< Portugiesische Sprichwörter >

Faze o que eu digo, mas não faças o que eu faço.

Faze o que eu disser e não faças o que eu fizer.

Faze o que manda teu senhor, sentar-te-ás com ele à mesa.

Faze o que manda teu senhor, sentar-te-ás com ele ao sol.

Faze o que podes, se não podes fazer o que queres.

Faze o teu dever, suceda o que suceder.

Faze o teu filho teu herdeiro e não teu despenseiro.

Faze pé atrás, e melhor saltarás.

Faze pé atrás, que melhor saltarás.

Faze por ter, vir-te-ão ver.

Faze por ti, que Deus te ajudará.

Faze teu filho herdeiro, não o faças despenseiro.

Faze tu bem, não cates a quem.

Faze tu da tua parte, que eu te ajudarei.

Faze tu, e Deus te ajudará.

Faze tua seara onde canta a cigarra.

Faze tudo o que deves fazer, suceda o que suceder.

Fazei aos outros o que quereríeis que eles vos fizessem.

Fazei o bem que digo, e não o mal que faço.

Fazei o bem, não olheis a quem.

Fazei o bem, sem olhar a quem.

Fazeis muito por valer pouco.

Fazeis orelhas de mercador.

Fazeis uma coisa e rogais a Deus por outra.

Fazeis uma, e rogais a Deus por outra.

Fazeis-me abalos por cantarejos de galos.

Fazei-vos mel, comer-vos-ão as moscas.

Faze-me a barba, far-te-ei a tosquia.

Faze-me a barba, far-te-ei o cabelo.

Faze-me as barbas, eu te pentearei.

Faze-me as barbas, far-te-ei o cabelo.

Fazem-se a barba um ao outro.

Fazem-se as barbas um ao outro.

Fazem-se mais males nos gabinetes da política que nos campos de batalha.

Fazenda alheia não faz herdeiros.

Fazenda de raiz farta, mas não abasta.

Fazenda de sobrinho, queima-a o fogo, leva-a o rio.

Fazenda é fazê-las.

Fazenda em duas aldeias, pão em duas taleigas.

Fazenda esfarrapada vale pouco ou nada.

Fazenda herdada é menos estimada.

Fazenda herdada não é estimada.

Fazenda rica ou boa fazenda.

Fazenda, fazenda, teu dono te veja.

Fazenda, teu dono te veja.

Fazendo muro é que se vira pedreiro.

Fazer a broa maior que a boca do forno.

Fazer a chuva e o bom tempo.

Fazer a festa e soltar os foguetes.

Fazer alguém de bobo.

Fazer as coisas às avessas.

Fazer as coisas com tempo, peso e medida.

Fazer bem a velhaco é deitar água no mar.

Fazer bem a velhaco é lançar água em saco.

Fazer bem a velhacos é deitar água a pintos.

Fazer bem a velhacos é lançar água ao mar.

Fazer bem a vilão ruim e lançar água em cesto roto.

Fazer bem a vilão ruim é vazar água em cesto roto.

Fazer bem nunca se perde.

Fazer bem o bico ao sacho.

Fazer bem sem olhar a quem.

Fazer bem sem saber a quem seus perigos tem.

Fazer capinar sentado. (= Fazer sofrer).

Fazer castelos no ar.

Fazer como a lebre: comer e rodar longe do covil.

Fazer conta sem a hóspeda.

Fazer corar frade de pedra.

Fazer cortesia com o chapéu alheio.

Fazer couro de gato para tamborim.

Fazer da necessidade virtude.

Fazer dar dois pontos na boca.

Fazer das fraquezas forças.

Fazer das tripas coração.

Fazer de alguém gato e sapato.

Fazer de alguém gato-sapato.

Fazer de um argueiro um cavaleiro.

Fazer de um caminho dois mandados.

Fazer de uma pulga um cavaleiro armado.

Fazer de uma via dois mandados.

Fazer do céu cebola.

Fazer e desmanchar, tudo é trabalhar.

Fazer economia de palitos.

Fazer extremos por dá cá aquela palha.

Fazer falta como uma viola num enterro.

Fazer festa a um velhaco é lançar água ao mar.

Fazer gato sapato de alguém.

Fazer mal aos animais é indício de mal caráter.

Fazer o bem nunca se perde.

Fazer o bem sem olhar a quem.

Fazer o bem sem saber a quem perigos tem.

Fazer o bem sem saber a quem seus perigos tem.

Fazer o bem, não olhar a quem.

Fazer o bem, não temer a ninguém.

Fazer o mal e a caramunha.

Fazer o que os outros fazem, não é pecado.

Fazer orelhas de mercador.

Fazer ouvidos de mercador.

Fazer pela vida, que a morte é certa.

Fazer torres de vento.

Fazer tudo às pancadas.

Fazer tudo com tento, peso e medida.

Fazer um gato (um gatilho).

Fazer uma e rogar a Deus por outra.

Fazer uma tempestade num copo d'água.

Fazer-se de burro para poder dar peido diante das moças.

Fazer-se de gato morto.

Fazer-se de parvo para não remar.

Fazer-se tolo para viver.

Faze-te conhecer, saber-se-á quem és.

Faze-te morto, deixar-te-á o touro.

Faze-te útil, que um dia serás necessário.

Fazida de João Gomes, foi a cavalo e veio nos alforjes.

Faz-se a roupa conforme o pano.

Faz-se arrocho dum pau direito, que dum torto ele está feito.

Fé de mulher é pena sobre água.

Fé em Deus e pé na tábua.

Fé que não é firme, não é fé.

Febre intermitente não a cura senão Deus.

Febre outonal, ou longa, ou mortal.

Fecha a tua porta e tira a chave; quem vier, que bata.

Fecha a tua porta, antes de seres roubado.

Fecha o sabo antes que ele transborde.

Fechar as portas, que soltam os touros.

Feijão é esteio da casa.

Feijão é que escora a casa.

Feio como a necessidade.

Feio como uma noite de trovões.

Feio é roubar e não poder carregar.

Feio no corpo, bonito na alma.

