem (cadilhos/sarilhos).

Quem tem filhos, tem cadilhos.

Quem tem filhos, tem cadilhos. Quem não tem filhos, cadilhos tem.

Quem tem filhos, tem cadilhos. Quem os não tem, cadilhos tem.

Quem tem filhos, tem cadilhos; quem não os tem, cadilhos tem.

Quem tem fome, cardos come.

Quem tem fome, come um homem.

Quem tem fome, mata um homem e come.

Quem tem fome, não olha o que come.

Quem tem fome, sonha com pão.

Quem tem fome, tudo come.

Quem tem frio, embrulha-se na capa do seu tio.

Quem tem fubá, tem angu.

Quem tem garrafas vazias para vender.

Quem tem governo, não perde eleição.

Quem tem honra, dá honra.

Quem tem horta, não compra couve.

Quem tem inimigo, não dorme.

Quem tem inimigos, não deve dormir.

Quem tem inimigos, não dorme.

Quem tem língua, vai a Roma.

Quem tem mazela tudo lhe dá nela.

Quem tem mazela, todos falam nela.

Quem tem mazela, todos lhe dão nela.

Quem tem medo compra um cão.

Quem tem medo de cagar, não come.

Quem tem medo de careta é sagüi.

Quem tem medo de se molhar, não vai à chuva.

Quem tem medo do mar, não se embarque.

Quem tem medo vai a casinha.

Quem tem medo, compra um cão.

Quem tem medo, não mama em onça.

Quem tem medo, não se chega quando o touro escarva a terra.

Quem tem medo, recolhe para casa cedo.

Quem tem moinho e pé de altar, não vai para a cama sem cear.

Quem tem muita manteiga, assa-a na ponta do espeto.

Quem tem muita manteiga, assa-a num espeto.

Quem tem muitos filhos, é pobre.

Quem tem mulher bonita e castelo na fronteira, viverá sempre em canseira.

Quem tem mulher bonita, castelo na fronteira e videira na estrada, nunca lhe faltará guerra.

Quem tem mulher bonita, castelo na fronteira e videiras na estrada, nunca verá o fim da guerra.

Quem tem mulher má, está na vizinhança do purgatório.

Quem tem mulher, tem amo.

Quem tem mulher, tem o que há mister.

Quem tem mulher, tem o que quer.

Quem tem necessidade, vive na cidade.

Quem tem o que é seu, dá a quem quer.

Quem tem o que perder, tem o que temer.

Quem tem o saber, tem o poder.

Quem tem ofício, não morre de fome.

Quem tem ofício, tem benefício.

Quem tem olho fundo, começa a chorar cedo.

Quem tem olhos fundos, chora cedo.

Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!.

Quem tem ovelha, abelha e moinho, entrará com el-rei em desafio.

Quem tem ovelhas, tem pelejas.

Quem tem padrinho não morre pagão.

Quem tem padrinho, não morre mouro.

Quem tem padrinho, não morre pagão.

Quem tem padrinhos, não morre na cadeia.

Quem tem pai alcaide, não cura nem faz.

Quem tem pena de angu, não cria cachorro.

Quem tem pena, morre penando.

Quem tem perna curta, levanta cedo e sai primeiro.

Quem tem porco, tem chouriço.

Quem tem pouco, não pode dar muito.

Quem tem praga na cabeça, peça a Deus que nunca cresça.

Quem tem preguiça nas pernas, ganha ferrugem nos dentes.

Quem tem preguiça, não faz casa de telhado.

Quem tem pressa come crú, quem não tem fica com fome.

Quem tem pressa come crú.

Quem tem pressa, come cru e quente.

Quem tem pressa, come cru.

Quem tem pressa, vá por terra, que por mar pode-se afogar.

Quem tem pressa, vai andando.

Quem tem pressa, vai por terra, que por mar pode afogar-se.

Quem tem pressa, vai por terra, que viagens por mar não são certas.

Quem tem pronta a língua, não tem prontas as mãos.

Quem tem quatro e gasta cinco, não há mister bolsa nem bolsinho.

Quem tem quatro e gasta cinco, não precisa bolsinha nem saco.

