< Portugiesische Sprichwörter >

Mais vale crédito na praça que dinheiro na arca.

Mais vale dar do que pedir.

Mais vale de roda ir que no charco cair.

Mais vale deitar-se sem ceia que levantar-se com dívidas.

Mais vale deixar a maus que pedir a bons.

Mais vale deixar a ricos que pedir a pobres.

Mais vale deixar na morte ao inimigo do que pedir na vida ao amigo.

Mais vale descoser que romper.

Mais vale dívida velha que tinha nova.

Mais vale dizer "bem fiz eu" do que "por aqui fiquei".

Mais vale dizer "bem fiz eu" do que "por aqui passei".

Mais vale dizer "bem fiz eu" do que "se eu soubera".

Mais vale dobrar que quebrar.

Mais vale duas vespas voando, do que uma na mão.

Mais vale duro que nenhum.

Mais vale emigrar que pregar.

Mais vale empregar a brandura que a violência.

Mais vale engenho que força.

Mais vale esperança boa que ruim posse.

Mais vale estar ao pé dum maninho que dum bom vizinho.

Mais vale estrada velha que vereda nova.

Mais vale estragar sapatos que lençóis.

Mais vale exemplo que doutrina.

Mais vale experiência que ciência.

Mais vale fazer-se desejar que ser importuno.

Mais vale ficar solteiro que casar sem ter dinheiro.

Mais vale ficar vermelho cinco minutos,que amarelo toda a vida.

Mais vale fidalgo morto que vilão vivo.

Mais vale filha mal casada que bem amancebada.

Mais vale fome que fastio.

Mais vale fugir que morrer.

Mais vale fumo em minha casa que fogo na alheia.

Mais vale ganhar no lodo que perder no ouro.

Mais vale ganhar no lodo que perder o ouro.

Mais vale guardar que pedir.

Mais vale guerra aberta que paz fingida.

Mais vale homem de palha que mulher de ouro.

Mais vale inimigo sabedor que amigo ignorante.

Mais vale inveja que piedade.

Mais vale ir de roda do que cair no charco.

Mais vale ir que mandar.

Mais vale jeito que força.

Mais vale lambendo que mordendo.

Mais vale laranja em Janeiro, que maçã de madureiro.

Mais vale lavrar o nosso ao longe que o alheio ao perto.

Mais vale ler um homem que dez livros.

Mais vale lograr um rico que um pobre.

Mais vale má avença que boa sentença.

Mais vale magro no mato que gordo na boca do gato.

Mais vale magro no mato que gordo no papo do gato.

Mais vale magro no ter que gordo no monturo.

Mais vale manha que força.

Mais vale mau acordo que boa demanda.

Mais vale mau ajuste que bom pleito.

Mais vale merecer honra e não a ter do que, tendo-a, não a merecer.

Mais vale migalha que pelo de barba.

Mais vale morena engraçada que branca desconsolada.

Mais vale morrer com honra que viver com desonra.

Mais vale morte que má sorte.

Mais vale morte que vergonha.

Mais vale não dizer nada do que nada dizer.

Mais vale não fazer nada do que fazer nadas.

Mais vale não prometer que prometer e faltar.

Mais vale néscio que porfiado.

Mais vale o "sim" tardio que o "não" vazio.

Mais vale o calar do mudo que o falar do mentiroso.

Mais vale o calar do mundo, que o falar do mentiroso.

Mais vale o calor do estômago que o pelo do melhor veludo.

Mais vale o cheiro que o gosto.

Mais vale o exemplo que a doutrina.

Mais vale o feitio que o pano.

Mais vale o jeito que a força.

Mais vale o mau conhecido que o bom por conhecer.

Mais vale o pouco honrado que o muito roubado.

Mais vale o rogo do amigo que o ferro do inimigo.

Mais vale o saber que dinheiro haver.

Mais vale o sim tardio, que o não vazio.

Mais vale obrar do que falar.

Mais vale onça de sangue que libra de amizade.

Mais vale paciência pequenina do que arrancos de leão.

Mais vale palmo de pano que pedaço de burel.

Mais vale pão com amor que galinha com dor.

Mais vale pão duro que figo maduro.

Mais vale pão duro que nenhum.

Mais vale pão duro, que nenhum.

Mais vale pão e água com amor que bom vinho e galinha com dor.

Mais vale pão hoje que galinha amanhã.

Mais vale passar sem jantar que dormir sem cear.

Mais vale paz que vitória.

Mais vale pedaço de pão com amor que galinha com dor.

Mais vale pedir e mendigar que na forca espernear.

Mais vale penhor na arca que fiador na praça.

Mais vale penhor que fiador.

Mais vale perder os anéis que os dedos.

Mais vale perder que mais perder.

Mais vale perder um gracejo que um amigo.

Mais vale perder um minuto na vida do que a vida num minuto.

Mais vale perder-se o homem que o nome, se ele é bom.

Mais vale perder-se o homem que o nome.

Mais vale pisado em pilão que comprado a tostão.

Mais vale pouco e acertado que muito e errado.

Mais vale pouco e bom que muito e mau.

Mais vale pouco que nada.

Mais vale precaução que arrependimento.

Mais vale prevenir (do) que remediar.

Mais vale prevenir do que remediar.

Mais vale prevenir que curar.

Mais vale prevenir que remediar.

Mais vale pronto recusar que falso prometer.

Mais vale prudência que ciência.

Mais vale puta na cama que na fama.

Mais vale qualidade do que quantidade.

Mais vale que deus ajuda do que quem cedo madruga.

Mais vale que sobeje do que falte.

Mais vale quem Deus ajuda do que quem (cedo/muito) madruga.

Mais vale quem Deus ajuda do que quem acorda com a pássara na mão.

Mais vale quem Deus ajuda do que quem acorda com a 'pássara' na mão.

Mais vale quem Deus ajuda do que quem cedo madruga.

Mais vale quem Deus ajuda do que quem muito madruga.

Mais vale quem faz do que quem traz.