Feita a lei, cuidada a malícia.

Feita a vindima, guardam-se os cestos.

Feitas as vindimas, guardam-se os cestos.

Feito de vilão, atirar a pedra e esconder a mão.

Feitos te farei que ao coração te cheguem.

Felicidade completa não há.

Felicidade e desejo não podem juntar-se.

Felicidade, cada um faz a sua.

Feliz a casa em que só um gasta.

Feliz a nação que não tem história.

Feliz ao jogo, infeliz aos amores.

Feliz aquele a quem as desgraças alheias tornam acautelado.

Feliz de quem se contenta com o que tem.

Feliz de quem tem seu ninho a salvo do vendaval.

Feliz e boa festa faz quem em sua casa fica em paz.

Feliz e boa festa faz quem na sua casa está em paz.

Feliz é irmão freira, que entra no céu como cunhado.

Feliz é o doente que se conhece.

Feliz é quem experimenta em cabeça alheia.

Feliz é quem feliz se julga.

Feliz é quem pensa no pobre e no fraco.

Feliz é quem por feliz se tem.

Feliz é quem só quer o que pode e só faz o que deve.

Feliz no jogo, infeliz no amor.

Feliz no jogo, infeliz nos amores.

Feliz que nem filho de padre.

Feliz quem sempre espera.

Feliz, infeliz, é quem tal se crê, e não quem outrem diz.

Felizes aqueles que se reconhecem.

Felizes são aqueles que encontram a sabedoria.

Feno, alto ou minguado, em Junho é segado.

Ferida pequena é que dói.

Feridas de amor, só as cura quem as faz.

Feridas mortais em corpos alheios, ninguém as sente.

Feriste o javali, deixará quem seguia e tornará a ti.

Feros de bugio, ameaças vãs.

Ferradela de licranço não tem cura nem descanso.

Ferreiro a ferreiro não leva dinheiro.

Ferreiro com barba e letras com baba.

Ferro frio não caldeia.

Ferro mata ferro morre.

Ferro que não se usa, enche-se de ferrugem.

Ferro que não se usa, gasta-o a ferrugem.

Ferro se malha enquanto está quente.

Ferver em pouca água.

Festa acabada, músicos a pé.

Festa acabada, músicos aos pontapés.

Festa, dure pouco e bem pareça.

Festa, flores e passarinhos, em casa dos nossos vizinhos.

Fevereiro 1ºjejuarás 2ºguardarás 3º irás pro são brás.

Fevereiro afoga a mãe no ribeiro.

Fevereiro barroqueiro.

Fevereiro é o mês mais curto e menos cortês.

Fevereiro enxuto rói mais que todos os ratos do mundo.

Fevereiro quente traz o diabo no ventre.

Fevereiro, o mais curto mês e o menos cortês.

Fevereiro: rego cheio.

Fez-se rouco, porque é louco.

Fiado vendeu, inimigo ganhou; amigo perdeu, se dinheiro emprestou.

Fiado, nem a cunhado.

Fiado, nem a meu cunhado.

Fiado, só amanhã.

Fiambre e fiado fazem bem e fazem mal.

Fiambre e fiado: sabem bem, mas fazem mal.

Fianças e confianças têm arruinado muita gente.

Fianças, confianças, desconfianças, onde entram nunca mais saem.

Fianças, confianças, desconfianças, onde entram, têm deitado muitas casas a perder.

Fiandeira preguiçosa ao domingo é aguçosa.

Fiandeira, fia manso, que me estorvas, que estou rezando.

Fiar delgado.

Fiar e calar é fazer-se amar.

Fias e teces, o lar enriqueces.

Fia-te em santo e não corras..

Fia-te na virgem e não corras veras o caminho que levas.

Fia-te na Virgem e não corras, e vais ver o trambolhão que levas.

Fia-te na Virgem e não corras, e verás o tombo que levas.

Fia-te na Virgem e não corras, verás o trambolhão que levas.

Fia-te na Virgem e não corras.

Fia-te na Virgem e não corras..

Fia-te na Virgem e não olhes para o chão, e tens certo o trambolhão.

Fia-te na Virgem e não te agarres aos fueiros.

Fia-te no diabo e morre virgem.

Fica melhor a mulher no seu lar, ouvindo o grilo cantar.

Fica melhor ao soldado cheiro a pólvora que a âmbar.

Fica sempre o rifão, e o bom conselho, não.

Fica tudo como dantes, quartel-general em Abrantes.

Fica tudo como dantes: quartel-general em Abrantes.

Ficar a ver navios.

Ficar com a pulga atrás da orelha.

Ficar com as orelhas baixas.

Ficar com nariz de palmo e meio.

Ficar com o nariz grande.

Ficar com o santo e a esmola.

Ficar de braços cruzados.

Ficar de mãos atadas.

Ficar de orelha em pé.

Ficar de queixo caído.

Ficar na várzea sem cachorro.

Ficar roxo de inveja.

Ficar roxo de raiva.

Fica-te, mundo, cada vez a pior.

Ficou como quem cevou e não matou.

Ficou o vilão com a aguilhada na mão.

Fidalgo como el-rei, dinheiro, não tanto.

Fidalgo pobre, antes roto que remendado.

Fidalgo sem dinheiro, castelo sem ameias.

Fidalgo sem pão é vilão.

Fidalgo sem renda é alforge sem merenda.

Fidalgo sem renda é alforje sem merenda.

Fidalgos de meia tigela trazem a honra na ponta do nariz.

Fidalgos e galgos, coçá-los e deixá-los.

Fidalgos e galgos, coçá-los e matá-los.

Fidalguia sem comedoria é gaita que não assobia.

Fidalguia sem comodoria é gaita que não assobia.

Figo na serra não tem pico.

Figo verdel e moça de hotel, apalpando-se, amadurecem.

Fihos criados, trabalhos dobrados.

Filha casada, filha apartada.

Filha casada, não faltam casões.

Filha casada, pretendentes à porta.

Filha casada, saem-lhe genros.

Filha casada? Não faltam noivos.

