< Portugiesische Sprichwörter >

Quanto sabes, tanto vales.

Quanto se faz ao vilão, tudo é maldição.

Quanto tens quanto vales.

Quanto tens, tanto vales.

Quanto um mais alto sobe, maior queda dá.

Quantos criados, tantos inimigos.

Quantos homens, tantas opiniões.

Quantos ledores, tantas as sentenças.

Quantos ledores, tantas sentenças.

Quão grande é o peixe, tão grande é o sabor.

Quão grande é o peixe, tão grande é o valor.

Quão longe dos olhos, tão longe do coração.

Quase sempre nada sabem aqueles que blasonam de tudo saber.

Quase sempre o provisório é eterno.

Quase todas as nossas penas vêm dos nossos pesares.

Quatro bois a um carro, se bem tiram para cima, melhor tiram para baixo.

Quatro coisas desterram a justiça: o amor, o ódio, o medo e a ignorância.

Quatro horas dorme o santo, cinco o que não é tanto, seis o caminhante, oito o preguiçoso, nove o porco, e as mais o morto.

Quatro horas dorme um santo, cinco o que não é tanto, seis o estudante, sete o caminhante, oito o porco e nove o morto.

Quatro olhos a um tempo nunca viram um fantasma.

Quatro olhos vêem mais do que dois.

Que a mão direita não saiba o que faz a esquerda.

Que a terra lhe seja leve, com o Pão-de-Açúcar por cima.

Que apito é que ele toca?.

Que bem prega Frei Tomás, façamos o que ele diz e não o que ele faz.

Que bem prega frei Tomás: faz o que ele diz e não o que ele faz.

Que chova, que não chova, meu amo que coma.

Que come a papa, que reze o padre-nosso.

Que culpa tenho eu de ser simpático?.

Que Deus se fez homem, seja, porém o diabo se fez mulher!.

Que é de casa, vai à praça.

Que é que tem o cu com as calças?.

Que é que você faz do que come?.

Que é uma borboleta? Não mais que uma lagarta vestida.

Que fiandeira eu era, se ventura tivera!.

Que há de comum entre o asno e a lira?.

Que horas para colher amoras!.

Que lhe faça bom proveito à barriga mais ao peito.

Que monte de trigo se não estivesse devido.

Que mosca o picou?.

Que nobreza de rei, que, sem nos conhecer, nos saúda!.

Que o sapateiro não passe além do sapato.

Que prazer de marido, a cera acabada e ele vivo.

Que siso de alveitar! A mula morta e manda-a sangrar!.

Que têm que ver as bragas com a alcavala das favas? (alfavaca).

Que tem que ver o cu com as calças?.

Quebra galho é macaco gordo.

Quebra-lhe a cabeça e unta-lhe o casco.

Quebrar a castanha no dente.

Quebrar a louça e guardar os palitos.

Quebrarei a mim um olho para te quebrar outro.

Quebras-me a cabeça, untas-me o casco.

Queda de velho não levanta poeira.

Queijo com pão faz o homem são.

Queijo de ovelha, manteiga de vaca e leite de cabra.

Queijo de ovelhas, leite de cabras, manteiga de vacas.

Queijo é bom dado por um avaro.

Queijo é bom, dado pelo avaro.

Queijo, pão e pero, comer de cavaleiro, e queijo, pero e pão, comer de vilão.

Queijo, pão e pero, comer de vilão.

Queijo, pêro e pão, comida de vilão. Queijo, pão e pêro, comida de cavaleiro.

Queimada a casa, acode com água.

Queimada a casa, acode-lhe com água.

Queimada a casa, vem a água.

Queimar as caravelas.

Queimar as pestanas.

Queimar o último cartucho.

Queime-se a casa, mas não faça fumo.

Queira, não queira, o burrinho há de ir à feira.

Queira-me bem de graça, que por dinheiro é chalaça.

Queiras ou não queiras escutar a razão, cedo ou tarde ela há de se fazer ouvir.

Queixadas sem barbas não merecem ser honradas.

Queixar-se ao bispo.

Quem a alto sobe de alto cai.

Quem a boa arvore se abriga boa sombra o cobre.

Quem a boa árvore se acolhe, boa sombra o cobre.

Quem a boa árvore se arrima, boa sombra o cobre.

Quem a boa árvore se chega, boa sombra o cobre.

Quem a boca de meu filho beija, a minha adoça.

Quem a cavalo passa a ponte, no olho vê a morte.

Quem a cera quer abrandar, as unhas há de queimar.

Quem a dois amos servir, a alguém há de mentir.

Quem a dois amos servir, a algum há de mentir.

Quem a dois senhores há de servir, a algum há de mentir.

Quem a dois senhores quer servir, a um há de mentir.

Quem a fama tem perdida, morto anda nesta vida.

Quem a ferro mata, a ferro morre.

Quem a ferros mata a ferro morre.

Quem a fez, que a pague.

Quem a galinha del-rei come magra, gorda a paga.

Quem á hora não vier comerá do que trouxer.

Quem a horas não vier, comerá do que houver.

Quem a horas não vier, comerá do que trouxer.

Quem a mão alheia espera, mal janta e pior ceia.

Quem à mesa alheia come, janta e ceia com fome.

Quem a meu filho beija, minha boca adoça.

Quem a meu filho tira o monco, a mim me beija o rosto.

Quem a mim quer bem, diz-me do que sabe, e dá-me do que tem.

Quem a minha casa não vai, da sua me corre.

Quem a morte alheia espera, a sua lhe chega.

Quem a morte pretendia, suspeitosa deixa a vida.

Quem a muitos há de manter, muito há de ter.

Quem a não tem escapa também.

Quem a outro serve, não é livre.

Quem a paz quer conservar, deve ver, ouvir e calar.

Quem a porcos há medo, as moitas lhe roncam.

Quem a porcos se mistura, lavagem comem.

Quem a porcos tem medo, as moitas lhe roncam.

Quem a praça elogiou é porque nela ganhou.

Quem à pressa se casa, com vagar se arrepende.

Quem a raposa há de enganar, muito tem que madrugar.

Quem a raposa tem de enganar, cumpre-lhe muito madrugar.

Quem a raposa tem de enganar, muito tem que madrugar.

Quem a ruim perdoa, a ruindade lhe aumenta.

Quem a santos promete em divida se mete.

Quem à semana bem parece, ao domingo aborrece.

Quem a si mesmo teme, nada mais tem a temer.

Quem a sorte alheia estima, a sua desestima.