Mais vale quem muito trabalha do que quem muito madruga.

Mais vale quem quer do que quem pode.

Mais vale querer que poder.

Mais vale recusar com graça que dar com grosseria.

Mais vale rico e com saúde do que pobre e doente.

Mais vale rodear que afogar.

Mais vale rosto vermelho que coração negro.

Mais vale roto que remendado.

Mais vale ruim acordo que boa demanda.

Mais vale ruim ajuste que boa demanda.

Mais vale ruim asno que asno ser.

Mais vale ruim avença que boa demanda.

Mais vale ruim avença que boa sentença.

Mais vale ruim cavalo que ter asno.

Mais vale ruim composição que boa demanda.

Mais vale ruim conselho que boa demanda.

Mais vale ruim pai que bom padrasto.

Mais vale sabedoria que força.

Mais vale saber que haver, e dar que receber.

Mais vale saber que haver.

Mais vale saber que ter.

Mais vale salteador que sai à estrada que namorado que ajoelha.

Mais vale salto de mata que rogos de homens bons.

Mais vale saúde boa que pesada bolsa.

Mais vale saúde que riqueza.

Mais vale sê-lo que parecê-lo.

Mais vale sentir fome que sofrer de fastio.

Mais vale ser cabeça de burro que rabo de leão.

Mais vale ser desejado que importunado.

Mais vale ser enganado do que ser morto e enterrado.

Mais vale ser feliz numa cabana que infeliz num castelo.

Mais vale ser feliz que rico.

Mais vale ser invejado que compadecido.

Mais vale ser invejado que lamentado.

Mais vale ser invejado que lastimado.

Mais vale ser marido enganado que enterrado.

Mais vale ser mulher de ninguém que amante de alguém.

Mais vale ser que parecer.

Mais vale ser rabo de pescada que cabeça de sardinha.

Mais vale ser rico e saudável que pobre e doente.

Mais vale só que mal acompanhado.

Mais vale só que male acompanhado.

Mais vale sofrer a ingratidão que faltar aos miseráveis.

Mais vale sofrer muitas injúrias do que fazer uma.

Mais vale soga vazia que má compradoria.

Mais vale solteiro andar que mal casar.

Mais vale suar que enfermar.

Mais vale suar que gemer.

Mais vale suar que tremer.

Mais vale tarde do que muito mais tarde.

Mais vale tarde do que nunca.

Mais vale tarde que nunca.

Mais vale ter amigos na praça do que dinheiro na arca.

Mais vale ter graça do que ser engraçado.

Mais vale ter que poder.

Mais vale ter um pássaro na mão do que dois a voar.

Mais vale ter uma na mão que duas no soutien.

Mais vale tico-tico no prato que jacu no mato.

Mais vale toda a vida solteira que uma hora mal casada.

Mais vale um "avache" que dois te "darei".

Mais vale um "não" a tempo que um "sim" retardado.

Mais vale um "toma" que dois "te darei".

Mais vale um amigo na praça que dinheiro em caixa.

Mais vale um amigo próximo que um parente afastado.

Mais vale um ano à volta que nunca a casa.

Mais vale um asno vivo que um doutor morto.

Mais vale um bom amigo que honra de parente.

Mais vale um bom amigo que parente ou primo.

Mais vale um bom desengano que toda a vida andar enganado.

Mais vale um burro vivo que um doutor morto.

Mais vale um cachorro amigo do que um amigo cachorro.

Mais vale um cachorro amigo que um amigo cachorro.

Mais vale um carneiro nosso que um rebanho da sociedade.

Mais vale um dia de amores que dez anos de latim.

Mais vale um dia do discreto que cem do néscio.

Mais vale um gosto do que seis vinténs.

Mais vale um gosto na vida que seis (reis/vinténs) na algibeira.

Mais vale um gosto na vida que seis vinténs na algibeira.

Mais vale um gosto que quatro vinténs.

Mais vale um hoje que dois amanhã.

Mais vale um inimigo sábio que um amigo ignorante.

Mais vale um jumento vivo que um filósofo morto, mas é melhor morrer como filósofo do que viver como jumento.

Mais vale um jumento vivo que um filósofo morto.

Mais vale um mau acordo do que uma boa demanda.

Mais vale um mau acordo que um bom pleito.

Mais vale um mau acordo que uma boa (sentença/demanda).

Mais vale um mau acordo que uma boa sentença.

Mais vale um ovo hoje que galinha amanhã.

Mais vale um ovo hoje que uma galinha amanhã.

Mais vale um pão com Deus que dois com o diabo.

Mais vale um passarinho na mão que dois que vão voando.

Mais vale um passarinho na mão que dois voando.

Mais vale um pássaro na mão do que dois a voar.

Mais vale um pássaro na mão do que dois voando.

Mais vale um passaro na mão que dois a voar.

Mais vale um pássaro na mão que dois a voar.

Mais vale um pássaro na mão que dois no caixão.

Mais vale um pássaro na mão que dois que voando vão.

Mais vale um pássaro na mão que dois voando.

Mais vale um pé do que duas muletas.

Mais vale um pé no travão que dois no caixão.

Mais vale um pé que duas muletas.

Mais vale um que bem mande do que dois que mal façam.

Mais vale um que bem mande que dois que bem façam.

Mais vale um que bem mande que dois que mal façam.

Mais vale um raio de sol que um arratel de sabão.

Mais vale um rapaz sem nada que um velho com dinheiro.

Mais vale um roto a um descosido.

Mais vale um ruim macho que um bom burro.

Mais vale um sim tardio, que um não vazio.

Mais vale um solto apeado que um preso montado.

Mais vale um tico-tico no prato que um jacu no mato.

Mais vale um toma do que dois te darei.

Mais vale um 'toma' do que dois 'te darei.

Mais vale um toma que dois ?te darei?.

Mais vale um vizinho à mão que ao longe nosso irmão.

Mais vale um vizinho à mão que longe o nosso irmão.