Filha crescida, dá-lhe marido, aos vinte criada, logo casada.

Filha desposada, filha apartada.

Filha má, dota-a e casa-a.

Filha mal afamada, nem viúva nem casada.

Filha, farta e despida; filho, faminto e vestido.

Filha, faze por ser boa, que a tua fama longe toa.

Filha, nem nasça, nem morra.

Filha, sê boa mãe, que a aranha vai por aquela parede.

Filhas e batatas, não nas deixeis grelar.

Filhas, pretendentes à porta.

Filho aborrecido nunca recebe bom castigo.

Filho aborrecido nunca teve bom castigo.

Filho alheio come muito e chora feio.

Filho alheio, brasa no seio.

Filho alheio, mete-o na manga, sair-te-á pelo seio.

Filho bastardo e mula cada dia fazem uma.

Filho bastardo, ou muito bom, ou muito velhaco.

Filho de arisco nasce matreiro.

Filho de avarento sai pródigo.

Filho de burro não pode ser cavalo.

Filho de burro pode ser lindo, mas dá coice.

Filho de burro pode ser lindo, mas um dia dá coice.

Filho de burro um dia dá coice.

Filho de gata ratos mata.

Filho de gato caça rato.

Filho de gato é gatinho.

Filho de gato gosta de rato.

Filho de gato mata rato.

Filho de minha filha, meu neto é; filho de meu filho, será ou não.

Filho de minha filha, toma pão e senta aqui; filho de minha nora, toma pão e vai-te embora.

Filho de onça já nasce pintado.

Filho de peixe é peixinho.

Filho de peixe não aprende a nadar.

Filho de peixe peixinho é.

Filho de peixe sabe nadar.

Filho de peixe, é tão feio como o pai!.

Filho de peixe, faz bolhas na água com a boca.

Filho de peixe, peixinho é.

Filho de puta tira o pai da culpa.

Filho de rato foge para o palheiro.

Filho de tigre é pintado.

Filho de tigre já sai malhado.

Filho de vaqueiro nasce aboiando.

Filho de viúva, malcriado ou mal-acostumado.

Filho és pai serás conforme fizeres assim acharás.

Filho és pai serás.

Filho és, pai serás, assim como fizeres, assim acharás.

Filho és, pai serás, conforme fizeres, assim acharás.

Filho és, pai serás, conforme fizeres, assim receberás.

Filho és, pai serás. Como o fizeres, assim o acharás.

Filho és, pai serás; assim como fizeres, assim acharás.

Filho és, pai serás; assim como fizeres, tal haverás.

Filho és, pai serás; o que fizeres, encontrarás.

Filho extremoso, pai venturoso.

Filho feio não tem pai.

Filho mau em que não se tem mão, melhor é doente que são.

Filho mau mais vale doente que são.

Filho que os pais amargura, jamais conte com ventura.

Filho sem dor, mãe sem amor.

Filho só puxa o pai, quando este é cego.

Filho só puxa o pai, quando o pai é cego.

Filho só sai ao pai, quando o pai é ladrão de cavalo.

Filho tardio fica órfão cedo.

Filho único, mal criado ou mal acostumado.

Filho, das tuas bragas; bois, das tuas vacas.

Filho, não comas, não rebentarás.

Filhos casados, cuidados dobrados.

Filhos casados, dobrados cuidados.

Filhos casados, trabalhos aumentados.

Filhos criados, trabalhos dobrados.

Filhos de gata, ratos mata.

Filhos e criadas não deves amimar, se os queres lograr.

Filhos e criados não amimar quem os quer ter.

Filhos e criados, não os amimar quem os quer lograr.

Filhos e dinheiro nunca sobejam.

Filhos não tenho netos me dão canseiras.

Filhos pequenos, dores de cabeça; filhos grandes, dores de coração.

Filhos quem os tem que os mantenha.

Filhos quem tem, não fale de ninguém.

Filhos, dois ou três é prazer, sete ou oito é fogo.

Finge arruído, por melhor partido.

Finge-te morto, deixar-te-á o touro.

Fio e agulha, meia costura.

Fio, focinho e bico não fazem dono rico.

Fizeste-o, paga-o.

Flor caída não volta ao galho.

Flor colhida, fruto perdido.

Flor de loendro, formosura sem proveito.

Flor do aloendro, formosa e sem proveito.

Flor no peito, asno perfeito.

Flor única não faz andor.

Florim com florim faz bom tintim.

Focinho de porco e galinha de bico, nunca fizeram o homem rico.

Foge a boca para a verdade.

Foge a língua para a verdade.

Foge da mulher que sabe latim e da burra que faz him.

Foge da ocasião, evitarás a tentação.

Foge das más companhias e serás de todos espelho.

Foge das ocasiões, eu te livrarem das tentações.

Foge de burra que faz him, e de mulher que sabe latim.

Foge de contas com parentes e de dívidas com ausentes.

Foge de um céu azul aleitado; ou desces à câmara ou ficas molhado.

Foge do burro de quatro sinais.

Foge do feio e do porcino, da botica e do remédio.

Foge do maldizente como da serpente.

Foge do mau vizinho e do excesso de vinho.

Foge dos cães que não ladram.

Foge o diabo da cruz e o morcego da luz.

Foge, cão, que te fazem barão! Mas para onde, se me fazem visconde?.

Foges de quem te quer bem, e queres bem a quem te mata.

Fogo de palha não dura.

Fogo viste, lingüiça.

Foi buscar lã e saiu tosquiado.

Foi buscar lã e voltou tosquiado.

Foi como a sardinha, para fugir à sertã, caiu nas brasas.

Foi Maria à fonte, teve que contar todo o ano.

Foi Maria à fonte, teve que contar todo o dia.

Foi Maria ao banho, teve que contar todo o dia.

Foi palavra que Deus disse: quem ganhasse que se risse.

Foi para o beleléu.

Foi pior a emenda que o soneto.

Foice nova roça bonito.

Foi-lhe o negócio com vento em popa.

Foi-lhe um anjo vindo do céu.

Foi-me um cavalo na guerra.

