Portugiesische Weisheiten 5


A religio to boa companheira na adversidade, como excelente companheira na ventura.

A repetio a me do estudo.

A repreenso em adversidade no serve.

A rs aguilhoada caminho direito vai.

A resposta branda a ira quebranta.

A rico no devas, a pobre no prometas.

A rico no devas, e a pobre no prometas.

A rico no prometas, e a pobre no faleas.

A ricos no devas, e a pobres no prometas.

A ricos, sobejam-lhe amigos.

A rio revolto, ganncia de pescador.

A rio revolto, ganhana de pescador.

A riqueza adquirida pela usura enche a vida do homem de amargura.

A riqueza cria inveja e dio.

A riqueza no conhece amizade.

A riqueza no est em ter muito, mas em se contentar com pouco.

A riqueza pertence a quem a come, e no a quem a guarda.

A riqueza sem a virtude mais desastrosa que a misria.

A riqueza, quanto mais tem, mais deseja.

A rir, a rir, muitas verdades se dizem.

A rocim velho, cabeadas novas.

A roda anda, anda, mas tambm desanda.

A roda da fortuna anda e desanda.

A roda da fortuna anda mais do que a do moinho.

A roda da fortuna gira.

A roda da fortuna nunca uma.

A roda da fortuna tanto anda como desanda.

A roda pior do carro a que faz mais barulho.

rola e ao pardal no engana o temporal.

A rola geme, e palra o estorninho.

A rosa nasce no meio de espinhos.

A roupa faz o homem.

A roupa suja lava-se em casa.

A rua de todo o mundo.

A rua pblica.

A rua pertence a todos.

A ruim ao fica com quem a faz.

A ruim capelo, mau sacristo.

A ruim comprador, levar-lhe ruim brocado.

A ruim mato ides fazer lenha.

A ruim no h casa forte.

A ruim ovelha deita a perder o rebanho.

A ruim ovelha pe o rebanho a perder.

A ruim ovelha, a l se lhe pega.

A ruim ovelha, a l se lhe peja.

A ruim vizinha empresta a agulha sem linha.

A ruim, ruim e meio.

A s poltica filha da razo e da moral.

A salada bem salgada, pouco vinagre e bem azeitada. (A salada quer-se com vinagre deitado por um sumtico, azeite por um prdigo e mexida por um tolo.).

salada bem salgada, pouco vinagre, bem azeitada.

A salada quer-se com vinagre deitado por um somtico, azeite por um prdigo, e mexida por um tolo.

A salada quer-se temperada por um cego e mexida por um louco.

A salvo est quem repica o sino.

A salvo est quem repica.

Santa Maria, no lhe cantes viglia.

A santos que no conheo, no lhes rezo nem ofereo.

A santos que no conheo, nem rezo nem ofereo.

A sardinha de Abril v-la e deix-la ir.

A sardinha de S. Joo unta o po.

A sardinha mal guardada faz o ladro.

sade dos abades bebem os reitores.

A sade dos velhos mui remendada.

A sade o maior tesouro.

A sebe dura trs anos, o co trs sebes, o cavalo trs ces, o homem trs cavalos, o corvo trs homens, e o elefante trs corvos.

A segundo so os tempos, assim os tentos.

A segura fazenda com pacincia se ganha.

A senhor arteiro, servidor ronceiro.

A senhor de palha, vassalo de ao.

A seu salvo est o que repica os sinos.

A seu salvo est quem repica os sinos.

A seu tempo o rei perdoa.

A seu tempo se colhem as peras.

A seu tempo vm as uvas e as mas maduras.

A seu tempo vm as uvas, quando so maduras.

A silva sempre pica.

A simpatia d amigos, e o interesse, companheiros.

A simpatia faz nascer a amizade, a complacncia sustenta-a, a familiaridade mata-a.

A sobeja confiana faz desfalecer nas obras.

A soberba no quer dever, e o amor prprio no quer pagar.

A soberba, quanto mais sobe, tanto maior queda d.

A sociedade bem governada, quando os magistrados obedecem s leis, e os cidados aos magistrados.

A sogra e o furo s do lucro debaixo do cho.

A soldado novo, cavalo velho.

A solido para o esprito o que a dieta para o corpo.

sombra da nogueira no te deites a dormir.

A sombra de um homem vale mais que cem mulheres.

sombra do burro entra o co no moinho.

sombra do milheiro come o pardal.

A sombra passa, e a luz fica.

A sombra passa; a luz fica.

A sorte acaba um dia.

A sorte ajuda os audazes.

A sorte ajuda os loucos.