Quem tem que perder, perde sempre.

Quem tem quem o chore, cada dia morre.

Quem tem quinta, tem finta.

Quem tem rabo de palha, julga que tudo o que vem atrás é lume.

Quem tem rabo de palha, não chega perto do fogo.

Quem tem rabo de palha, não se senta junto ao fogo.

Quem tem rabo de palha, não se senta no caminho.

Quem tem rabo de palha, não se senta no fogão.

Quem tem rabo de palha, não toca fogo no dos outros.

Quem tem rabo de palha, sempre cuida que lhe vai arder.

Quem tem rabo, não se assenta.

Quem tem rocim e barregã, tem má noite e pior manhã.

Quem tem roupa na mochila, não fala do que é refece.

Quem tem saber, tem força.

Quem tem sangue, faz chouriço; quem não tem, deixe-se disso.

Quem tem sangue, faz chouriços.

Quem tem saúde e liberdade, é rico e não o sabe.

Quem tem saúde, é rico.

Quem tem sede, não morre de fome.

Quem tem seis asas e voa com duas, sempre voa e canta.

Quem tem seu doido, que o amarre.

Quem tem seu vintém, beba logo.

Quem tem sinal sobre os dentes, é honra de parentes.

Quem tem sorte, não se avexe; quem não tiver, não se canse.

Quem tem sua arte, vive em toda parte.

Quem tem telhado de vidro não atira pedra no vizinho.

Quem tem telhado de vidro não atira pedras ao do vizinho.

Quem tem telhado de vidro, não atira pedra ao do vizinho.

Quem tem telhado de vidro, não atira pedra no dos outros.

Quem tem telhado de vidro, não atira pedras no do vizinho.

Quem tem telhado de vidro, não atire pedra no telhado alheio.

Quem tem telhado de vidro, não joga pedra no do vizinho.

Quem tem telhado de vidro, não tire ao de seu vizinho.

Quem tem telhados de vidro não atira pedra'aos outros.

Quem tem telhados de vidro não deve andar á pedrada.

Quem tem telhados de vidro, não atira pedras.

Quem tem tempo e espera tempo, tem maré e espera maré, tem vento e espera vento, não teve conhecimento da fortuna que coisa é.

Quem tem tempo e por tempo espera, tempo é que o demo lhe leva.

Quem tem tempo e tempo espera, tempo é que o demo lhe leva.

Quem tem tempo e tempo perde, lá vem tempo em que se arrepende.

Quem tem Teresa em casa, não precisa de cão.

Quem tem terra, tem guerra.

Quem tem três e gasta quatro, depressa esvazia o saco.

Quem tem três e gasta quatro, em breve chega ao fundo do saco.

Quem tem um burro e o vende, acho bem que lá se entende.

Quem tem um filho, não tem nenhum.

Quem tem um ninho, não funde jazigo.

Quem tem um, não tem nenhum.

Quem tem uma manha, nunca a perde.

Quem tem unhas toca guitarra.

Quem tem unhas, que toque guitarra.

Quem tem velho, não tem novo.

Quem tem vergonha de trabalhar, tenha vergonha de comer.

Quem tem vergonha passa mal.

Quem tem vergonha, anda magro.

Quem tem vergonha, cai de magro.

Quem tem vergonha, morre de fome.

Quem tem vergonha, não faz vergonha.

Quem tem vergonha, passa mal.

Quem tem vida, puxa por ela.

Quem tem vinho, bem o bebe; quem tem mal, bem o geme.

Quem tem vontade, não tem razão.

Quem tem, é quem perde.

Quem tem, terá.

Quem tem, vale vintém; quem não tem, não vale vintém.

Quem teme a morte, perde quanto vive.

Quem teme, algo deve.

Quem teme, alguma coisa deve.

Quem tempo tem e por tempo espera, tempo é que o demo lhe leva.

Quem tempo tem e tempo espera tempo que o diabo lhe leva.

Quem ter amor, tem ciúme.

Quem terá as mãos quedas a pão fresco e beringelas?.

Quem terá as mãos quedas a pão fresco e berinjelas?.