Foi-se embora a caridade, só ficou a carestia.

Foi-se o nordeste, turvou-se o azul, fugiu do norte, foi para o sul.

Foi-se sem chus nem bus.

Folga o pão debaixo do nevão.

Folga o trigo debaixo da neve como a ovelha debaixo da pele.

Folga o trigo debaixo da neve, como a ovelha debaixo da pele.

Folgar, galinhas, que morto é o galo.

Folgar, galinhas, que o galo é na vindima.

Folguemos enquanto podemos, outra hora choraremos.

Folguemos enquanto podemos, que noutra hora choraremos.

Folha seca fazendo zoada é sinal de vento.

Folha velha sabe cortar.

Folhinha e noivado só prestam um ano.

Folosas querem dar nos grous.

Fome de caçador, sede de pescador.

Fome de rio, sede de mato.

Fome e esperar fazem rabiar.

Fome e frio entregam o homem ao seu inimigo.

Fome e frio metem a pessoa com seu inimigo.

Fome e frio, mete-te com teu inimigo.

Fome que espera fartura não é fome.

Fome que se satisfaz com ceia não é fome.

Fomos por lã e viemos tosquiados.

Fora da vista, fora da mente.

Fora de horas urinar é sinal de enfermar.

Força física é a lei do bruto.

Formiga corta longe de casa.

Formiga quando quer se perder cria asa .

Formiga sabe a folha que rói.

Formiga sabe em que roça come.

Formiga sabe que folha come.

Formiga tem catarro.

Formiga, quando se quer perder, cria asas.

Formosa é de rosto a que é boa de seu corpo.

Formoso e aleivoso.

Formosura de mulher não enriquece o homem.

Formosura de mulher não faz ser rico.

Formosura pouco dura.

Formosura sem virtude é flor sem perfume.

Forno feito, vintém no corucho.

Forte como um touro.

Fortuna vária, hoje a favor, amanhã contrária.

Fraca é a ovelha que não pode com a lã.

Fraco é o cão que não come a carne que lhe dão.

Fraco é o cão que não pega em osso.

Fraco é o Maio que não rompe uma croça.

Fraco é o Maio se o boi não bebe na pegada.

Fraco é o padeiro que diz mal do seu pão.

Fraco é todo poder, se união falece.

Frade e mulher, duas garras do diabo.

Frade modesto nunca chega a prior.

Frade pidão e gato ladrão estão cumprido a sua obrigação.

Frade que chega tarde, perde a ração.

Frade que não chega à hora, perde a ração.

Frade que não chega a horas, perde a ração.

Frade que pede para Deus, pede para dois.

Frade, freira e mulher rezadeira: três pessoas distintas e nenhuma verdadeira.

Francês não é de natura, se não quebra o que assegura.

Franga que canta, quer galo.

Franga se aninhou, quer pôr.

Frango em Janeiro, vale um carneiro.

Frango na panela de pobre é desgraça certa: doença do pobre, «bouba» do franguinho ou raiva do vizinho.

Frangote é rei em seu poleiro.

Fraqueza é dar ajuda ao mais potente.

Fraqueza não é vício, mas conduz ao precipício.

Frei Tomás, façam o que ele diz, mas não façam o que ele faz.

Freio de ouro não melhora o cavalo.

Freiras e frieiras, é coçá-las e deixá-las.

Frigir a carne de porco com a banha do mesmo porco.

Frigir a carne do porco com a banha do mesmo porco.

Frio a valer, trabalhar para aquecer.

Frio de mão, quente de coração.

Frio em Novembro, Natal em Dezembro.

Frio não quebra osso, e chuva não quebra costela.

Frio, focinho e bico não fazem ninguém rico.

Fruta de caroço tem osso.

Fruto proibido é mais apetecido.

Fruto proibido é mais querido.

Fruto proibido é o mais apetecido.

Frutos e amores os primeiros são os melhores.

Frutos e amores, os primeiros são os melhores.

Fugi do alcaide, caí no meirinho.

Fugi do gago na sua braveza, e dos que andam sempre a rir, e dos que assinalou a natureza.

Fugi do lobo, caí no arroio.

Fugi, gaivotas, que aí vem o diabo de botas.

Fugir como o diabo da cruz.

Fugir da volta do touro.

Fugir de justiças novas e chaminés velhas.

Fugir do fogo, cair nas brasas.

Fugir do fumo, cair no fogo.

Fugir do homem orgulhoso que se envergonha de verter lágrimas.

Fugir do juiz é confessar pecado.

Fugir do lodo e cair no arroio.

Fugiu da chuva e caiu no molhado.

Fugiu de Cila, caiu em Caribde.

Fugiu do alcaide, topou com o meirinho.

Fugiu do lodo, caiu no arroio.

Fui à casa da minha vizinha, envergonhei-me, vim para a minha e governei-me.

Fui à casa da vizinha, envergonhei-me vim para a minha, remediei-me.

Fui para me benzer e quebrei o nariz.

Fui pedir ao meu vizinho envergonhei-me, voltei para casa remediei-me.

Fujo do lodo, caio no fogo.

Fumaça não assa carne.

Fumaça, mulher tarameleira e goteira põem os homens fora de sua casa.

Fumo e má cara afastam a gente de casa.

Fumo, a mulher tarameleira e a goteira põem os homens fora de sua casa.

Fumo, goteira e mulher faladora põem os homens pela porta fora.

Furtar galinha e apregoar rodilha.

Furtar o carneiro e dar os pés pelo amor de Deus.

Furtar o porco e dar os pés pelo amor de Deus.

Fusada miúda a seu dono ajuda.

Gaba-te cesta rota que vais pra vindima.

Gaba-te cesto que vais à feira.

Gaba-te cesto que vais à vindima.

Gaba-te, cesta rota, que vais para a vindima.

Gaba-te, cesta, que vais à vindima.

Gaba-te, cesto, que vender-te quero.

Gaba-te, toco, senão quem te gabará?.

Gabem-se couves que há nabos no caldo.

Gabem-se couves, que há nabos no caldo.