Mais vale uma aguilhoada que cem arres.

Mais vale uma aguilhoada que dois arres.

Mais vale uma boa avença que uma má sentença.

Mais vale uma casa na vila que duas no arrabalde.

Mais vale uma esperança tarde que um desengano cedo.

Mais vale uma hora de bom vento que vale tudo.

Mais vale uma hora do sábio que a vida inteira do tolo.

Mais vale uma hora vermelho que amarelo toda a vida.

Mais vale uma mão inchada do que uma enxada na mão.

Mais vale uma onça de liberdade que dez libras de ouro.

Mais vale uma palavra antes que duas depois.

Mais vale uma perna que duas muletas.

Mais vale uma perna sã que duas muletas.

Mais vale uma pitomba na mão que cem no pé.

Mais vale uma proposta ao pé das searas que uma questão na eira.

Mais vale uma testemunha de vista que dez de ouvido.

Mais vale uma vista do dono que cem braços do abegão.

Mais vale uma vista do dono que cem brados do abegão.

Mais vale uma vista do dono, que cem brados do abegão.

Mais vale vaca em paz que pombo em guerra.

Mais vale verde no meu papo que maduro no alheio.

Mais vale verde no meu papo, que maduro no papo alheio.

Mais vale vergonha na cara que mágoa no coração.

Mais vale vergonha no rosto que mágoa no coração.

Mais vale vinagre dado que mel comprado.

Mais vale vinagre dado que mel emprestado.

Mais vale vizinho à mão que ao longe nosso irmão.

Mais vale volta na chave que conselho de frade.

Mais valem alimpaduras na minha eira que o trigo na tulha alheia.

Mais valem amigos na praça que dinheiro na arca.

Mais valem dois bocados de vaca que sete de batata.

Mais valem dois bocados de vaca que sete de pata.

Mais valem duas pernas que três andas.

Mais valem lágrimas da derrota que a vergonha de não ter lutado.

Mais valera, melhor era.

Mais vêem dois olhos que um.

Mais vêem quatro olhos que dois.

Mais velha é a igreja, e vão a ela.

Mais velho que a onça.

Mais velho que a sarna.

Mais velho, mais bobo.

Mais vive no mundo a sarna do que viveu Sara.

Mais vozes que nozes.

Mal alheio dá conselho.

Mal alheio dá consolo.

Mal alheio de cabelo pende.

Mal alheio não cura minha dor.

Mal alheio não pesa a quem não o tem.

Mal alheio pesa como um cabelo, por grande que seja.

Mal alheio pesa como um cabelo.

Mal anda quem mal cura.

Mal casada é a mulher que não pare.

Mal com ele, pior sem ele.

Mal com mal se cura.

Mal com mal se paga.

Mal conhecido com o seu dono morre.

Mal dá quem não há.

Mal daqui, pior dali.

Mal de amor não tem cura.

Mal de aqui, pior de ali.

Mal de cada dia chega-me a negros dias.

Mal de carro, pior de arado.

Mal de muitos conforta a todos.

Mal de muitos consolo é.

Mal de muitos é desgraça grande.

Mal de muitos é peste.

Mal de muitos gozo é.

Mal de muitos meu conforto é.

Mal de muitos, triste consolo.

Mal descoberto descobre a saúde.

Mal desconhecido com o seu dono morre.

Mal é acabar-se o bem.

Mal é dizer que o cão é danado.

Mal é o acabar-se o bem.

Mal é ser amo, mas pior é ter amo.

Mal é ter os olhos maiores que a barriga.

Mal fechado, mal guardado.

Mal finge quem quer bem.

Mal ganho, mal gasto.

Mal haja o caçador doido que gasta a vida com um pássaro.

Mal haja o ventre que do bem não tem mentes.

Mal haja o ventre que do pão comido se esquece.

Mal haja quem calvo penteia.

Mal haja quem de mim mal diz, mas mais quem mo traz ao nariz.

Mal havendo e bem esperando, vai-se-me o tempo e não sei quando.

Mal ladra o cão, quando ladra de medo.

Mal largo, morte no cabo.

Mal maior é o que se encobre que o que se descobre.

Mal me querem as comadres por lhes dizer as verdades.

Mal me querem as comadres, porque lhes digo as verdades.

Mal me querem minhas comadres, porque lhes digo as verdades.

Mal me serves, pior te pagarei.

Mal não julga quem mal não cuida.

Mal o haja quem mal de mim diz e quem mo vem trazer ó nariz.

Mal ou bem, com os teus te avém.

Mal pensa quem não repensa.

Mal pequenino, antes em mim que em meu marido.

Mal por mal não se deve dar.

Mal por mal, antes cadeia que hospital.

Mal por mal, antes dar a lã que o carneiro.

Mal por mal, antes justiça que misericórdia.

Mal por mal, antes na cadeia do que no hospital.

Mal por mal, antes pombal.

Mal por mal, melhor era o de ontem.

Mal por mal, pedra por cabeçal.

Mal por mal, venha o diabo e escolha.

Mal prolongado, morte no cabo.

Mal que não se pode remediar, aligeira-o a paciência.

Mal que não tem cura é loucura.

Mal que não tem cura, chama-se loucura.

Mal que não tem cura, é velhice e loucura.

Mal que se ignora, coração não chora.

Mal que se ignora, coração que não chora.

Mal reparável sem custo se consola.

Mal sabe falar quem não sabe calar.

Mal sabe o tolo como é bom o bolo.

Mal se apaga o fogo com a estopa.

Mal se dói o farto do faminto.

Mal se dói o farto do pobre faminto.

Mal se dói o farto, do faminto.

Mal se dói o forte e rico do pobre faminto.

Mal se pode dizer o muito em pouco.

Mal te aconselha quem do trabalho se afasta.

Mal vai à casa onde a roca manda à espada.

Mal vai a casa onde a roca manda mais que a espada.

Mal vai à casa onde a roca manda mais que a espada.

Mal vai à corte onde o boi tosse.