Quem terra muda, muda ventura.

Quem teu segredo guarda, muito mal escuta.

Quem tira retrato de graça é espelho.

Quem tiver doença, abra a bolsa e tenha paciência.

Quem tiver doença, bolsa aberta e paciência.

Quem tiver mando, não tema, para ser obedecido.

Quem tiver muitos filhos e pouco pão, tome-os da mãe e diga-lhes uma canção.

Quem tiver paixão, tome tabaco.

Quem toca a rebate, não vai ao fogo.

Quem toca o carrilhão, não vai na procissão.

Quem todo o quer, todo o perde.

Quem tolo vai a Santarém, tolo de lá vem.

Quem tolos manda a Santarém tolos vão e tolos veem.

Quem toma cautela, não se queixa dela.

Quem toma conta, dá conta.

Quem toma emprestado, procura uma mortificação.

Quem toma o alguidar pelo fundo e a mulher pela palavra, pode dizer que não tem nada.

Quem toma, dá.

Quem tomou a si por mestre, fez-se discípulo de um néscio.

Quem topa tudo é o jumento.

Quem torto nasce tarde e mal se endireita.

Quem torto nasce, nunca se endireita.

Quem torto nasce, tarde ou nunca se endireita.

Quem torto nasce, tarde se endireita.

Quem trabalha de graça é o relógio.

Quem trabalha de graça é relógio, assim mesmo porque lhe dão corda e ele não faz força.

Quem trabalha o dia inteiro, acha mole o travesseiro.

Quem trabalha, ganha alfaia.

Quem trabalha, ganha pão.

Quem trabalha, tem alfaia.

Quem trabalha, tem pão.

Quem trabalha, tudo alcança.

Quem trás de valados vai falando, filhos alheios vai criando.

Quem traz as mãos na massa, sempre se lhe pega dela.

Quem traz demanda, com o demo anda.

Quem traz surrão, medrará ou não.

Quem traz, é sempre bem recebido.

Quem trintou, fecha os olhos e agarrou.

Quem troca caminhos por atalhos, não lhe faltam trabalhos.

Quem troca caminhos por atalhos, nunca lhe faltam trabalhos.

Quem troca caminhos por atalhos, nunca sai de sobressaltos.

Quem troca odre por odre augum lhe sai podre.

Quem troca odre por odre, algum deles é podre.

Quem troca odre por odre, algum deles há de ser podre.

Quem tropeça e não cai, caminho adianta.

Quem tuas fraquezas louva, bem te engana.

Quem tudo abarca, pouco alcança.

Quem tudo abarca, pouco ata.

Quem tudo contou, com bois não arou.

Quem tudo dá, tudo nega.

Quem tudo faz, não enche fuso.

Quem tudo nega, tudo confessa.

Quem tudo quer nada tem.

Quem tudo quer saber, mexerico quer fazer.

Quem tudo quer saber, mexerico vai fazer.

Quem tudo quer tudo perde.

Quem tudo quer vingar, cedo quer acabar.

Quem tudo quer, tudo perde.

Quem tudo quer,tudo perde.

Quem tudo receia, nada teme.

Quem tudo sabe, nada sabe.

Quem tudo teme, tudo crê.

Quem um arado faz bem, sabe fazer cem.

Quem um bem quer outro tem que perder.

Quem um mau hábito ganhou, escravo dele ficou.

Quem um sabor quer, outro há de perder.

Quem uma vez furta, fiel nunca.

Quem unta, amolenta.

Quem urde e tece tudo lhe cresce.

Quem usa a cabeça, não cansa os pés.

Quem usa de loucuras, cedo cai nas sepulturas.

Quem usa, cuida.

Quem vacas gabou nunca bois tocou.

Quem vai à aldeia, não se deita sem ceia.

Quem vai à boda leva que coma.

Quem vai à feira perde a cadeira.

Quem vai á festa três dias não presta.

Quem vai a festa, três dias não presta.

Quem vai à fonte e não bebe, não sabe o que perde.

Quem vai à fonte e não bebe.. não sabe o que perde.

Quem vai a guerra dá e leva.

< operone >