Gado de bico nunca fez ninguém rico.

Gado de bico nunca fez o dono rico.

Gado de bico nunca fez o patrão rico.

Gado e lazeira andam de feira em feira.

Gado fraco, tudo são moscas.

Gado novo quer brincar.

Gado ruim não tem desvio.

Gaiola aberta, pássaro morto.

Gaiola bonita não alimenta passarinho.

Gaiola bonita não dá de comer a canário.

Gaiola bonita não faz cantar o canário.

Gaivotas em terra é sinal de tempestade.

Gaivotas em terra tempestade no mar.

Gaivotas em terra, tempestade no mar.

Gaivotas em terra: tempestade no mar.

Galgo barcino, muito velhaco ou muito fino.

Galgo bom, não lhe escapam as lebres.

Galgo que muitas lebres levanta, nenhuma mata.

Galgo, comprá-lo, não criá-lo.

Galho muito carregado, cedo arriado.

Galinha «pedrês» não a comas nem a dês.

Galinha cega, de vez em quando, acha um grão.

Galinha ciscadeira acha cobra.

Galinha come com o bico no chão.

Galinha de aldeia não quer capoeira.

Galinha de campo não quer capoeira.

Galinha de mato não quer capoeira.

Galinha de olho torto procura cedo o poleiro.

Galinha do campo não quer capoeira.

Galinha e mulher não se deixem passear.

Galinha e peru, tudo é um com arroz.

Galinha e peru, tudo é um.

Galinha gorda não precisa de tempero.

Galinha gorda por pouco dinheiro não há no poleiro.

Galinha gorda, à cozinha.

Galinha nanica não põe no mato.

Galinha não mata pinto.

Galinha não nasce, que não esgaravate.

Galinha pedrês não a comas nem a dês.

Galinha pedrês que canta seu dono avanta.

Galinha preta põe ovo branco.

Galinha que cacarejou, botou.

Galinha que canta como o galo, do dono faz cavalo.

Galinha que canta é que é a dona dos ovos.

Galinha que canta, é dona dos ovos.

Galinha que canta, é que bota.

Galinha que canta, faca na garganta.

Galinha que canta, quer galo.

Galinha que canta, quer pôr.

Galinha que em casa fica, sempre bica.

Galinha que muito canta poucos ovos põe.

Galinha que muito cisca termina arranjando cobra.

Galinha que muito cisca, acaba na boca da cobra.

Galinha que não canta, papa o ovo.

Galinha rica tudo o que vê, cobiça.

Galinha tem de muita cor, mas todo ovo é branco.

Galinha todo dia enjoa.

Galinha velha ainda dá bom caldo.

Galinha velha dá bom caldo, mas franga nova faz galo velho cantar.

Galinha velha dá bom caldo.

Galinha velha é que dá bom caldo.

Galinha velha faz boa cozinha.

Galinha velha faz bom caldo.

Galinha vesga procura cedo o poleiro.

Galinhas de S. João, pelo Natal, ovos dão.

Galo bom não é gordo.

Galo bom nunca foi gordo.

Galo cantou foram de hora, é moça que está dando o fora.

Galo cantou, moça arribou.

Galo estalou, meu servo fugiu.

Galo fecha os olhos quando canta, porque sabe a música de cor.

Galo furtado, orelhas de fora.

Galo que canta fora de horas, faca na garganta.

Galo que fora de horas canta, faca na garganta.

Galo, antes de cantar, bate as asas três vezes.

Ganha boa fama e deita-te na cama.

Ganha dinheiro quem tem dinheiro.

Ganha e poupa na mocidade para teres na velhice.

Ganha fama e deita-te na cama.

Ganha fama, deita-te a dormir.

Ganhai o que souberdes e poupai o que puderdes.

Ganhai pouco, mas ganhai sempre.

Ganhá-lo como um preto, gasta-lo como um fidalgo.

Ganhá-lo como um preto, gastá-lo como um fidalgo.

Ganham bons para ruins.

Ganhar o pão com o suor do seu rosto.

Ganhe meu inimigo, e conserve eu meu filho.

Ganho e lazeira andam de feira em feira.

Ganhou o que Luzia ganhou no centeio.

Ganhou o que Maria ganhou na horta.

Ganhou o que Maria ganhou nas capoeiras.

Ganhou, mas não levou.

Garapa dada não é azeda.

Garapa dada nunca é azeda.

Garça altaneira, falcão a apanha.

Garrafa que levou querosene não perde o cheiro jamais.

Garrafa que levou querosene nunca mais perde o cheiro.

Gasta com que não peças.

Gasta e dá, Deus mandará.

Gastais largo à custa alheia.

Gastar cera com ruim defunto.

Gastar cera com ruins defuntos.

Gastar com peso e medida.

Gastar largo, à custa da barba longa.

Gastos demasiados, caminho de miséria.

Gata ruiva, assim como é, assim cuida.

Gato a quem morde a cobra, tem medo à cobra.

Gato a quem morde a cobra, tem medo à corda.

Gato bradador nunca bom murador.

Gato bradador nunca é bom murador.

Gato com fome come farofa de alfinete.

Gato com fome come farpa de alfinete.

Gato com luvas não caça rato.

Gato de luva não apanha ratos.

Gato de luvas não apanha rato.

Gato de luvas não pega rato.

Gato de mão branca(gatuno).

Gato em jornada, ratos em patuscada.

Gato escaldado de água fria há medo.

Gato escaldado de água fria tem medo.

Gato escaldado de agua frio tem medo.

Gato escaldado tem medo de água fria.

Gato escaldado, da água fria tem medo.

Gato escaldado, morre, naturalmente!.

Gato escaldado, morre.

Gato escondido com o rabo de fora.

Gato escondido com rabo de fora.

Gato escondido, com rabo de fora.

Gato furtado, orelhas de fora.

Gato gordo não apanha rato.

Gato miador não é bom caçador.

Gato miador, nunca bom caçador.

Gato miador, nunca bom murador.

Gato miador, ruim caçador.

Gato muito miador é pouco caçador.