Mal vai à corte onde o boi velho não tosse.

Mal vai à gente casada onde a roca manda à espada.

Mal vai à grande fortuna, se a economia não dirige.

Mal vai a Portugal se não houver três cheias antes do Natal.

Mal vai à raposa quando anda aos grilos e pior quando anda aos ovos.

Mal vai à raposa quando anda aos grilos.

Mal vai ao fuso, quando a barba não anda em cima.

Mal vai ao passarinho na mão do menino.

Mal vai ao rato que conhece um só buraco.

Mal vai ao rato que não sabe mais que um buraco.

Mal vai quem sempre empiora.

Mal virá que bem se fará.

Mal viver, mal acabar.

Malandro é o gato, que já nasce de bigode.

Malandro não estrila.

Maldito dente que come a semente.

Maldito é o homem que doutro se fia.

Maldito seja quem nisso põe malícia.

Males a males sucedem.

Males dos nossos avós, quem os faz são eles, quem os paga somos nós.

Malha no ferro enquanto está quente.

Malha o ferro enquanto está quente.

Malhais em mim como em centeio verde.

Malhar em ferro frio.

Malhar no ferro é enquanto está quente.

Malha-se o ferro enquanto está quente.

Maluco não fica velho.

Mamoneira não dá mamão, dá mamona.

Manda bater no sino!.

Manda e descuida, não se fará coisa nenhuma.

Manda e faz, servido serás.

Manda e faze-o, tirar-te-á cuidado.

Manda homem discreto e nada lhe diga.

Manda o amo ao moço e ao gato, este só manda ao rato.

Manda o amo ao moço, o moço ao gato, e o gato ao rato.

Manda o sábio com a embaixada, e não digas mais nada.

Manda quem pode, obedece quem deve.

Manda quem pode, obedece quem precisa.

Manda quem pode, obedece quem serve.

Manda quem pode, obedece quem tem juízo.

Manda quem pode.

Mandar não quer par.

Mandar plantar batatas.

Mande bem, mande mal, mande um só.

Mangangá também ronca; vai-se ver, não é ninguém.

Manhã com arco mal vai o barco.

Manhã com arco mal vai o barco. se à tarde vem, é p'ra teu bem.

Manha de açougue, quem mal fala, pior ouve.

Manha de cavalo só o dono conhece.

Manhã de névoa, tarde de sesta.

Manhã de névoa: tarde de sesta.

Manhã de nevoeiro, tarde de calmeiro.

Manhã de nevoeiro, tarde de sol soalheiro.

Manhã de nevoeiro, tarde de sol.

Manhã ruiva, ou vento, ou chuva.

Manso e manso, sem pressa caminhai; quem manso anda, não cansa e longe vai.

Manta e cobertor, não para bom bebedor.

Manteiga em focinho de cão.

Mantenha-me Deus onde estão os meus.

Manuel, Manuel, não tens abelhas e vendes mel.

Mão de ferro em luva de veludo.

Mão de mestre mezinha é.

Mão de mestre não suja ferramenta.

Mão fria, coração quente.

Mão fria, coração quente: amor para sempre.

Mão lavada sujidade tira.

Mão no peito e pé no leito.

Mão para lá, mão para cá.

Mão posta ajuda é.

Mão quente, coração frio: amor vadio.

Mão segura não treme.

Mão sobre mão, como mulher de escrivão.

Mão vai, mão vem.

Mãos à obra!.

Mãos beija o homem que quisera ver cortadas.

Mãos brancas não magoam.

Mãos de mais, trabalho de menos.

Mãos de mestre ungüento são.

Mãos de oficial, envoltas em cendal.

Mãos frias coração quente, amor para sempre.

Mãos frias, coração quente (amor ardente/ amor para sempre).

Mãos frias, coração quente (amor ardente/amor para sempre).

Mãos frias, coração quente, amor ardente.

Mãos frias, coração quente, amor para sempre.

Mãos frias, coraçao quente, amor pra sempre.

Mãos frias, coração quente.

Mãos generosas, mãos poderosas.

Mãos na roca, olhos na porta.

Mãos que não dais, o que esperais?.

Mãos quentes, coração frio amor vadio.

Mãos quentes, coração frio, amor vadio.

Marcar passo.

Março chuvoso: S. João Gostoso.

Março liga a noite com o dia, o Manel co'a Maria, o pão com o pato e a erva com o sargaço.

Março marçagão, de manhã inverno, à tarde verão.

Março marçagão: pela manhã, cara de anjo; à noite, cara de ladrão.

Março zangado é pior que o diabo.

Março, Marçagão de manhã Inverno de tarde Verão.

Março, marçagão, de manhã cara de rainha, de tarde corta com a foucinha.

Março, marçagão, de manhã Inverno, à tarde Verão.

Março, marçagão, manhã de inverno, tarde de verão.

Maria casada, hajam as outras má fada.

Maria de bons pés, fui correndo.

Maria lambiça, quanto vê, quanto cobiça.

Maria Nabiça, tudo que vê, tudo cobiça.

Maria que a alto fia o fuso lhe cai.

Maria que em casa fica, se não come, depenica.

Maria vai com as outras, se não cantares, bailarás.

Maria vai com as outras.

Maria, antes com um olho só que com um filho.

Maria, faz por ser boa, que a tua fama longe toa.

Maria, Maria, acordar, que é dia.

Maribondo pequenino já mostra que tem ferrão.

Marido ataviado, mulher ao lado.

Marido banana e efeminado depressa emparelha com o veado.

Marido barca, mulher arca.

Marido de mulher feia sempre acorda assustado.

Marido que fala como mulher, Deus me livre dele.

Marido sem cuidado e casa sem telhado, de graça é caro.

Marido velho e mulher nova, ou corno ou cova.

Marido velho, mulher nova, filho na certa.

Marido, antes com um olho só que com um filho.

Marido, não vejas; mulher, cega não sejas.

Marido, ou nunca o ter, ou nunca o perder.

Marinheiro de água doce.