Quem a tempo não foge do abismo, é pelo abismo engolido.

Quem a todos crê, erra, e quem a nenhum crê, não acerta.

Quem a todos crê, erra, e quem a nenhum, não acerta.

Quem a tolo conselho pede, mais tolo é que ele.

Quem a tolo pede conselho, ainda é mais tolo do que ele.

Quem a trinta não tem siso, a quarenta não é rico.

Quem a truta come assada, e cozida a perdiz, não sabe o que faz nem o que diz.

Quem a um castiga, a cem fustiga.

Quem a vaca alheia come magra, gorda a paga.

Quem a vaca de el-rei come magra, gorda a paga.

Quem a velho não chegar, a vida lhe há de custar.

Quem abrolhos semeia, espinhos colhe.

Quem acaba, sua cova tapa.

Quem acabar primeiro, vai ajudar o seu parceiro.

Quem aceita, não escolhe.

Quem acerta no casar, nada lhe falta acertar.

Quem acha guarda.

Quem acha mole, carrega.

Quem acha pau, faz colher.

Quem acha um bom genro, ganha um filho; quem acha um ruim, perde uma filha.

Quem acha, encaixa.

Quem acha, guarda.

Quem achar remédio primeiro, ajude parceiro.

Quem acomoda, não incomoda.

Quem acompanha morcego acorda de cabeça pra baixo.

Quem aconselha, não obriga.

Quem aconselha, não paga contas.

Quem aconselha, não paga custas.

Quem acorda cão dormido, vende paz e compra arruído.

Quem acorda cão dormindo, vende a paz e compra arruído.

Quem adiante não anda, para trás torna.

Quem adiante não cata, atrás cai e malbarata.

Quem adiante não olha, atrás cai e malbarata.

Quem adiante não olha, atrás fica.

Quem adiante não olha, atrás torna.

Quem adiante não olha, fica atrás.

Quem adiante vai, atrás torna.

Quem adivinha, vai para a casinha.

Quem adormece a dizer mal, acorda caluniado.

Quem afaga mula, receberá coices.

Quem agravos dissimula, espreita vingança.

Quem alegre se levanta, todo o dia canta.

Quem ama a Beltrão, ama a seu cão.

Quem ama a Beltrão, ama a seu irmão.

Quem ama a Beltrão, ama seu cão.

Quem ama a Beltrão, ama seu irmão.

Quem ama a cabra, ama o cabrito.

Quem ama a mulher casada, traz a vida emprestada.

Quem ama a preguiça, desama a fortuna.

Quem ama ao feio, formoso lhe parece.

Quem ama Beltrão, ama o seu cão.

Quem ama Beltrão, gosta do seu cão.

Quem ama João, ama o seu cão.

Quem ama mulher casada, anda com a vida emprestada.

Quem ama o feio é cego.

Quem ama o feio, bonito lhe parece.

Quem ama o feio, é porque o bonito não lhe aparece.

Quem ama o feio, formoso lhe parece.

Quem ama o frade, ama-lhe o capelo.

Quem ama o frade, ame-lhe o capelo.

Quem ama o perigo, nele perecerá.

Quem ama o tolo, esperto lhe parece.

Quem ama, castiga.

Quem ama, cuida.

Quem ama, do longe faz perto.

Quem ama, não esquece.

Quem ama, perdoa.

Quem ama, pisa na lama.

Quem ama, sabe o que deseja e não sabe o que lhe cumpre.

Quem ama, teme.

Quem ameaça e não dá, medo há.

Quem ameaça, sua ira gasta.

Quem ameaça, um teme, outra espera.

Quem ameaça, uma tem e outra guarda.

Quem anda á chuva molha-se.

Quem anda à chuva, molha-se.

Quem anda aos porcos, tudo lhe ronca.

Quem anda caipora, até cachorro lhe mija na perna.

Quem anda cego de amores, não verá senão paredes.

Quem anda com coxo aprende a mancar.

Quem anda com traça, traça o come.

Quem anda de boca aberta, ou entra mosca ou sai asneira.

Quem anda de boca aberta, ou entra mosca, ou sai asneira.

Quem anda de capote no verão, ou é pobre ou ladrão.

Quem anda de noite com alcaide e meirinho, ou é beleguim, ou gosta de vinho.

Quem anda depressa, é quem mais tropeça.

Quem anda depressa, não enxerga o que procura.

Quem anda depressa, passa por cima do que precisa.

Quem anda descalço, não deve plantar espinhos.

Quem anda devagar, pouco alcança.

Quem anda em demanda, com o demo anda.

Quem anda em demanda, com o diabo anda.

Quem anda folgado, dança na festa.

Quem anda mal vestido, é mal recebido.

Quem anda muito depressa, passa por cima do que precisa.

Quem anda na chuva, é para se molhar.

Quem anda na chuva, molha-se.

Quem anda na garupa, é que abre porteira.

Quem anda na garupa, não pega na rédea.

Quem anda na garupa, não segura as rédeas.

Quem anda na guerra, dá e leva.

Quem anda na terra alheia, é o primeiro que apanha e o derradeiro que come.

Quem anda na terra alheia, pisa no chão devagar.

Quem anda no mar, aprende a rezar.

Quem anda no mar, não faz do vento o que quer.

Quem anda pela cabeça dos outros é piolho.

Quem anda por casa alheia, leva fama de faminto.

Quem anda por toda parte, por toda parte aprende.

Quem anda sem dinheiro, não arranja companheiro.

Quem andou não tem para andar.

Quem andou, não tem para andar.

Quem antes nasce, antes pasce.

Quem ao ano andou e aos dois falou, bom leite mamou.

Quem ao diante não está, atrás cai e malbarata.

Quem ao diante não olha, atrás torna.

Quem ao digno fez bem, fê-lo a ele e a si também.

Quem ao fim do valo vai, às vezes cai.

Quem ao longe não olha, ao perto se fere.

Quem ao longe não olha, perto se fere.

Quem ao longe vai casar, leva pulha, ou vai buscar.

Quem ao longe vai casar, ou se engana, ou vai enganar.

Quem ao longe vai casar, ou vai enganado, ou vai enganar.

Quem ao mais alto quer subir ao mais baixo vem cair.

Quem ao mais alto quer subir, ao mais baixo vem cair.

Quem ao moinho vai e não madruga, os outros moem e ele se espulga.

Quem ao moinho vai, enfarinhado sai.

Quem ao perigo corre, nele morre.

Quem ao seu amigo dá seu lugar, não o quer de si afastar.