A sorte anda com os ces.

A sorte bate uma vez porta de cada pessoa.

A sorte de uns o azar de outros.

A sorte cega e faz cegos.

A sorte cega.

A sorte como um raio: nunca se sabe onde vai cair.

A sorte est lanada.

A sorte faz os parentes, e a escolha, os amigos.

A sorte protege os ousados.

A sorte quem d Deus.

A sorte quem d Deus; a vida o homem procura.

A sua casa traz o homem com que chore.

A tal ofensa, tal sentena.

A tal pergunta, tal resposta.

A tal porta, tal talho.

A tal trabalho, tal salrio.

A talhada para quem a come.

A talhada no garfo dos outros parece melhor.

A tardana arrecada o bem dobrado.

A tardana em toda coisa nojosa.

A teia no tear, o galo a cantar, a chamin a fumegar, deixa o co a ladrar.

tela urdida Deus manda o fio.

A tempo o ferro mezinha.

A tenda pr tendeiro.

A tenda quere-se com quem a entenda.

A tentao nasce da ocasio.

tera-feira, no cases a filha, no urdas a teia, nem partas em navio para terra alheia.

A terra cobre o erro dos mdicos.

A terra come muita coisa boa.

A terra cria boas ervas e ms.

A terra cria ervas boas e ms.

A terra lhe seja leve, com o Po de Acar por cima.

A terra no seno um ponto no universo.

terra onde fores ter fars como vires fazer.

terra onde fores ter, fars como vires fazer.

terra onde fores ter, faze como vires fazer.

terra onde fores ter, faze o que vires fazer.

A terra, assim como cria o bom, cria o mau.

A terra, posto que frtil, se no descansa, faz-se estril.

A tesoura do caldeireiro no corta pano e corta ferro.

A teu advogado e a teu abade sempre dize verdade.

A teu amigo d galinha gorda de ps amarelos.

A teu amigo dize mentira; se te guardar puridade, dize-lhe a verdade.

A teu amigo no encubras teu segredo, que dars causa a perd-lo.

A teu amigo, dize-lhe mentira; se te guardar verdade, dize-lhe puridade.

A teu amigo, ganha-lhe um jogo e bebe-o logo.

A teu amigo, se te guardar puridade, dize-lhe a verdade.

A teu criado farta-o bem e v-lo-s calado.

A teu criado, farta-o bem, e v-lo-s calado.

A teu filho e a teu amigo, po e castigo.

A teu filho, bom nome e bom ofcio.

A teu filho, po e castigo.

A teu rei no ofendas, nem lances em suas rendas.

A teu rei nunca ofendas, nem lances em suas rendas.

A ti digo, filha; entende-me tu, nora.

A ti o digo eu filha, entende-me tu nora.

A ti o digo filha, entende-o tu nora.

A todo direito corresponde um dever.

A todos sobeja nas coisas alheias o conselho que nas prprias falta.

A toque de caixa.

A torto e a direito, nossa casa at o teto.

A torto e a direito.

A torto ou a direito, minha casa at o teto.

A torto ou a direito, nossa casa at o teto.

A touro morto grande lanada.

A traidor, traidor e meio.

A trancos e barrancos.

A trindade Deus amou.

A tristeza aperta o corao.

A tristeza com esperana agua o entendimento, e a desesperada consome-o.

A tristeza corrompe a natureza.

A tristeza passada redobra a alegria presente.

A triz matou quem quis.

A truta e a mentira, quanto maior melhor.

A truta e a mentira, quanto maior, melhor.

A truta e a mentira, quanto maior, tanto melhor.

A tu por tu, como na taverna.

A tua batata est assando.

tua mesa e alheia no te sentars com a bexiga cheia.

tua mesa, nem alheia, no te assentes com a bexiga cheia.

A tudo chega quem ama.

A tudo se pode atrever, quem tudo sabe sofrer.

A tudo vence o amor.

A ltima das vaidades do homem o epitfio.

A ltima gota d?gua faz transbordar o copo.

A ltima gota transborda o copo.

A ltima palha matou o burro.

A um co danado, todos a ele.

A um engano, outro engano.

A um falso, dois traidores.

A um ruim, ruim e meio.

A um tempo assoprar e sorver, no pode ser.

A um traidor, dois aleivosos.

A um tredo, dois aleivosos.

A um tredor, dois aleivosos.

A uma boca, uma sopa.

A unhas e dentes.

A unio faz a fora.

A nica coisa que se deve dar de graa bom-dia.

A uns morrem as vacas; a outros parem os bois.