Marrada de vaca velha não derruba marruá.

Marta, piedosa, mastiga o ovo aos enfermos.

Martelar em ferro frio.

Martinho bebe o vinho, deixa a água para o moinho.

Más fadas, carpi-las depressa.

Más notícias chegam depressa.

Más notícias voam.

Mas se está claro, cheio de luz, haja alegria, que o tempo é de truz.

Más suspeitas destroem as verdades.

Mascarado de doutor anda por aí muito burro zurrador.

Mastigar marmelada para os tísicos.

Mata a sede à terra, que ela te matará a fome.

Mata a sede ao sequioso, Deus te será caridoso.

Mata o cavalo da sela, e bom é o asno que me leva.

Mata o lobito enquanto é pequenito.

Mata o teu porco, e conhece teu corpo.

Mata o teu porco, se queres ver o teu corpo.

Mata o urso antes de vender-lhe a pele.

Mata primeiro o elefante e depois arranca-lhe os pelos da cauda.

Matamos o tempo, o tempo nos enterra.

Matar a cobra e mostrar o pau.

Matar a galinha dos ovos de ouro.

Matar a galinha para comer o ovo.

Matar a galinha que põe ovos de ouro.

Matar a vaca para comer o boi.

Matar cachorro a grito.

Matar dois coelhos com uma (cajadada/paulada) (só).

Matar dois coelhos com uma cajadada.

Matar dois coelhos de uma só cajadada.

Matar dois pássaros com uma pedra.

Matar o bicho.

Matar um coelho com duas (cajadadas/pauladas).

Mata-se a cobra, mas não o veneno.

Mate dois coelhos com uma cajadada.

Matei quem me estava matando.

Mate-me Deus em terra grande.

Mateus, primeiro os teus.

Mateus, primeiros os meus, depois os teus.

Mato e rio, Deus mo dê por vizinho.

Mato verde não dá boa lenha.

Matos têm olhos e paredes têm ouvidos.

Matos têm olhos, paredes têm ouvidos.

Matrimônio e senhorio não querem fuga nem brio.

Matrimônio, praça sitiada: os de fora querem entrar, os de dentro querem sair.

Matuto, abrindo a boca, ou entra mosca ou sai besteira.

Mau amo hás de aturar, com medo de empiorar.

Mau amo hás de aturar, com medo de piorar.

Mau amo hás de guardar, com medo de piorar.

Mau caminho leva o juiz, quando vai para a forca.

Mau capelão, mau sacristão.

Mau capelão, pior sacristão.

Mau de carro, pior de arado.

Mau é desejar sem trabalho.

Mau é dizer que o cão é danado.

Mau é não batalhar, e pior querer justificá-lo.

Mau é o cão que não come a carne que lhe dão.

Mau é o rico avarento, porém pior é o pobre soberbo.

Mau é o romeiro que diz mau do seu bordão.

Mau é quem de todos descrê.

Mau é ter moço, mas pior é ter amo.

Mau é ter os olhos maiores que a barriga.

Mau é tomar gosto.

Mau ou bom, teu genro sou.

Mau pão, não o comas, nem o dês a teu irmão.

Mau parto, filha ao cabo.

Mau princípio, pior fim.

Mau recado perdeu o seu asno.

Mau rei, bom rei, a toda lei viva el-rei.

Mau virá que bom me fará.

Mau virá que bom te fará.

Maus bofes e boa cara, serão bons, mas coisa rara.

Maus caminhos, maus encontros.

Maus vizinhos, todos são uns.

Mede cem vezes e corta uma.

Mede o passo conforme a perna.

Medem-se as torres pela sombra e os grandes homens pelo número de invejosos.

Mede-se a água conforme o fubá que se tem.

Mede-se o passo conforme a perna.

Médico velho, advogado novo.

Médico velho, cirurgião moço, boticário coxo.

Médico, cura-te a ti mesmo!.

Médico, cura-te a ti próprio!.

Médicos de Valência: grandes fraldas, pouca ciência.

Medida cheia derrama.

Medir a todos pela mesma rasoura.

Medo há Paio, pois reza.

Medo haverei, mas bom nunca serei.

Medra o trigo debaixo da neve como o carneiro debaixo da pele.

Meia só para os pés.

Meia vida é a candeia e pão e vinho a outra meia.

Meia vida é a candeia, e pão e vinho a outra meia.

Meio barro, meio tijolo.

Meio-dia em ponto quem não jantar fica tonto.

Meio-dia, barriga vazia; panela ao lume é o nosso costume.

Meio-dia, panela no fogo, barriga vazia.

Meio-dia: quem não almoça, assobia.

Mel a peso, melancia a olho.

Mel não é para boca de jegue.

Mel nos beiços, fel no coração.

Mel novo, vinho velho.

Mel se achaste, come o que baste.

Mel, se o achares, come o que baste.

Mel, se o achaste, come o que baste.

Melão a peso, melancia a olho.

Melão e casamento são coisas de acertamento.

Melão e mulher pelo rabo difíceis são de conhecer.

Melão e mulher pelo rabo se hão de conhecer.

Melão e mulheres, maus são de conhecer.

Melão é pão.

Melão e queijo tomá-los a peso.

Melão e queijo, tomá-los a peso.

Melão pede vinho de tostão; melancia pede água fria.

Melhor acender uma vela no escuro do que praguejar contra a escuridão.

Melhor acertar com poucos que errar com muitos.

Melhor agastar um cão que uma velha.

Melhor antes que depois.

Melhor calar que mal falar.

Melhor deitar sem jantar que acordar com dívida.

Melhor dobrar que quebrar.

Melhor é a galinha da minha vizinha que a minha.

Melhor é alguma coisa que nada.

Melhor é ano tardio que vazio.

Melhor é beijar inimigos que pedir a amigos.

Melhor é calar que falar mal.

Melhor é calar que mal falar.

Melhor é chorar com os sábios que rir com os néscios.

Melhor é comprar do que pedir emprestado.