Quem ao seu amigo dá seu lugar, não o quer de si apartar.

Quem ao solo quiser ganhar, muitas vezes há de passar.

Quem aos seus se parece, honra merece.

Quem aos trinta come lebre assada e cozida a perdiz, não sabe o que faz nem o que diz.

Quem aos trinta não pode, aos quarenta não sabe e aos cinqüenta não tem, não pode, não sabe e não tem.

Quem aos trinta não pode, aos quarenta não sabe e aos cinqüenta não tem, nunca mais será ninguém.

Quem aos trinta não pode, aos quarenta não sabe e aos cinqüenta não tem, nunca será ninguém.

Quem aos trinta não tem siso, aos quarenta não é rico.

Quem aos vinte não barba, aos trinta não casa, aos quarenta não tem, nem casa, nem barba, nem tem.

Quem aos vinte não barba, aos trinta não casa, aos quarenta não tem, tarde barba, tarde casa e tarde tem.

Quem aos vinte não quiser e aos vinte e cinco não tiver, aos trinta venha quem vier.

Quem apanha as pancadas, não é quem as conta.

Quem apanha de mulher, não se queixa a delegado.

Quem aplica a justiça, deve temê-la.

Quem aprende a dizer A, também deve aprender a dizer B.

Quem aproveita o farelo, não esperdice o fubá.

Quem ara e fia, ouro cria.

Quem arma a esparrela muitas vezes cai nela.

Quem arma a esparrela, às vezes cai nela.

Quem arranja o colombro, que o leve ao ombro.

Quem arreda azo, arreda pecado.

Quem arrodeia, às vezes chega primeiro que quem atalha.

Quem arrota pede bolota.

Quem arrumou sua mão de milho, que dependure.

Quem as arma, que as desarme.

Quem as bragas não há em douto, as costuras lhe fazem nojo.

Quem as coisas muito apura, não vive vida segura.

Quem as faz é quem as apanha.

Quem as faz paga-as quem as faz que as desfaça.

Quem as faz, as paga.

Quem as faz, que as pague.

Quem asno era antes de ser rico, asno fica.

Quem assim fala não é gago.

Quem assistiu à praça, ou comprou ou vendeu.

Quem atira com pólvora alheia, carrega-lhe mais a mão.

Quem atira com pólvora alheia, dá tiro grande.

Quem atira com pólvora alheia, enche mais a medida.

Quem atira com pólvora alheia, não toma chegada.

Quem atira no meio, não erra.

Quem avisa amigo é.

Quem avisa, amigo é.

Quem avisa, quer bem.

Quem azeite mede, as mãos unta.

Quem baralha, não parte; quem parte, não dá [Ao jogo].

Quem basto semeia, ralo colhe.

Quem bate á porta quer beber.

Quem bate com a mão, apanha o seu quinhão.

Quem bate no cão, bate no dono.

Quem bebe antes do almoço, chora antes do sol posto.

Quem bebe antes do almoço, chora antes do sol-posto.

Quem bebe é para passar mal, se for para ficar bom que tome remédio.

Quem bebe muito vinho, perde o tino.

Quem bebe para falar, apanhe para calar.

Quem bebe vinho, vê Deus no caminho.

Quem bebe, afoga as mágoas.

Quem beija os filhos, a boca dos pais adoça.

Quem bem ama, bem castiga.

Quem bem ama, nunca esquece.

Quem bem ama, tarde esquece.

Quem bem arrota, bem almoça.

Quem bem ata, bem desata.

Quem bem ceia, bem dorme.

Quem bem come e bebe, bem faz o que deve.

Quem bem come e bebe.. bem faz o que deve.

Quem bem come e dorme, bem faz o que deve.

Quem bem começa, bem acaba.

Quem bem cuida o que quer, entende em quão pouco se emprega.

Quem bem está e mal escolhe, por mal que lhe venha, não se anoje.

Quem bem está e mal escolhe, por mal que lhe venha, não se enoje.

Quem bem está, deixa-se estar.

Quem bem está, não se levante.

Quem bem faz a cama, bem nela se deita.

Quem bem faz a cama, bem se deitará nela.

Quem bem faz a cama, nela se deita.

Quem bem faz, para si faz.

Quem bem faz, para si o faz; quem mal faz, para si o faz.

Quem bem fecha, bem vizinha.

Quem bem fecha, melhor abre.

Quem bem fizer a cama bem se deita nela.

Quem bem me faz, é meu compadre.

Quem bem nada, não se afoga.

Quem bem ora, bem vive.

Quem bem ora, por si ora.

Quem bem ouve, bem responde.

Quem bem paga, é herdeiro do alheio.

Quem bem quer a Beltrão, bem quer a seu cão.

Quem bem quer contar, não deve contar com nada.

Quem bem quer, bem obedece.

Quem bem quer, de longe vê.

Quem bem quer, sempre se encontra.

Quem bem quiser cear, a sua casa vá buscar.

Quem bem renega, bem crê.

Quem bem se consulta, bem principia.

Quem bem se cura, bem dura.

Quem bem se estreia, bem lhe venha.

Quem bem se não quer, a ninguém quer bem.

Quem bem se quer no caminho se encontra.

Quem bem serve e não pede quanto serve, galardão merece.

Quem bem serve, bem medra.

Quem bem serve, bem pede.

Quem bem serve, galardão merece.

Quem bem te amar, te fará chorar.

Quem bem te fizer, ou te há de deixar, ou te há de morrer.

Quem bem te quer, te fará chorar.

Quem bem tece, não se esquece.

Quem bem tem e mal escolhe, por mal que lhe venha não se anoje.

Quem bem trabalhou, melhor descansou.

Quem bem urina, escusa medicina.

Quem bem vive bem morre.

Quem bem vive, bem morre.

Quem boa cama faz, nela se deita.

Quem boa cama fizer, nela dorme!.

Quem boa cama fizer, nela há de se deitar.

Quem boa cama fizer, nela se deitará.

Quem boa dita tem, a Deus agradeça.

Quem boa ou má cama fizer, nela se deitará.

Quem boa ventura tem, a Deus agradeça.

Quem boa vida leva, boa fama rapa.

Quem boca beija, boca não deseja.

Quem bom e mau não pode sofrer, grande fortuna não pode vir a ter.

Quem bom e mau não pode sofrer, grande honra não pode vir a ter.

Quem bondade tem, mil canseira lhe vêm.

Quem bota a carapuça, acha que lhe assenta.

Quem breve ama, tarde esquece.