A uns pago, a outros dou o dinheiro.

A uns parem as vacas, e a outros parem os bois.

A uns parem os bois, a outros morrem os bezerros.

A uns parem os bois; a outros morrem as vacas.

A v esperana engana o homem.

A vaca bem cozida e mal assada.

A vaca do pobre quando h-de parir morre.

A vaca foi para o brejo.

A vaca que no come com os bois, ou comeu antes, ou comer depois.

A vaca, bem cozida e mal assada.

A vaidade do enfeite uma verdadeira maldio.

A vaidade do rico o recurso do pobre.

A vaidade fora-nos a fazer mais coisas contra nossa vontade do que a razo.

A vantagem de quem sabe, est na ignorncia de quem no sabe.

A variedade deleita.

A variedade deleita: nem sempre galinha, nem sempre rainha.

A variedade fonte que mata a sede.

A velha com a cana muito anda.

A velha e a cortia curadas se querem.

A velhaco, velhaco e meio.

A velhice descobre os erros da mocidade.

A velhice mal desejada.

A velhice segunda meninice.

A velhice um pesado fardo.

A velhice um pesado nus.

A velhice uma eterna doena.

A velhice uma segunda meninice.

A velhice faz o homem prudente.

A velhice imprime mais rugas no esprito que no rosto.

A velhice mesma uma doena.

A velhice no est nos anos.

A velhice no presta, mas todos a querem.

A velhice no tem cura.

A velhice nunca vem s.

A velho recm-casado, rezar-lhe por finado.

A ventre farto o mel amarga.

A ventre farto, o mel amarga.

A ventura maior a que menos dura.

A ventura no vence o merecimento entre sabedores.

A ventura pouco dura.

A ventura que se realiza deixa de o ser.

A ventura, no a tem quem no a busca.

A ver vamos, como diz o cego.

A verdade amarga, e a mentira doce.

A verdade amarga.

A verdade amarga; a mentira doce.

A verdade anda na herdade.

A verdade bem se v.

A verdade com o tempo se descobre.

A verdade da boca do mau deve tomar-se com salva.

A verdade da boca do mau deve-se tomar com salva.

A verdade d estima, e a mentira, privana.

A verdade dispensa enfeites.

A verdade di.

A verdade amarga.

A verdade apanhar.

A verdade clara; a mentira, sombra.

A verdade como o azeite: vem sempre tona.

A verdade como o azeite: vem sempre ao lume d'gua.

A verdade dura nos vcios e doce nas adversidades.

A verdade fcil de entender-se.

A verdade falar claro.

A verdade filha de Deus.

A verdade filha do tempo.

A verdade manca, mas chega sempre a tempo.

A verdade e o azeite andam tona d'gua.

A verdade e o azeite andam de cima.

A verdade e o azeite andam sempre ao de cima.

A verdade e o azeite biam sobre a falsidade.

A verdade e o azeite sempre biam acima d'gua.

A verdade est no fundo do poo.

A verdade est no vinho.

A verdade jaz no fundo do poo.

A verdade logo vai por diante.

A verdade manda Deus que se diga.

A verdade no quer enfeites.

A verdade no se pode esconder, por mais que a encubram.

A verdade no sofre dissimulao.

A verdade no sofre dissimulaes.

A verdade no sofre estar muito tempo encoberta.

A verdade no tem ps e anda.

A verdade pode ser combatida, mas no vencida.

A verdade por si se descobre.

A verdade provoca dio.

A verdade sai da boca das crianas.

A verdade sempre aparece.

A verdade sempre vem tona.

A verdade tem asas.

A verdade tem vergonha de estar escondida.

A verdade tudo vence.

A verdade vem sempre ao lume da gua.

A verdade vence.

A verdade, ainda que amarga, se traga.

A verdade, deixe-ma Deus dizer.

A verdade, Deus a amou.

A verdadeira afeio na longa ausncia se prova.

A verdadeira amizade dura uma eternidade.

A verdadeira beneficncia dos governantes a justia.

A verdadeira coragem tem sempre algum recurso.

A verdadeira igualdade existe no tmulo, e no existe seno l.

A verdadeira sapincia destri a falsa.

A vergonha de si prprio o maior suplcio da vida.

A vergonha freio das culpas e a verdade das desordens do mundo.

A vergonha est no crime, no na pena.

A vergonha est no crime, no no arrependimento.

A vergonha revela os remorsos que se pretende ocultar.

A viagem mais rpida quando se tem boa companhia.

A vida a quem no pesa, no cansa.

A vida de um velho parece-se com a chama de uma vela numa corrente de ar.