Melhor é comprar que rogar.

Melhor é curar gafeira que casa inteira.

Melhor é curar goteira que casa inteira.

Melhor é dar a ruins que pedir a bons.

Melhor é deixar a inimigos que pedir a amigos.

Melhor é dente podre que cova na boca.

Melhor é descoser que romper.

Melhor é desejo que fastio.

Melhor é dívida nova que pecado velho.

Melhor é dizer "bem fiz eu!" do que "se eu soubesse..".

Melhor é dobrar que quebrar.

Melhor é dormir coberto com ataca que ficar parvo de marca.

Melhor é errar com muitos que acertar com poucos.

Melhor é errar com muitos que acertar sozinho.

Melhor é estar só que mal acompanhado.

Melhor é experimentá-lo que julgá-lo, mas julgue-o quem não pode experimentá-lo.

Melhor é fazer agastar um cão que uma velha.

Melhor é fazer debalde que estar debalde.

Melhor é fumo na minha casa que fogo na alheia.

Melhor é inimigo do bom.

Melhor é mau concerto que boa demanda.

Melhor é mau mancebo que feixe de lenha.

Melhor é merecer sem ter que ter sem merecer.

Melhor é migalha de rei que mercê de senhor.

Melhor é mudar conselho que perseverar no erro.

Melhor é muitos poucos que poucos muitos.

Melhor é não começar o que não se pode acabar.

Melhor é o ano tardio que o cedo vazio.

Melhor é o meu ,que o nosso.

Melhor é o meu que o nosso.

Melhor é palha que nada.

Melhor é pão duro que figo maduro.

Melhor é pão duro que nenhum.

Melhor é penhor na mão que mágoa no coração.

Melhor é penhor na mão que mágoa no rosto.

Melhor é penhor na mão que vergonha no rosto.

Melhor é perder por temporão que por serôdio.

Melhor é pobreza honrada que riqueza envergonhada.

Melhor é prevenir que remediar.

Melhor é prevenir que ser prevenido.

Melhor é recusar de pronto que falso prometer.

Melhor é rodear que mal andar.

Melhor é rosto vermelho que coração negro.

Melhor é roto que alheio.

Melhor é sapato roto que pé formoso.

Melhor é ser invejado que lamentado.

Melhor é ser invejado que misericordiado.

Melhor é ser torto que cego de todo.

Melhor é só que mal acompanhado.

Melhor é torcer que quebrar.

Melhor é um pão com Deus que dois com o demo.

Melhor é um pão com Deus que dois com o diabo.

Melhor é um passarinho na mão que dois que vão voando.

Melhor é uma casa na vila que duas no arrabalde.

Melhor é vergonha na cara que mágoa no coração.

Melhor é vergonha no rosto que mágoa no coração.

Melhor é volta que revolta.

Melhor errar com muitos que acertar com poucos.

Melhor escorregar com o pé que com a língua.

Melhor escorregar com os pés que com a língua.

Melhor estou aqui do que no lugar onde nasci.

Melhor fará Deus.

Melhor me parece teu jarro amolgado que o meu são.

Melhor parece filha mal casada do que amancebada.

Melhor pedir do que roubar.

Melhor perder um minuto da vida do que a vida em um minuto.

Melhor prevenir que remediar.

Melhor que tolo amigo é assisado inimigo.

Melhor sabe o descansar depois de muito trabalhar.

Melhor se enforca quem pior se casa.

Melhor se guarda o que se ganha com trabalho.

Melhor se ouvem cinco que falam do que cem que se calam.

Melhor torcer que quebrar.

Melhor vergar que quebrar.

Melhoramos em virtude, quando pioramos em saúde.

Melhoram-se as plantas pela cultura, os homens pela educação.

Melro-de-bico-amarelo come a semente e o farelo.

Melros e pardais, todos iguais.

Melros e pardais, todos querem ser iguais.

Menina e vinha muito custam a guardar.

Menina e vinha, peral e faval, maus são de guardar.

Menino bolsador, menino engordador.

Menino bom não se cria.

Menino de velho fica órfão cedo.

Menino e bezerrinho no verão têm frio.

Menino e borracho Deus põe a mão por baixo.

Menino e moço, antes manso que formoso.

Menino e sino, só com pancada.

Menino engorda para crescer, e velho, para morrer.

Menino farto não é comedor.

Menino farto não é corredor.

Menino que come e canta, não tem amor à garganta.

Meninos e passarinhos, à janela dos vizinhos.

Meninos e passarinhos, em casa dos vizinhos.

Menos espuma e mais chocolate.

Menos falar, menos errar.

Menos mal é culpa própria do que ajudar a alheia.

Menos oferecimentos e mais serviços.

Menos se mentiria, se de mentir se pagasse sisa.

Menos vale, às vezes, o vinho que a borra.

Menos vale, às vezes, o vinho que as borras.

Mensageiro não merece pancadas.

Mente bem quem de longe vem.

Mente com quantos dentes tem na boca.

Mente mais do que dá pelo amor de Deus.

Mente Marta como sobrescrito de carta.

Mente Pedro porque o tem de vezo.

Mente que fede.

Mente quem dá com a lingua no dente.

Mente quem dá com a língua no dente.

Mente sã em corpo são.

Mente vazia, oficina do Diabo.

Mentir como cesto roto.

Mentir e comer pescada pedem cuidado.

Mentir nem zombando.

Mentir, nem brincando.

Mentir, nem zombando.

Mentira de caçador sempre foi a maior.

Mentira não paga sisa.

Mentira tem perna curta e verdade anda a cavalo.

Mentira tem perna curta, mais corre que é uma desgraça.

Mentira tem perna curta.

Mentira tem pernas curtas.

Mentiras de caçadores são as maiores.

Mentiras de caçadores, não as há maiores.

Mercador afidalgado, nunca medrado.

Mercador fidalgo nunca verás medrado.

Mercadoria barata roubo é da bolsa.

Mercadoria barata, roubo das bolsas.