Quem brinca com arma de fogo, brinca com o cão.

Quem brinca com espinhos, arranha-se.

Quem brinca com fogo, acaba por se queimar.

Quem brinca com fogo, faz xixi na cama.

Quem brinca com fósforo, mija na cama.

Quem brinca com o fogo queima-se.

Quem brinca com o fogo, queima-se.

Quem brinca com o lume mija de noite na cama.

Quem bulir em casa de marimbondo, sairá picado.

Quem burro vai a Roma, burro de lá vem.

Quem burro vai a Roma, burro vai, burro vem.

Quem burro vai a Santarém, burro vai, burro vem.

Quem busca pau, dar quer.

Quem busca perigo, em perigo morre.

Quem busca trabalho, tem comida no borralho.

Quem cá ficar, que o ganhe.

Quem cabra há, bem pagará.

Quem cabras não tem e cabritos vende, de algum lugar lhe vêm.

Quem cabras não tem e cabritos vende, de alguma parte lhe vêm.

Quem cabras não tem e cabritos vende, de algures lhe vêm.

Quem cabras não tem e cabritos vende, donde lhe vêm?.

Quem cabras não tem, cabritos vende, donde lhe vêm não se entende.

Quem cabritos vende e cabras não tem de algum lado vem.

Quem cabritos vende e cabras não tem, de alguma parte lhe vêm.

Quem cabritos vende e cabras não tem, de algures lhe vem.

Quem cabritos vende e cabras não tem, de algures lhe vêm.

Quem cabritos vende e cabras não tem, donde lhe vêm?.

Quem caça do coração, é o dono do furão.

Quem caça e acha, não é desgraça.

Quem caça uma arvela, é mais fino que ela.

Quem caça veado, despreza a lebre.

Quem caça, acha.

Quem caga e come, não morre de fome.

Quem cala consente.

Quem cala vence sempre.

Quem cala, apanha pedras.

Quem cala, colhe, e quem fala, semeia.

Quem cala, confessa.

Quem cala, consente, mas não sempre.

Quem cala, consente.

Quem cala, escusa baralha.

Quem cala, não diz nada.

Quem cala, não quer barulho.

Quem cala, vence.

Quem calou, venceu e fez quanto quis.

Quem caminha em carro, nem vai a pé, nem a cavalo.

Quem caminha por atalhos, nunca sai de sobressaltos.

Quem canta antes do almoço, chora antes do sol-posto.

Quem canta antes do almoço, não chega ao sol posto.

Quem canta de graça, é galo.

Quem canta na mesa e dança no leito, é tolo perfeito.

Quem canta seus males espanta.

Quem canta seus mals espanta quem chora mais o aumenta.

Quem canta, fadas más espanta.

Quem canta, maus fados espanta.

Quem canta, maus fados espanta; quem chora mais os aumenta.

Quem canta, não assobia.

Quem canta, não cantareja.

Quem canta, seus males espanta.

Quem canta, seus males espanta; quem chora mais os aumenta.

Quem canta, seus maus fados espanta.

Quem caracóis come em Abril, apanha cera e panil (mortalha).

Quem carrega, é que sabe o peso que pega.

Quem casa a correr, toda a vida tem para se arrepender.

Quem casa com a gata por causa da prata, perde a prata e fica sem a gata.

Quem casa com amores, vive com dores.

Quem casa com formosa, tem trabalho.

Quem casa com mulher feia e rica, tem ruim cama e boa mesa.

Quem casa com mulher feia, não tem medo de outro homem.

Quem casa com viúva, paga as dívidas.

Quem casa filha, depenado fica.

Quem casa muito prontamente, arrepende-se muito longamente.

Quem casa não pensa, quem pensa não casa.

Quem casa por amor, vive sempre com dor.

Quem casa por amores, maus dias e boas noites.

Quem casa por amores, maus dias e noites piores.

Quem casa por amores, sempre vive em dores.

Quem casa quer casa.

Quem casa sua filha, depenado fica.

Quem casa, não pensa; quem pensa, não casa.

Quem casa, quer casa, longe da casa em que casa.

Quem casa, quer casa.

Quem castiga com raiva, não castiga, vinga-se.

Quem castiga um, avisa cento.

Quem cavalga besta sem vara ou espora, asno é de nora.

Quem cedo adenta, cedo aparenta.

Quem cedo dá, dá duas vezes.

Quem cedo madruga fica com sono o dia todo.

Quem cedo se deita e cedo se levanta, doença, pobreza e velhice espanta.

Quem cedo se determina, cedo se arrepende.

Quem cedo se determina, depressa se arrenega.

Quem cedo trabuca, melhor manduca.

Quem cedo vai cedo vem.

Quem ceia e logo se vai deitar, má noite há de passar.

Quem ceia e se vai deitar, má noite há de passar.

Quem ceia em vinhas, almoça em fontes.

Quem ceia em vinhas.. almoça em fontes.

Quem ceia vinho, almoça água.

Quem chega aos quarenta anos e não é pelo menos riquito, é com certeza burrito.

Quem chega cedo é que bebe da água limpa.

Quem chega no fim, só come o pegado.

Quem chega primeiro, é o primeiro a aviar-se.

Quem chega primeiro, é que bebe da água limpa.

Quem chega primeiro, é servido primeiro.

Quem chega tarde, acha o lugar tomado.

Quem chega tarde, não assiste à missa, nem come carne.

Quem chora seus males, as penas aumenta.

Quem chora todas as desditas alheias, acaba por perder a vista.

Quem chora, sente.

Quem chora, seu mal aumenta.

Quem chora, seu mal minora.

Quem chora, seu mal piora.

Quem chora, seus males piora.

Quem chuchou a carne, roa o osso.

Quem cochicha, o rabo espicha.

Quem colhe a rosa, sofra o espinho.

Quem com águas se cura, pouco dura.

Quem com cães se deita, com pulgas se levanta.

Quem com caes se deitam com pulgas se levanta.

Quem com coxo anda, aprende a mancar.

Quem com damas anda, chora e não canta.

Quem com deus anda deus lhe alumeia.

Quem com Deus anda, com Deus acaba.

Quem com Deus anda, Deus o ajuda.

Quem com doido há de se entender, de muito siso há mister.

Quem com doido tem de se entender, muito juízo há mister.`.

Quem com donas anda, chora e não canta.

Quem com elas joga o vinte, ou sai pobre, ou pedinte.

Quem com farelos se mistura, maus cães o comem.

Quem com farelos se mistura, porcos o comem.