Gato nasce com unhas e de olhos fechados, mas não arranha sua mãe.

Gato pede miando e come rosnando.

Gato que cobra morde, tem medo à corda.

Gato que mia, quer carne.

Gato que nunca comeu azeite, quando come se lambuza.

Gato que nunca comeu azeite, quando come, se lambuza.

Gato que nunca comeu azeite, quando o come se lambuza.

Gato ruivo, do que usa, cuida.

Gato ruivo, do que usa, disso cuida.

Gato ruivo, do que usa, disto cuida.

Gato sem unha não arranha.

Gato sem unha não briga.

Gato sonso dá unhada e esconde a unha.

Gato tem sete vidas.

Gato velho gosta de leite.

Gato velho não quer senão murganho.

Gato velho quer rato novo.

Gato, quando não morde, arranha.

Gavião pega pinto, mas respeita galo.

Gavião sopeiro morre de chumbo.

Geada na lama água na cama.

Geada na lama neve na cama.

Geada na lama: chuva na cama.

Geada na lama: chuva reclama.

Generoso como ninguém é aquele que menos tem.

Generoso como ninguém é aquele que nada tem.

Gengiva desenganada corta mais do que dente.

Gênio e figura, até a sepultura.

Genro, pelo papo vai me tangendo.

Gente baixa só tem olho no interesse.

Gente bruta metida a sábia.

Gente do Minho veste pano fino.

Gente gorda, trabalho magro.

Gente nova e burros velhos botam o mundo a perder.

Gente rica e grossa tira o pé do lodo.

Gente ruim não há mister chocalho.

Gente ruim não precisa de chocalho.

Gente tola e touros: paredes altas.

Gente velha é papel queimado.

Gentileza gera gentileza.

Gesto de ouro, cabelos de prata, e olhos de escarlata (=Velho doente e rameloso).

Girar de moca em moca.

Glória vã floresce, e não gradece.

Glória vã, cresce mas não gradece.

Goiabada sem queijo é como abraço sem beijo.

Goraz de Janeiro, vale carneiro. (Os escalos em Janeiro têm sabor de carneiro. Solha em Janeiro, é melhor do que carneiro.).

Gordura é formosa.

Gordura é formosura (/magreza é beleza).

Gordura é formosura, magreza é beleza.

Gordura é formosura.

Gordura não é fartura.

Gorra descoberta ganha vontade.

Gostamos de falar do que nos aflige.

Gostar de mulher não é defeito.

Gostar não é fartar.

Gosto é igual braço: tem gente que não tem, e tem gente que não tem.

Gosto é igual cu, cada um tem o seu.

Gosto é igual relógio: uns têm, outros não.

Gosto não se discute, se lamenta.

Gosto não se discute.

Gostos não se discutem.

Gota a gota, a talha se esgota.

Gota a gota, o mar se esgota.

Gota a gota, o tonel se esgota.

Gota e gota, o mar se esgota.

Gota é mal de rico; cura-se fechando o bico.

Goteira é que enche bacia.

Governa a tua boca, conforme a tua bolsa.

Governa Maria, em casa vazia.

Governador cobiçoso faz desvergonhada a justiça.

Governa-se a boca, conforme a bolsa.

Governa-te bem, e governarás os outros.

Governo, para ser bom, precisa haver passado.

Goza o teu pouco, enquanto mais busca o louco.

Goza se podes; sofre se deves; mas esquece a dor e revive o prazer.

Graça dá em desgraça.

Graça de olhos força peitos livres a dar o coração de graça.

Graça de olhos tarde envelhece.

Graças a Deus, muitas, graças com Deus, poucas.

Gramático desfavorecido não tem assado e come cozido.

Grande a nau, grande a tormenta.

Grande amor, grande labor.

Grande aparato, pequeno recato.

Grande bem me quer minha mulher, se da banda do pinhal há dinheiro que lhe dar.

Grande bota, grande palmilha.

Grande calma, sinal de água.

Grande carga em fraca besta, dizem os corvos: nossa é esta.

Grande carga leva a carreta, maior a leva o dono desta.

Grande cozinha, de pobreza adivinha.

Grande cozinha, de pobreza avizinha.

Grande cozinha, pequeno testamento.

Grande é o marão, e não dá palha nem grão.

Grande esforço em pequeno corpo.

Grande gabador, pequeno fazedor.

Grande homem leva o pequeno.

Grande mar, grande tormenta.

Grande nau grande tormenta.

Grande nau, grande perigo.

Grande nau, grande tormenta.

Grande pé e grande orelha, sinal é de grande besta.

Grande pedra, pequena pedra, três homens à volta dela.

Grande prazer não escusa comer.

Grande saber é não escutar e comer.

Grande saber é não falar e comer.

Grande saber é: não escutar e comer.

Grande sandice é pobre viver para rico morrer.

Grandes árvores dão mais sombra que fruto.

Grandes atoardas, tudo nada.

Grandes caminhadas, grandes mentiras.

Grandes desgostos e tormentos acompanham os maus casamentos.

Grandes discursos não provam grande saber.

Grandes faladores, maus administradores.

Grandes louvores, sem inteireza, se ganham.

Grandes males exigem grandes remédios.

Grandes peixes, pescam-se em grandes rios.

Grandes viagens, grandes mentiras.

Grão a grão enche a galinha o paparrão.

Grão a grão enche a galinha o papo.

Grão a grão enche o moleiro o sarrão.

Grão a grão, a galinha enche o papo.

Grão a grão, enche a galinha ao papo.

Grão a grão, enche a galinha o papo.

Grão a grão, também se chega a milhão.

Grão a grão, também se chega a um milhão.

Grão de milho, em boca de asno.

Gravata de jumento é chocalho.

Graveto também é lenha.

Grilhões, nem de ouro.

Guai de quem má fama cobra.

Guarda da loba, quando se enoja.

Guarda da volta do touro.

Guarda de comer e não de que fazer.

Guarda de comer não guardes que fazer.

Guarda do calor o que guarda do frio.

Guarda do cão que manqueja.