Mercadoria boa e barata alguma malícia tem, roubo é da bolsa.

Mercadoria exposta é meio vendida.

Mercadoria que agrada é meio vendida.

Mercar homem bom é grã riqueza, mal comprar não é largueza.

Mercúrio não se faz de todo pau.

Merda seca não pega em cu lavado.

Merda, quanto mais se mexe, mais fede.

Merece primeiro, pede em seguida.

Merecer o cordel na forca.

Merecer o pão que come.

Merenda comida, companhia desfeita.

Merenda comida.. companhia desfeita.

Merenda feita, companhia desfeita.

Mesa acabada, companhia desfeita.

Mesa feita, companhia desfeita.

Mesa posta e casa varrida, hóspede espera.

Mesa redonda não tem cabeceira.

Mesa sem pão é mesa de vilão.

Mesa sem pão.. é mesa de vilão.

Mesmo à casa de teu irmão, não vás a cada serão.

Mesmo cansado ainda longe se pode andar.

Mesmo o mais humilde pode prestar-nos serviços.

Mesmo quando já não há invejosos, há inveja.

Mesmo se o teu sabujo for manso, não o mordas no beiço.

Mesmo um cego vê isso.

Mesquinho inseto, às vezes, de repente, presta ao homem serviço onipotente.

Mestre em todas as artes é burro em todas as partes.

Mestre fora, dia santo em casa.

Mestre fora, dia santo na loja.

Mestre manda, marinheiro faz.

Metade da obra tem feito quem começa bem e com jeito.

Metade da obra tem feito quem começa com tempo.

Metade do ano, com arte e engano; outra metade, com engano e arte.

Metade do pagar é o agradecer.

Mete a gente em sua casa quem nos ponha fora dela.

Mete a mão em teu seio, não dirás do fado alheio.

Mete a mão no próprio seio, não dirás do fado alheio.

Mete o ruim em teu palheiro, quererá ser teu herdeiro.

Mete o ruim no palheiro, quererá ser teu herdeiro.

Mete o touro no laço que asinha vem o prazo.

Metei-me em réstia, que cebolinha eu sou.

Metei-vos onde vos não chamam.

Meter a viola no saco.

Meter o carro adiante dos bois.

Meter o nariz onde não é chamado.

Meter o nariz onde não lhe compete.

Meter o rabo entre as pernas.

Meter os cães na moita e ficar de fora.

Meter uma lança em África.

Meter uma rolha na boca.

Meter-se a fogueteiro, sem saber rolar taboca.

Meter-se com a sua vida é sempre a melhor partida.

Meter-se de gorra com alguém.

Meter-se em assados.

Meter-se em camisa de onze varas.

Meter-se em cavalarias altas.

Meter-se nas conchas.

Meter-se onde não o chamam.

Meteu os cães na moita e afastou-se fora.

Meu Deus, Santo Cornudo, pai, mãe, filhos e tudo.

Meu dinheiro é manso, não o quero fazer bravo, emprestando-o.

Meu dinheiro é manso, não o quero fazer bravo.

Meu dinheiro visto, estou eu benquisto.

Meu dinheiro, teu dinheiro, vamos à taberna.

Meu dito, meu feito.

Meu filho esforçado, não o cerquem quatro.

Meu filho esforçado, não o erguem quatro.

Meu filho Pedro, antes mestre que discípulo.

Meu filho virá barbado, mas nem parido, nem emprenhado.

Meu filho, meu tesouro.

Meu preto não gosta de favas, favas no preto.

Meu ventre cheio, sequer de feno.

Meus amigos, não há amigos.

Meus filhos criados, meus males dobrados; meus filhos casados, meus males acrescentados.

Meus filhos criados, meus trabalhos dobrados.

Meus filhos em casa, tudo se abrasa.

Mexer em casa de maribondo.

Mexer em vespeiro.

Migalhas de frade muitas vezes sabem bem.

Migalhas de pão em capelo de frade.

Migalhas também é pão.

Miguel, Miguel, não tens abelhas e vendes mel?!.

Mija um português, mijam dois ou três.

Mijar claro e falar direito.

Mijar claro, dar uma figa ao médico.

Mijar fora do penico.

Mijar fora do testo.

Mijar-se de medo.

Mil amigos, pouco; um inimigo, demais.

Mil conhecidos não valem um amigo.

Mil vezes cai quem não se precata.

Mineração e eleição só depois da apuração.

Minha arca cerrada, minha alma sã.

Minha boca é um botão.

Minha casa e meu lar, mil dobras de ouro vale, e estimou-se mal, porque mais vale.

Minha casa, meu lar, cem soldos vale; e estimou-se mal, porque mais vale.

Minha casinha, meu lar, não há um melhor lugar, quem me dera lá estar.

Minha comadre andadora, tirando a sua casa, em todas as outras mora.

Minha comadre andeja, não há casa em que não a veja.

Minha comadre tem ofício de rã: bebe e palra.

Minha filha Teresa tanto vê, quanto deseja.

Minha filha Teresa, um diabo a toma, outro a deixa.

Minha mãe a castigar-me, e eu com o pião às voltas.

Minha mãezinha, que coisa é casar? Filha, é sofrer, parir, chorar.

Minha porta fechada, minha cabeça guardada.

Miragem que espante vento do levante.

Missa e maré se espera ao pé.

Missa e pimento são fraco alimento.

Missa nem cevada, não estorva jornada.

Misturar alhos com bugalhos.

Misturar verdes com maduras.

Moça bonita deixa o amargo doce.

Moça bonita é farofeira.

Moça com velho casada como velha se trata.

Moça de meijão não dorme sono nem serão.

Moça é Maria, quando se tosquia.

Moça em cabelo, não a louves, companheiro.

Moça formosa, lençóis de veludo.

Moça gabada, moça estragada.

Moça garrida, ou bem ganhada ou bem perdida.

Moça louçã, cabeça vã.

Moça má torna a ama brava.

Moça no telhado não anda a bom recado.