Quem com ferro fere com ferro será ferido.

Quem com ferro fere, com ferro será ferido.

Quem com ferro fere, tanto bate até que fura.

Quem com ferro mata, com ferro morre.

Quem com ferros mata, com ferros morre.

Quem com lobo anda, aprende a uivar.

Quem com lobo dorme, aprende a uivar.

Quem com lobos anda, aprende a uivar.

Quem com mal anda, chora e não canta.

Quem com mão dá com sanha, quantas dá, quantas apanha.

Quem com maus vizinhos vizinhar, com um olho há de dormir e com o outro velar.

Quem com maus vizinhos vizinhar, com um olho há de dormir e com o outro vigiar.

Quem com morcegos anda, dorme de cabeça para baixo.

Quem com muitas pedras bate, com alguma se fere.

Quem com muitas pedras bole, uma na cabeça lhe cai.

Quem com muitos há que fazer, muito siso há mister.

Quem com muitos tem de se entender, muito juízo há mister.

Quem com o demo anda, com ele acaba.

Quem com o demo anda, com o demo acaba.

Quem com o demo cava a vinha, com o demo a vindima.

Quem com o demo semeia, com o demo colhe.

Quem com o diabo se deita, com o diabo amanhece.

Quem com o mal trata, sempre se lhe apega.

Quem com o mel trata, sempre se lhe apega.

Quem com os maus se mistura, chora e não canta.

Quem com porcos anda farelos come.

Quem com porcos se deita com carraços se levanta.

Quem com porcos se mistura farelos come.

Quem com porcos se mistura, farelos come.

Quem com porcos vive, deita-se na lama.

Quem com seu vizinho conta, sem ceia se deita.

Quem com seus avós se honra, consigo traz desonra.

Quem com sua honra não tem conta, não teme afronta.

Quem com tolo se aconselha, mais tolo é que ele.

Quem come a carne que roa os ossos.

Quem come a carne que roa também os ossos.

Quem come a carne, que lhe roa o osso.

Quem come a carne, roa o osso.

Quem come a correr, do estômago vem a sofrer.

Quem come a galinha de el-rei magra, gorda a paga.

Quem come a galinha de el-rei magra, paga uma gorda.

Quem come a galinha magra, paga a gorda.

Quem come à mesa alheia, mal janta e pior ceia.

Quem come à mesa cheia, mal janta e pior ceia.

Quem come a papa, que reze o Pater Noster.

Quem come arroz com pão, é um grande toleirão.

Quem come as duras, coma as maduras.

Quem come as duras, come as maduras.

Quem come cabritos e cabras não tem, de algures lhe vêm.

Quem come calado, não perde bocado.

Quem come caldo no entrudo é comido dos mosquitos em S.João.

Quem come cantando, morre berrando.

Quem come cedo, cria carne e sebo; quem come tarde, nem sebo nem carne.

Quem come da taberna, duas casas governa.

Quem come de bolsa alheia, vive amarrado a dois nós.

Quem come de graça é impingem.

Quem come do meu pão, leva do meu bordão.

Quem come do meu pirão, leva do meu cinturão.

Quem come e canta, não tem amor à garganta.

Quem come e deixa, duas vezes põe a mesa.

Quem come e guarda duas vezes põe a mesa.

Quem come e guarda, duas vezes come.

Quem come e guarda, duas vezes põe a mesa.

Quem come e não convida trás o diabo na barriga.

Quem come emprestado, come do seu saco.

Quem come fel, não cospe mel.

Quem come fel, não pode cuspir mel.

Quem come fiado, caga maçarocas.

Quem come fiado, obra maçarocas.

Quem come focinho de porco, é desinço de louça.

Quem come gordo seu galo, sele seu cavalo.

Quem come mel, não cospe fel.

Quem come mel, não pode cuspir fel.

Quem come nêsperas, bebe cerveja, espargos chupa e velhas beija, nem come, nem bebe, nem chupa, nem beija.

Quem come pouco, aproveita muito.

Quem come pouco, muito aproveita.

Quem come quente, é gavião.

Quem come salgado, bebe dobrado.

Quem come sem conta, morre sem honra.

Quem come sem conta, vive sem honra.

Quem come só, se engasga.

Quem come sopa com vinho, de velho se faz menino.

Quem come tudo num dia, no outro assobia.

Quem come, dorme.

Quem começa mal, acaba mal.

Quem comeu a carne que roa os ossos.

Quem comeu a carne, que roa o osso.

Quem comeu a carne, que roa os ossos.

Quem comeu a papa, reze o Páter Nóster.

Quem comeu as maduras, chuche as duras.

Quem como besta vai a Roma, como asno retorna.

Quem compra cavalo, compra cuidado.

Quem compra e mente, na bolsa o sente.

Quem compra e vende, lá se entende.

Quem compra fiado, paga dobrado.

Quem compra galinha por pouco dinheiro, ou estava doente ou morreu no poleiro.

Quem compra o que não pode, vende o que não deve.

Quem compra o que não pode, vende o que não quer.

Quem compra o supérfluo, vem a vender o necessário.

Quem compra o supérfluo, vende o necessário.

Quem compra pão na praça e vinho de taberna, filhos alheios governa.

Quem compra ruim pano veste duas vezes no ano.

Quem compra sem poder, vende sem querer.

Quem compra terras, compra guerras.

Quem compra, precisa de cem olhos, quem vende, apenas de um.

Quem comprar sem ter vende sem querer.

Quem confessa pela boca, paga pelo pescoço.

Quem confessa, merece perdão.

Quem confia, zelos não cria.

Quem conhece o seu coração, desconfia dos seus olhos.

Quem conselhos não toma, ajudas não merece.

Quem consigo só anda falando, o diabo o está enganando.

Quem consigo só se aconselha, consigo só se arrepende.

Quem conta a verdade não merece penas.

Quem conta com a panela alheia, arrisca-se a ficar sem ceia.

Quem conta com o ovo no cu da galinha, morre de fome.

Quem conta sem o hóspede, conta duas vezes.

Quem conta sem seu hóspede, duas vezes conta.

Quem conta um conto acrescenta um ponto.

Quem conta um conto aumenta sempre um ponto.

Quem conta um conto, (aumenta/acrescenta) um ponto.

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto.

Quem conta um conto, aumenta um ponto.

Quem conta um conto, sempre acrescenta um ponto.

Quem conversa, não conta horas.

Quem convida, dá banquete.

Quem corre a duas lebres, não apanha nenhuma.