A vida do corteso uma contnua escravido.

A vida e a confiana s se perdem uma vez.

A vida ao; a inatividade morte.

A vida cheia de altos e baixos.

A vida como cebola: descasca-se chorando.

A vida curta, a arte longa.

A vida prazer de quem no tem saber.

A vida ruim, mas ningum quer morrer.

A vida sonho.

A vida um mistrio de que a f tem o segredo.

A vida um sono de que a morte nos desperta.

A vida uma escola: enquanto vivemos, aprendemos.

A vida uma eterna luta.

A vida uma luz ao vento.

A vida uma seta que voa.

A vida uma sombra que passa.

A vida empregada em diversos negcios no segura em nenhum.

A vida humana, sem religio, viagem sem roteiro, navegao sem bssola.

A vida infeliz com a bem afortunada o sono iguala.

A vida logo acaba, mas a fama sempre dura.

A vida mal passada faz a velhice pesada.

A vida melhor do mundo a dos outros.

A vida no s prazer.

A vida no um dom, um emprstimo.

A vida nossa est nas mos de Deus.

A vida passada faz a velhice pesada.

A vida regrada, vida prolongada.

A vida so dois dias.

A vida sem cincia tanque sem gua.

A vida s boa com vinho, mulher e msica.

A vida tem altos e baixos.

A vida tem uma porta s; a morte tem cem.

A vingana abranda a dor.

A vingana do sbio desatendido ou maltratado o silncio.

A vingana doce, mas seus frutos so amargos.

A vingana doce.

A vingana o prazer dos deuses.

A vingana prato que se come frio.

A vingana um prato que se come frio.

A vingana se come fria.

A vingana sempre tarda, e m de tomar de quem se guarda.

A vinha, escave-a quem quiser, pode-a quem souber, e cave-a seu dono.

A vinha, onde pique, e a horta, onde regue.

A vinte de janeiro, So Sebastio primeiro.

A viola quer-se na mo do tocador.

A violncia no faz obra duradoura.

A virtude ama-se dos bons.

A virtude d nobreza, e no opinies de honrado sou eu.

virtude e ao saber a morte d estima.

A virtude feliz na sua desgraa; o vcio, infeliz na sua ventura.

A virtude gro tesouro, mais durvel que fino ouro.

A virtude uma guerra perene por amor de ns mesmos.

A virtude enverdece com a ferida.

A virtude est no meio.

A virtude falsa inimiga da sincera.

A virtude louvada vive e cresce.

A virtude no iria to longe, se a vaidade no lhe fizesse companhia.

A virtude no seria virtude, se no nos custasse esforo.

A virtude nunca perdeu, e o vcio sempre penou.

A virtude ofendida desagrava perdoando.

A virtude remoa os velhos; o vcio envelhece os moos.

A virtude tem muitos pregadores, mas poucos mrtires.

A virtude, quando padece, vence.

A vista do dono aduba o campo.

A vista do dono aduba os campos.

A vista do dono engorda o cavalo.

A vista faz f.

A vitria verdadeira saber ter justia.

A viva com o luto, e a moa com o moo.

A viva rica casada fica.

A viva rica com um olho chora e com o outro repica.

A volta que faz o anzol.

A vontade de comer faz a velha correr.

A vontade do cidado livre.

A vontade do rei tem fora de lei.

A vontade faz o pecado.

A vontade pronta tudo faz fcil.

A vontade sbita madrasta da justia.

A vontade tudo facilita.

voz de el-rei no h coisa forte.

A voz do povo a voz de Deus.

A voz do sangue grita alto.

A zombaria, deix-la quando mais agrada.

A(o) bom ou mau comer, trs vezes beber.

Aa receber todos vo a correr, a pagar devagar.

Abade, onde canta, a janta.

Abafou-me na almotolia, de noite, a candeia.

Abaixam-se as cadeiras, levantam-se as tripeas.

Abaixam-se os muros, levantam-se os monturos.

Abaixo da cama se quebram as pernas.

Abala, pastor, com as espaldas ao sol.

Abalaram-se os montes e pariram um murganho.

Abalaram-se os montes e pariram um ratinho.

Abana a cauda o co, no por ti, mas pelo po.

Abana-se o co, no por ti, mas pelo po.

Abarcar o mundo com as pernas.

Abater a crista a algum.

Abelha, ovelha, pena atrs da orelha e parte na igreja, desejava para seu filho a velha.

Abelha-mestra no tem sesta, e, se a tem, pouca e depressa.

Abelhas e ovelhas tm suas defesas.