Moça nova é como ananás: em cima está verde, mas em baixo está capaz.

Moça que entristece de amor, adoece.

Moça só não namora com carrapato por não saber qual é o macho.

Moça virtuosa, Deus a desposa.

Moça, chita e fita, não há feia nem bonita.

Moça, que seja boa.

Moças, chitas e fitas, não há feias nem bonitas.

Moças, flores e fitas, não há feias nem bonitas.

Mocidade desprevenida, velhice arrependida.

Mocidade nunca é fealdade.

Mocidade ociosa faz velhice trabalhosa.

Mocidade ociosa não faz velhice contente.

Mocidade ociosa traz velhice vergonhosa.

Mocidade ociosa, velhice desonrosa.

Mocidade ociosa, velhice penosa.

Mocidade ociosa, velhice vergonhosa.

Mocidade preguiçosa, velhice trabalhosa.

Mocidade viciosa, velhice penosa.

Moço bem criado, nem do seu fala, nem perguntado, cala.

Moço de bom juízo, quando velho é adivinho.

Moço de frade, manda-o comer e não que trabalhe.

Moço de quinze anos tem papo e não tem mãos.

Moço de recado não merece castigo.

Moço desprevenido, será velho arrependido.

Moço desprevenido, velho arrependido.

Moço e galo, um só ano.

Moço guloso não é bom para tendeiro.

Moço guloso, mau pasteleiro.

Moço malcriado do seu muito fala e, perguntado, cala.

Moço mau, se o pau é pão, é conduto o castigo.

Moço não dás, velho acharás.

Moço que não é castigado, nem será cortesão, nem letrado.

Moços e bois, um ano até dois.

Moeda falsa de noite passa.

Moeda falsa de noite se passa.

Mole, mole, longe vai o homem.

Mole, mole, se vai ao longe.

Mole, mole, se vai longe.

Molhar a fala com sumo de Baco.

Molha-se a vela conforme o vento.

Molho fervido, azeite perdido.

Montado nem que seja numa porca.

Montes vêem, paredes ouvem.

Morada que não tem gatos, ratos cantam modinha.

Morar depois de Deus me livre.

Morar onde Judas perdeu as botas.

Morar onde o vento faz a curva.

Morcela que o gato leva, gualdida vai.

Mordedura (de cão) cura-se com o pêlo do mesmo cão.

Mordedura de cão cura-se com o pelo do mesmo cão.

Mordedura de cão cura-se com o pelo do mesmo.

Mordedura de víbora ou escorpião, prepara a pá e o enxadão.

Morder a quem morde.

Morder o pó.

Moringa velha é que esfria a água.

Morra embora o homem, mas fique a fama.

Morra homem fique fama.

Morra marta morra farta.

Morra Marta, e morra farta.

Morra Marta, mas morra farta.

Morra Marta, morra farta.

Morra o gato, morra farto.

Morra o homem, e fique a fama.

Morra o luxo, e viva o bucho!.

Morra Sansão e todos que aqui estão.

Morra Sansão, e com ele quantos aqui estão.

Morre a filha, morre o genro.

Morre a flor desde que nasce.

Morre o bicho, acaba a peçonha.

Morre o boi e a vaca, e fica o demo em casa.

Morre o cavalo a bem do urubu.

Morre o cavalo para o bem do urubu.

Morre o cavalo para o gáudio do urubu.

Morre o homem, fica a fama.

Morre o homem, mas fica a fama.

Morre quem morre, salta quem pode.

Morre quem tem de morrer.

Morrem barbas e ficam cartas.

Morrem os gatos, banqueteiam-se os ratos.

Morrem uns para que outros vivam.

Morrendo e aprendendo.

Morrer de ciúme.

Morrer de inveja.

Morrer de rir.

Morrer e pagar quanto mais tarde melhor.

Morrer por morrer que morra meu pai que é mais velho.

Morrer por morrer, morra o meu pai que é mais velho.

Morrer por morrer, morra o meu pai, que é mais velho.

Morrer por ter e sofrer por valer.

Morreu o bicho, acabou-se a peçonha.

Morreu o nosso macho, e ainda agora lhe fede o rabo.

Morreu o rei, viva o rei.

Morta a cobra, acaba o veneno.

Morta a cobra, morto o veneno.

Morta é a abelha, que dava mel e cera.

Morta minha filha, morto meu genro.

Mortalha não tem bolso.

Morte certa, hora incerta.

Morte com honra desassombra.

Morte com honra não desonra.

Morte de rico, desavença de herdeiros.

Morte desejada, vida dobrada.

Morte desejada, vida durada.

Morte desejada, vida prolongada.

Morte do lobo, saúde do rebanho.

Morte e casamento desmancham arrendamento.

Morte não venha, que ataque não tenha.

Morte que der ventura, essa se sofra.

Morto eu, morto o mundo.

Morto o afilhado, acabou-se o compadrado.

Morto o afilhado, desfeito o compadrado.

Morto o afilhado, desfeito o compadrio.

Morto o bicho, acaba a peçonha.

Morto o bicho, morta a peçonha.

Morto o burro, cevada ao rabo.

Morto o burro, só vale o rabo.

Morto por morto, antes a abelha que o porco.

Morto por morto, antes a velha que o porco.

Moscas apanham-se com mel, e não com fel.

Moscas apanham-se com mel.

Mostrais o ourelo e fugis com o pano.

Mostram o pão e escondem a pedra.

Mostra-me tua mulher, dir-te-ei que marido tem.

Mostra-me tua mulher, e eu te direi que marido tem.

Mostrar com quantos paus se faz uma canoa.

Mostrar com quantos paus se faz uma jangada.

Moura mexida, moura perdida.

Mouro que não podes haver, forra-o pelo amor de Deus.

Mouro que não podes haver, forra-o por tua alma.

Mover mundos e fundos.

Muda a grimpa o vento que corre, mas não muda a torre.

Muda de moleiro, que não mudas de ladrão.

< operone >