Quem corre alcança, quem anda nunca chega lá.

Quem corre atrás de dois, um vai-se embora.

Quem corre atrás de duas lebres, nenhuma apanhará.

Quem corre com medo, não pergunta por caminho.

Quem corre muito, cansa.

Quem corre pelo muro, não dá passo seguro.

Quem corre por gosto não cansa.

Quem corre por gosto, não cansa.

Quem corre, cansa.

Quem corre, cansa; quem anda, alcança.

Quem corre, cansa; quem espera, avança.

Quem correria atrás da glória, se soubesse o preço por que ela se compra?.

Quem cospe a semente é que sabe o gosto da fruta.

Quem cospe a semente, é que é o dono da fruta.

Quem cospe para cima, na cara lhe cai.

Quem cospe para o alto, cai-lhe na cara.

Quem cospe para o ar, cai-lhe na cara.

Quem cospe para o ar, na cabeça lhe cai.

Quem cospe para o céu, cai-lhe na cara.

Quem cospe para o céu, na cara lhe cai.

Quem crê de ligeira, água colhe em peneira.

Quem crê de ligeira, água colhe em seio.

Quem crê de ligeiro, água lhe cai no seio.

Quem crê de ligeiro, água recolhe no seio.

Quem cria e não castiga, mal cria.

Quem cria, deve o ensino.

Quem cuida da ave no ninho, não abandona o pobrezinho.

Quem cuida da vida dos outros, se esquece da sua.

Quem cuida que atalha, rodeia.

Quem cura é a fé e não o pau da barca.

Quem dá a mão à pera, quer comer dela.

Quem dá a papa, lambe o dedo.

Quem dá a papa, os dedos lambe.

Quem dá a quem entende, não dá, que bem o vende.

Quem dá a quem o entende, não o dá que bem o vende.

Quem dá a tarefa, dá os meios.

Quem dá antes da morte, o diabo o coma.

Quem dá antes da morte, terá má sorte.

Quem dá ao pobre empresta a deus.

Quem dá ao pobre, empresta a Deus.

Quem dá aos pobres empresta a Deus.

Quem dá aos pobres, é estúpido porque fica com menos.

Quem dá aos pobres, empresta a Deus.

Quem dá aos pobres, empresta. Adeus.

Quem dá aos pobres, fica com menos.

Quem dá aos pobres, paga a conta do motel.

Quem dá bom exemplo, dá bom conselho.

Quem da carne alheia há de comer, da sua há de perder.

Quem dá com a língua nos dentes, pode a si mesmo morder.

Quem dá com a mão, dá de meias.

Quem dá depressa dá duas vezes.

Quem dá depressa, dá duas vezes.

Quem dá e (torna/volta) a tirar, ao inferno vai parar.

Quem dá e leva, sempre toma e dá.

Quem dá e não dá sempre, quanto dá, tanto perde.

Quem dá e sempre não dá, tanto perde quanto dá.

Quem dá é tio.

Quem dá e tira ao inferno vira.

Quem dá e tira para o inferno gira.

Quem dá e tira, ao inferno vai cair.

Quem dá e tira, ao inferno vai parar.

Quem dá e tira, fica corcunda.

Quem dá e tira, para o inferno gira.

Quem dá e toma fica corcunda.

Quem dá e toma, nasce-lhe uma corcova.

Quem dá e torna a pedir, ao inferno vai cair.

Quem dá e torna a pedir, rebenta como um funil.

Quem dá e torna a tirar, ao inferno vai parar.

Quem dá e torna a tomar, ao inferno vai parar.

Quem dá e torna a tomar, vira a corcunda para o mar.

Quem dá logo, dá duas vezes.

Quem dá mão à peta, comer quer dela.

Quem dá muito à taramela, não sabe nunca o que diz.

Quem dá muito, acanhadamente, obriga pouco.

Quem dá nó, não perde ponto.

Quem dá o beijo dá o queijo.

Quem dá o conselho, não dá o remédio.

Quem dá o mal, dá o remédio.

Quem dá o mogango, não se empacha nas pevides <=abóbora>.

Quem dá o pão dá a educação.

Quem dá o pão sem castigo, não vai ao paraíso.

Quem dá o pão, dá a educação.

Quem dá o pão, dá o castigo.

Quem dá o pão, dá o ensino.

Quem dá o pão, dá o pau.

Quem dá o que é seu a quem bem o entende, não o dá que bem o vende.

Quem dá o que é seu, sem ele se fica.

Quem dá o que lhe dão é amigo do coração.

Quem dá o que pode, a mais não é obrigado.

Quem dá o que pode, não é a mais obrigado.

Quem dá o que tem, a mais não é obrigado.

Quem dá o que tem, a pedir vem.

Quem dá o que tem, não fica a mais obrigado.

Quem dá o seu antes de morrer, aparelhe-se a bem sofrer.

Quem dá o ungüento, dá o trapinho.

Quem dá pão a cão alheio, perde o pão.

Quem dá pão dá criação.

Quem dá para receber, não dá.

Quem dá parece-se com deus.

Quem dá prontamente, dá duas vezes.

Quem dá, apanha.

Quem dá, bem vende, se não é ruim o que recebe.

Quem dá, com Deus se parece.

Quem dá, esquece; quem apanha, lembra.

Quem dá, rouba o coração.

Quem dá, se parece com Deus pelas costas.

Quem das ervas nasce, pelas ervas pasce.

Quem de Deus se aleixa, a Deus leixa.

Quem de doidice adoece, tarde ou nunca guaresce.

Quem de doidice enfermar, tarde ou nunca há de sarar.

Quem de escorpião está picado, a sombra o espanta.

Quem de golpe deita água na garrafa, mais derrama que colhe.

Quem de longe acena, de perto se condena.

Quem de longe vai à boda, pelo caminho a deixa toda.

Quem de loucura adoece, tarde ou nunca guarece.

Quem de loucura enferma, tarde sara.

Quem de mais alto nada, mais depressa se afoga.

Quem de mel se faz, abelhas o comem.

Quem de mel se faz, moscas o comem.

Quem de moço não morre, de velho não escapa.

Quem de muito quer saber, mexerico quer fazer.

Quem de nenhuma culpa se ofende, nenhum merecimento o obriga.

Quem de noite quer andar, o caminho quer errar.

Quem de noite quer cear, tarde vai buscar.

Quem de novo baila bem de velho jeito lhe tem.

Quem de novo é bonitinho, de velho tem um jeitinho.

Quem de novo não morre, de velho não escapa.