Guarda do lobo, quando se enoja.

Guarda enquanto moço, acharás na velhice.

Guarda hoje, que terás amanhã.

Guarda moço, acharás velho.

Guarda na mocidade para a velhice.

Guarda o que comer não guardes que fazer.

Guarda o que não presta, acharás o que precisas.

Guarda o que não presta, acharás o que te é preciso.

Guarda o que não presta, que encontrarás o que te é preciso.

Guarda o que não presta, terás o que desejas.

Guarda o que não queres, acharás o que quiseres.

Guarda o que puderes, terás o que quiseres.

Guarda o teu dinheiro para o mau tempo.

Guarda para Maio o teu melhor saio.

Guarda prado, criarás gado.

Guarda que comer e não guardes que fazer.

Guarda que comer nao guardes que fazer.

Guarda que comer, não guardes que fazer.

Guarda que comer.. não guardes que fazer.

Guarda que fazer e não guardes de comer, que o comer azeda-se, e o trabalho não.

Guarda retalho e terás seda.

Guarda retalhos e terás seda.

Guarda te do homem que não fala e do cão que não ladra.

Guardado é o que Deus dá.

Guardado é o que Deus guarda.

Guardado está o bocado para quem o há de comer.

Guardado está o bocado para quem o há-de comer.

Guardado está o que Deus guarda.

Guardando a língua, se guarda a concórdia.

Guardar é conservar.

Guardar os dias santos.

Guardar que comer, e não que fazer.

Guardas-me um segredo, amigo? Melhor mo guardas, se to não digo.

Guarda-te da ira de um homem paciente.

Guarda-te da traseira da mula, da ilharga do carro, da dianteira do frade, e de vento que entra pelo buraco.

Guarda-te da volta do touro.

Guarda-te daquele a quem Deus assinalou.

Guarda-te daqueles que a natureza assinalou.

Guarda-te de alvoroço do povo e de travar com doido.

Guarda-te de cão que manqueja.

Guarda-te de homem que não fala e de cão que não ladra.

Guarda-te de homem que não fala, de mulher que faz versos, e de cão que não ladra.

Guarda-te de mau vizinho e de homem mesquinho.

Guarda-te de mau vizinho, sórdido e mesquinho.

Guarda-te de traseiro de mula e de língua de mulher.

Guarda-te de traseiro de mula, dianteira de frade, de requebros de freira, e de língua de mulher.

Guarda-te do alvoroço do povo e de travar com o doido.

Guarda-te do boi pela frente, do burro por detrás e do frade por todos os lados.

Guarda-te do boi pela frente, do burro por detrás, e da mulher por todos os lados.

Guarda-te do boi pela frente, do burro por detrás, e do tolo por todos os lados.

Guarda-te do cão que não ladra e do homem que não fala.

Guarda-te do frade e do cão que não sai da grade.

Guarda-te do homem de um livro só.

Guarda-te do homem que não fala e do cão que não ladra.

Guarda-te do homem que não fala, da mulher que faz versos, e do cão que não ladra.

Guarda-te do inimigo reconciliado.

Guarda-te do moço grunhidor e do gato miador.

Guarda-te do tolo, se tens algum miolo.

Guarda-te dos azos, guardar-te-á Deus dos pecados.

Guarda-te dos falsos profetas.

Guarde-te Deus do diabo, de olho de puta e volta de dados.

Guarde-vos Deus da ira do Senhor, do alvoroço do povo, da moça adivinha e de mulher ladina, de pessoa assinalada, da mulher três vezes casada, do homem porfioso, de lobos em caminho, de longa enfermidade, de físico experimentador e asno ornejador, do oficial novo e barbeiro velho, do amigo reconciliado e vento que entra por buraco, de honra minguada e de gente que não tem nada.

Guarde-vos Deus de físico experimentador e de asno ornejador.

Guardou-se da mosca, comeu-a a aranha.

Guerra bem guerreada traz boa paz.

Guerra começada, só Deus sabe quando acabada.

Guerra é guerra.

Guerra, caça e amores, por um prazer, cem dores.

Guerra, peste e carestia estão sempre em companhia.

Guitarra, mulher e cavalo não se emprestam.

Há algo de podre no reino da Dinamarca.

Há casos que podem mais que as leis.

Há celebridades de pouca duração: são obras das circunstâncias e com elas passam.

Há chuva que seca e sol que refresca.

Há chuva que seca e sol que rega.

Há de tudo na vinha do Senhor.

Há dias felizes, mas vida feliz não há nenhuma.

Há duas coisas que não têm resposta: "Ide-vos de minha casa" e "Que quereis de minha mulher?".

Há feridas de condição que se curam com os instrumentos que as dão.

Há gosto para tudo.

Há gostos para todas as coisas.

Há heróis no mal como no bem.

Há homem como manilha que com todos trinca.

Há homens a quem a fortuna vai assoprando as palhinhas.

Há homens para nada, muitos para pouco, alguns para muito, nenhum para tudo.

Há injúrias que louvam e louvores que injuriam.

Há instrução demasiada, mas a educação é sempre pouca.

Há juízes em Berlim.

Há mais aprendizes que mestres.

Há mais de uma maneira de se esfolar um gato.

Há mais de uma Maria na terra.

Há mais discípulos que apóstolos.

Há mais ingratos que sapatos.

Há mais marés que marinheiros.

Há mais Marias na terra.

Há mais o que se pode aprender do que apenas aquilo que existe para se ler.

Há mais olhos no mar do que viventes na terra.

Há mais que se lhe diga.

Há mais quem suje a casa do que quem a varra.

Há mais ratoeiras que ratos.

Há males que vêm para bem.

Há males que vem para o bem.

Há males que vem para pior/piorar).

Há males que vem para pior/piorar.

Há males que vêm por bem e bens que por mal vêm.

Há males que vêm por bem.

Há males que vêm por bens.

Há males que vem pra ferrar com todo o resto mesmo.

Há mar e mar, há ir e voltar.

Há mil modos de morrer e um só de nascer.

Há mil modos de morrer, e um só de nascer.