Abenoada a desgraa que vem s.

Aberta para Castela: chuva como terra.

Abismo chama abismo.

Abbora gua.

Aborrece-me como co morto.

Aborreci ao cogombro, caiu-me no ombro.

Abotoar o palet.

Abraou-se o asno com a amendoeira, e acharam-se parentes.

Abre a tua bolsa, abrirei a minha boca.

Abre o olho que assam carne.

Abre o olho, que assam carne.

Abre o olho, que te assam a carne.

Abre o poo antes que tenhas sede.

Abre um olho para vender e dois para comprar.

Abre-se um olho para vender e dois para comprar.

Abril guas mil, coadas por um mandril.

Abril frio e molhado enche o celeiro e farta o gado.

Abril frio: po e vinho.

Abril molhado, ano abastado.

Abril: guas mil, quantas mais puderem vir.

Abrir a alma ambio fech-la ao sossego.

Abrir um buraco para tapar outro.

Absurdo responde ao absurdo.

Abunda a malcia, onde falta polcia.

Abundncia cria arrogncia.

Abundncia de bens licena de males.

Abundncia de lei no desfaz lei.

Abundncia gera fastio.

Acabada a festa, desarma-se o trono.

Acabada a vindima, lavam-se os cestos.

Acabado de passar, acabado de esquecer.

Acabado e concludo.

Acabar a festa, tomar o panete.

Acaba-se a amizade, quando comea a familiaridade.

Acaba-se a prudncia, quando acaba a pacincia.

Acaba-se o dia, acaba-se a romaria.

Acaba-se o haver, fica o saber.

Acabou a galinha, acabou o resguardo.

Acabou-se a festa, tomai o fole.

Acabou-se a festa, tomai o panete.

Acabou-se o dia, acabou-se a romaria.

Acabou-se o que era doce.

Aafro no para boi.

Acalenta a serpente, que ela te arrancar o olho.

Acalenta a serpente, que ela te dar o pago.

Acaricia um co, que te sujar a roupa.

Acau cantou, inverno chegou.

Acautela-te de quem te lisonjeia.

Aceita o bem, conforme vem.

Aceita, sem receio, azeite de cima, mel do fundo, vinho do meio.

Aceitar um benefcio vender a liberdade.

Acenai ao discreto, dai-o por feito.

Acender uma vela a Deus e outra ao diabo.

Acendes uma vela a deus e outra ao diabo.

Acerta quem casa.

Acha o ladro que todos o so.

Achado no roubado.

Achaque tem o odre que sabe a pez.

Achaques sexta-feira para no jejuar.

Achaques tem o odre que sabe a pez.

Achaques, sexta-feira, pelo no jejuar.

Achar e guardar furtar.

Achar forma para o seu p.

Achar o princpio em tudo difcil.

Achar-se em quarto-minguante a respeito de cobres.

Achou a velha um ceitil.

Achou o cego um dinheiro.

Achou Pedro o seu cajado.

Ao que no serve, enferruja.

Aoite, grande mezinha .

Aoite, grande mezinha.

Acolhi o rato no meu buraco.

Acometa quem quiser, que o forte espera.

Acometer para vencer.

Acomodar o p ao sapato, e no o sapato ao p.

Acompanha com os bons que sers como eles,acompanha com os maus que sers pior que eles.

Acontea o que acontecer.

Aor e falco, na mo.

Acordar o co que dorme.

Acordar o co que est dormindo.

Acordar o co que jaz dormindo.

Acordou a preguiosa e deitou o fogo casa.

Acordou a preguiosa e deitou o fogo roca.

Acordou o preguioso e ps fogo casa.

Acostume-se cada um sua sorte, no se queixar dela.

Acudam cela parada e outeiro que arde o centro da relegio do mundo inteiro.

Acudi-me, cachopas, que j tenho botas.

Ado vivia no paraso porque no tinha sogra.

Adeus, Anica, se o teu galo canta, o meu repenica.

Adeus, minhas encomendas.

Adiante cego l vai o caminho.

Adiar at o dia de So Nunca, tarde.

Adivinha quem te deu.

Adivinhar bom, mas saber ainda melhor.

Adivinhar errar.

Adivinhar proibido.

Adivinhar, adivinhar, tome o demo quem no acertar.

Adoram-se os altares por causa dos santos.

<<< operone >>>


DEUTSCH
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79


ENGLISCH
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20


FRANZÖSISCH
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49


ITALIENISCH
1 2 3 4


LATEINISCH
1 2 3 4


PORTUGIESISCH
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20


SPANISCH
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10