Quem de novo não vai de velho não escapa.

Quem de outrem se compadece, de si se lembra.

Quem de pobre não passa a rico não chega.

Quem de puta faz cabedal, vai acabar na cadeia ou no hospital.

Quem de ruim escarnece, seus filhos não vê.

Quem de sandice adoece, tarde ou nunca guarece.

Quem de sandice enfermou, nunca ou tarde sarou.

Quem de si faz lixo, pisam-no as galinhas.

Quem de todos é amigo, ou mui pobre, ou mui rico.

Quem de traça vive, traça o rói.

Quem de uma escapa, cem anos vive.

Quem de verde se veste, por formosa se tem.

Quem de vinho é amigo, cedo está perdido.

Quem de vinho fala, sede tem.

Quem debaixo d'água se cura, pouco dura.

Quem debaixo d'água se cura, sempre dura.

Quem defeitos ruins há, tarde ou nunca os perderá.

Quem deita vinho no caldo, de velho se faz menino.

Quem deixa a vila pela aldeia, venha-lhe má estreia.

Quem deixa de ser amigo, não o foi nunca.

Quem deixa de ser amigo, nunca o foi.

Quem deixa o certo pelo incerto, nas coisas do mundo é pouco esperto.

Quem demais avança, pouco alcança.

Quem demanda tem, a brados a mete.

Quem demanda tem, não dorme bem.

Quem demanda tiver, não dorme quando quer.

Quem demos compra, demos vende.

Quem depressa foi, depressa torna.

Quem depressa resolve, depressa se arrepende.

Quem depressa se cura, tarde sarou.

Quem depressa se determina, cedo se arrepende.

Quem depressa sobe, depressa cai.

Quem derradeiro nasce, primeiro chora.

Quem desconfia de tudo, adivinha metade.

Quem desconfia não é certo.

Quem desconfia não é sério.

Quem desconfia, fica sábio.

Quem desdenha não tem dinheiro para comprar.

Quem desdenha quer comprar.

Quem desdenha, quer comprar.

Quem desenforca, se enforca.

Quem despreza faltas pequenas, cairá nas grandes.

Quem despreza o pouco, não ama o muito.

Quem despreza um tostão não junta um milhão.

Quem deu seu nó, que o desate.

Quem deu, dará, e quem pediu, pedirá.

Quem Deus ama, cedo chama.

Quem devagar anda, pouco alcança.

Quem devagar promete, depressa cumpre.

Quem deve a Deus, paga ao diabo.

Quem deve a Pedro e paga a Gaspar, torna a pagar.

Quem deve a Pedro e pagou a Gaspar, torne a pagar.

Quem deve a quem me deve, a mim me deve.

Quem deve cem e tem cento e um, não teme a nenhum.

Quem deve, é porque tem crédito.

Quem deve, não dorme quando quer.

Quem deve, não embolsa.

Quem deve, não levanta a cabeça.

Quem deve, não repousa.

Quem deve, não tem razão.

Quem deve, ou pague, ou rogue.

Quem deve, paga.

Quem dia de entrudo não merenda ós mortos se encomenda.

Quem diabos compra, diabos vende.

Quem dinheiro quer cobrar, muitas voltas tem de dar.

Quem dinheiro tiver, fará o que quiser.

Quem dita tem, o vento lhe apanha a lenha.

Quem diz "ai", folga.

Quem diz a verdade, não janta cá hoje.

Quem diz a verdade, não merece castigo.

Quem diz a verdade, não peca nem mente.

Quem diz filho, diz tormento.

Quem diz filhos, diz tormentos.

Quem diz mal da coisa, esse a compra.

Quem diz mal de tudo, tema a desforra.

Quem diz mal do seu, mal calará o alheio.

Quem diz o que não deve, ouve o que não espera.

Quem diz o que não viu, arrisca-se a mentir.

Quem diz o que quer, ouve o que não gosta.

Quem diz o que quer, ouve o que não quer.

Quem diz que a pobreza é vileza, não tem o siso na cabeça.

Quem diz que dinheiro não dá felicidade não sabe onde fazer compras.

Quem diz seu segredo, mal calará o alheio.

Quem diz tudo quanto sabe, fica sem saber de nada.

Quem do escorpião está picado, a sombra o espanta.

Quem do escorpião foi picado, a sombra o espanta.

Quem do meu pirão come, leva do cinturão.

Quem do que lhe dói não der, não haverá o que quiser.

Quem do seu se desapossa antes da morte, dêem-lhe com um maço na fronte.

Quem dobrar o cabo Não, voltará ou não.

Quem dói o dente, vai à casa do barbeiro.

Quem dois desejos quer ter um deles hade perder.

Quem dois senhores espera um diabo aparece.

Quem dorme com criança acorda molhado.

Quem dorme com gato, acorda arranhado.

Quem dorme quente, pulgas não sente.

Quem dorme sem ceia toda a noite devaneia.

Quem dorme sem ceia toda a noite rabeia.

Quem dorme, come.

Quem dorme, descansa e deixa descansar.

Quem dorme, dorme-lhe a fazenda.

Quem dorme, engorda.

Quem dorme, não peca.

Quem dorme, não pega peixe.

Quem dos mesquinhos se compadece, de si se lembra.

Quem dos outros fala e murmura, pouco pensa e muito se aventura.

Quem dos seus se afasta, Deus o abandona.

Quem dos seus se afasta, Deus o deixa.

Quem dos seus se aparta, do remédio se alarga.

Quem dos seus se arreda dos alheios lhe vem mal.

Quem duas lebres caça, uma perde, a outra passa.

Quem duas vezes tropeça, à terceira quebra a cabeça.

Quem duma escapa sem anos vive.

Quem duma escapa, cem anos vive.

Quem duvida, não se engana.

Quem é amado, nunca é muito amante.

Quem é amigo de todos não o é de ninguém.

Quem é amigo de todos, não o é de ninguém.

Quem é amigo do vinho, de si mesmo é inimigo.

Quem é besta, é pai dos outros.

Quem é besta, pede a Deus que o mate e ao diabo que o carregue.

Quem é bom de contentar, menos tem que chorar.

Quem é bom de contentar, menos tem que esperar.

Quem é bom de contentar, raro tem que lastimar.

Quem é bom, já nasce feito, quem se quer fazer, não pode.

Quem é bom, já nasce feito.

Quem é bom, não se mistura.

Quem é bom, para si o é; quem é mau, para si o é.

Quem é burro vai pra pedreiro.