Há momentos de aflição sucedem momentos de tranquilidade.

Há mouro na costa.

Há mouros na costa.

Há muita gente boa com quem Nosso Senhor não podia viver.

Há muitas maneiras de matar as pulgas.

Há muitas maneiras de matar pulgas.

Há muitas Marias na terra.

Há muitos burros do mesmo pelo.

Há muitos diabos que se parecem uns com os outros.

Há mulher espada e homem roca.

Há no ciúme mais amor-próprio que amor.

Há ocasiões em que o coração vê melhor que os olhos.

Há olhos que de argueiros se pagam.

Há pau que passa pau.

Há perdas muito mais fáceis de prevenir que de reparar.

Há pouca diferença entre quem dá de má vontade e o avarento que recusa dar.

Há que dar tempo ao tempo.

Há remédio para tudo menos para a morte.

Há remédio para tudo, menos para a morte.

Há sempre feira, quando o tolo desce à eira.

Há sempre um chinelo velho para um pé cansado.

Há sempre um chinelo velho para um pé doente.

Há sempre um testo para cada panela.

Há sempre uma mulher junto a uma dor.

Há sempre uma mulher no íntimo de todas as grandes coisas.

Há só duas famílias no mundo: a dos que têm e a dos que não têm.

Há sol que rega e chuva que seca.

Há sujeitos que a fortuna lhes vai assoprando as palhinhas.

Há tal que dá esmola e não paga o que deve.

Há tanto tempo que morreu o sapo, e agora estoura o papo.

Há tempo para velar e tempo para descansar.

Há todo tipo de gente nesta vida.

Há três coisas difíceis: guardar um segredo, empregar bem o tempo e suportar as injúrias.

Há três coisas em que nem levemente se deve tocar: a fé, o olho e a fama.

Há três espécies de ignorância: não saber nada, saber mal o que se sabe, e saber coisa diferente do que se deve saber.

Há um ano lhe mordeu o sapo, agora é que lhe vem o inchaço.

Há um ano que me mordeu o sapo, e agora me inchou o papo.

Há um ano que morreu o asno, agora lhe cheira o rabo.

Há um caminho de coração a coração.

Há um juiz mais instruído, mais justo, mais severo que as leis: é o testemunho da própria consciência.

Há uma luz no fim do túnel.

Há violências que só violentam a quem as faz.

Hábito de frade e saia de mulher, chega onde quer.

Haja bem quem nos mantém.

Haja fartura que a fome ninguém atura.

Haja fartura, que a fome ninguém atura.

Haja guerra, mas não em minha terra.

Haja pão e satisfação.

Haja saúde e dinheiro para vinho.

Hajamos paz, morreremos velhos.

Herdade por herdade, uma filha na velha idade.

Herói é no que dói.

Hiena a rilhar, gazela a imitar.

Hiena fera, mas alegra-se com a companha.

Histórias para menino dormir sem ceia.

Histórias!.

Hoje canto, amanhã pranto.

Hoje canto,amanha pranto.

Hoje com saúde, amanhã no ataúde.

Hoje com saúde,amanha no ataúde.

Hoje de festa, amanhã de enterro.

Hoje de festa,amanha de enterro.

Hoje de humana figura, amanhã na sepultura.

Hoje é o amanhã que ontem nos preocupava.

Hoje é o meu dia, amanhã será o teu.

Hoje em canto, amanhã em pranto.

Hoje em dia, até santo precisa ser da moda.

Hoje em dia, quem menos corre, voa.

Hoje em nossa figura, amanhã na sepultura.

Hoje mais se toma o pulso ao ter que ao saber.

Hoje mal, amanhã piora.

Hoje mal, crás empiora.

Hoje meu, amanhã teu.

Hoje na figura, amanhã na sepultura.

Hoje pavão, amanhã espanador.

Hoje por mim, amanhã por ti.

Hoje por vós, vós amanhã por mim.

Hoje rico - é festejado. Amanhã pobre - é desprezado.

Hoje rico e festejado, amanhã pobre e desprezado.

Hoje somos, amanhã não.

Hoje sou eu, amanhã serás tu.

Hoje um, amanhã dois, ao outro dia três ou quatro, depressa enchem o saco.

Homem apaixonado e pássaro com visgo, quanto mais se debatem, mais se prendem.

Homem apaixonado não admite conselho.

Homem apaixonado não quer ser consolado.

Homem apercebido, meio combatido.

Homem assinalado, ou mui bom, ou mui bravo.

Homem astroso, barba até o olho.

Homem atrevido dura como vaso de vidro.

Homem atrevido, odre de bom vinho e vaso de vidro pouco duram.

Homem avisado a custo é vencido.

Homem avisado, meio salvado.

Homem barbado, homem honrado.

Homem barca, mulher arca.

Homem bem advertido vale por dois.

Homem calado, muito cuidado.

Homem casado, burro estafado.

Homem casado, foguete tocado.

Homem casado, pássaro na gaiola.

Homem com amores é odre de vento.

Homem com fala de mulher nem o diabo quer.

Homem com ramo no peito, asno perfeito.

Homem comedido nunca trepa muito.

Homem da nossa massa com que nos amassamos.

Homem de antes quebrar que torcer.

Homem de balseira, terra de ladeira, moça estalajadeira, não pode ser boa antes que queira.

Homem de barba ruiva uma faz, outra cuida.

Homem de bem tem palavra de rei.

Homem de boa lei tem palavra como rei.

Homem de boa lei tem palavra de rei.

Homem de capa no verão, ou é roto, ou é ladrão.

Homem de letras não tem letra.

Homem de muitas graças é notado de muitas culpas.

Homem de palha vale mais que mulher de ouro.

Homem de sabado boi de segunda.

Homem de sete ofícios em todos é remendão.

Homem digno não admite baixezas.

Homem do mar mija na cama e diz à mulher que está a suar.

Homem do mar, cabeça no ar.

Homem do teu ofício teu inimigo é.

Homem é lobo do homem.

Homem e porco, só depois de morto.

Homem em casa não é tranca de porta.

< operone >