Quem é burro, peça a Deus que o mate, e ao diabo que o carregue.

Quem é cambaio, não estira o pé.

Quem é cornudo e consente, que o seja para sempre.

Quem é coxo, parte cedo.

Quem é de bom natural, ouve mais o bem que o mal.

Quem é de todos, não é de ninguém.

Quem é desconfiado não é fiel.

Quem é desconfiado, mora na ponta da rua.

Quem é desconfiado, não é fiel.

Quem é do chão, não trepa.

Quem é do mar, não enjoa.

Quem é fácil de contentar, menos tem que chorar.

Quem é fácil no amar, é fácil no aborrecer.

Quem é feio, volta pelo caminho que veio.

Quem é frade, não se casa.

Quem é guarda de muitas vinhas, nenhuma pode guardar.

Quem é infeliz, cai de costas e quebra o nariz.

Quem é inimigo da noiva, como dirá bem do noivo?.

Quem é mau na sua terra, mau é fora dela.

Quem é mau na sua vila, pior será em Sevilha.

Quem é mau, para si é; quem é bom, para si é.

Quem é mensageiro, não merece pancada.

Quem é moço, tem o couro grosso.

Quem é negro de nação, nem a poder de sabão.

Quem é o teu inimigo? É o oficial do teu ofício.

Quem é picado enão se sente não é filho de boa gente.

Quem é pobre de desejos é rico de contentamentos.

Quem é pobre, não tem vícios.

Quem é pobre, nem pão tem; quem é rico, passa bem.

Quem é pobre, peça a Deus que o mate, e ao diabo que o carregue.

Quem é preto de nação, nem a poder de sabão.

Quem é rico, tem amigos.

Quem é senhor do seu nariz, pode metê-lo onde quiser.

Quem é só, é senhor de si.

Quem é surdo, guarda segredo do que não ouve.

Quem é surdo, não conversa.

Quem é surdo, traz pajem.

Quem é teu inimigo? O oficial do teu ofício.

Quem é teu inimigo?O oficial do teu oficio.

Quem é teu irmão? O vizinho mais à mão.

Quem é tolo, pede a Deus que o mate, e ao diabo que o carregue.

Quem é tolo, pede a Deus que o mate, e ao diabo que o leve.

Quem é torto e mal se ajeita, tarde ou nunca se endireita.

Quem é valente e sua força esquece, roca na cintura ou albarda merece.

Quem é vivo sempre aparece.

Quem é vivo, sempre aparece.

Quem em Agosto ara, riqueza prepara.

Quem em amor semeia culpas, colhe penas.

Quem em boa terra semeia, cada dia tem boa estréia.

Quem em boa terra semeia, sempre terá boa estréia.

Quem em caça, guerra e amores se mete, não sairá quando quiser.

Quem em caça, política, guerra e amores se meter, não sairá quando quiser.

Quem em caminho leva pressa, em caminho chão tropeça.

Quem em cárceres vive, em cárceres quer morrer.

Quem em casa da mãe não atura, na da madrasta não espere ventura.

Quem em casa da mãe não atura, na da sogra não espere ventura.

Quem em casa deixa a cabeça, na praça perde o turbante.

Quem em doido se fia, mais doido é que ele.

Quem em mais alto nada, mais depressa se afoga.

Quem em mais alto nada, mais prestes se afoga.

Quem em mais alto nada, mais presto se afoga.

Quem em menino é pousado, será velho endiabrado.

Quem em muitas pedras bole, em uma se fere.

Quem em novo dança bem, em velho algum geito tem.

Quem em novo não trabalha, em velho come palha.

Quem em novo não trabalha, em velho dorme numa palha.

Quem em paço envelhece, em palheiro morre.

Quem em pedra duas vezes tropeça, merece que se quebre a cabeça.

Quem em pedra duas vezes tropeça, não é muito quebrar a cabeça.

Quem em pedra pousa, em pedra se torna.

Quem em pedra se senta, três vezes arrenega.

Quem em porta de cemitério canta, tropeça e não se levanta.

Quem em ruim parte tem a vinha, às costas tira a vindima.

Quem em sua casa folga com ajuntamento, tem siso sem fundamento.

Quem em terra alheia tem filho, morto o tem e espera-o vivo.

Quem em terra boa semeia, sempre tem boa estréia.

Quem em terra boa semeia, sempre terá boa estréia.

Quem em terra estranha tem filho, tem-no morto e espera-o vivo.

Quem em tudo sua mulher contenta, cornudo depressa se apresenta.

Quem em um ano quer ser rico, aos seis meses o enforcam.

Quem em um pecado falece, em todos é culpado.

Quem em velho engorda, de boa mocidade se logra.

Quem em vida se deserda, dá-se-lhe com um maço ou uma pedra.

Quem em vida se deserda, para si só tem merda.

Quem embarcou com o diabo, tem de navegar com ele.

Quem embica e não cai, caminho adianta.

Quem empresta a amigo, perde o dinheiro e o amigo.

Quem empresta a um amigo, cobra um inimigo.

Quem empresta ao amigo arranja um inimigo.

Quem empresta ao governo, dá adeus.

Quem empresta aos pobres, dá a Deus.

Quem empresta dinheiro, perde o amigo e o dinheiro.

Quem empresta, não cobra; se cobra, não logo; se logo, não tudo; se tudo, não tal, e se tal, inimigo mortal.

Quem empresta, não melhora.

Quem empresta, não presta.

Quem empresta, suas barbas arrepela.

Quem emprestou nunca melhorou.

Quem empunha o cetro é o responsável.

Quem encobre ladrão é ladrão e meio.

Quem encomendou o sermão, que o pague.

Quem encontra besta, não compra cavalo.

Quem engana ao ladrão, cem dias ganha de perdão.

Quem engana o ladrão, tem cem anos de perdão.

Quem engana o ladrão, tem cem dias de perdão.

Quem engorda o boi é o olho do dono.

Quem engorda os bois, é o olho do dono.

Quem entende o que fala, não fala no que não entende.

Quem enterra dinheiro, faz casa ao diabo.

Quem entra em casa feita ou se senta em mesa posta, não sabe o que custa.

Quem entra na roda, tem de dançar.

Quem entra no pilão vira paçoca.

Quem entrar no mar, não se afogar.

Quem envelhece, arrefece.

Quem erra e depois se emenda, a Deus se encomenda.

Quem erra e se emenda, a Deus se encomenda.

Quem errar por natureza, não acerta por razão.

Quem escorrega, também cai.

< operone >