• DICTUM
    em

  • Em Abril abre a porta à vaca e deixa-a ir.
  • Em Abril águas mil coadas por um funil.
  • Em Abril águas mil, canta o carro e o carril.
  • Em Abril águas mil.
  • Em Abril cada pulga dá mil.
  • Em Abril carrega a velha o carro e o carril.
  • Em Abril guarda o gado e vai onde tens de ir.
  • Em Abril vai a velha onde tem de ir, a sua casa vem dormir.
  • Em Agosto aguilhoa o preguiçoso e sê cuidadoso.
  • Em Agosto apanha macela, que livra da botica o uso dela.
  • Em Agosto dá o sol pelo rosto.
  • Em Agosto deve o milho ferver o carolo.
  • Em Agosto secam os montes, em Setembro as fontes e o Outubro seca tudo.
  • Em Agosto secam os montes, em Setembro as fontes.
  • Em Agosto, suor no rosto.
  • Em Agosto, toda a fruta tem gosto.
  • Em Agosto, toda a fruta tem seu gosto.
  • Em amores, bolsa aberta.
  • Em ano chuvoso, o diligente é preguiçoso.
  • Em ano de fome, não há ruim pão.
  • Em ano geado há pão dobrado.
  • Em boca fechada não entra mosca.
  • Em briga de irmãos não metas as mãos.
  • Em caminho francês, vende-se gato pela rês.
  • Em casa cheia, depressa se faz a ceia.
  • Em casa de doente, o lugar não se aquente.
  • Em casa de ferreiro, espeto de pau.
  • Em casa de homem honrado, carne gorda, pão delgado.
  • Em casa de letrado, nunca faltam razões.
  • Em casa de mouro não fales algarvia.
  • Em casa de mulher rica, ela manda e ela grita.
  • Em casa de viúvo a limpeza deixa muito a desejar.
  • Em casa do Gonçalo mais manda a galinha que o galo.
  • Em casa do ti Gonçalo quem manda é a galinha, não é o galo.
  • Em caso de necessidade, casa a freira com o frade.
  • Em cima do leite, nada lhe deite.
  • Em Dezembro treme o frio em cada membro.
  • Em dia de festa, barriga atesta.
  • Em dia de S. José, come-se, bebe-se e bate-se o pé.
  • Em dia de S. Lourenço, vai à vinha e enche o lenço.
  • Em dia de S. Tiago, vai à vinha e acharás bago.
  • Em dia de Santa Luzia, cresce a noite e mingua o dia.
  • Em Fevereiro chuva, em Agosto uva.
  • Em Fevereiro neve e frio, é de esperar ardor no estio.
  • Em França como francês, em Roma como romano.
  • Em frente da arca aberta, o justo peca.
  • Em homem deitado não se bate.
  • Em homem deitado não se dá.
  • Em Janeiro sobe o outeiro, se vires verdejar, põe-te a chorar, se vires torrear põe-te a cantar.
  • Em Janeiro, sete casacos e um sombreiro.
  • Em Janeiro, têm os dias um saltinho de carneiro.
  • Em Janeiro, um porco ao sol, outro no fumeiro.
  • Em Janeiro, um salto de carneiro.
  • Em Julho abafadiço, fica a abelha no cortiço.
  • Em Julho ceifo o trigo e o debulho, e em o vento soprando o vou limpando.
  • Em Julho reina o gorgulho.
  • Em Julho, ao quinto dia verás que mês terás.
  • Em Junho, ainda a velha esfrega o punho.
  • Em Junho, foicinha no punho.
  • Em longa geração, há conde e há ladrão.
  • Em louvor de Santa Marta quem o quiser que o parta.
  • Em lugar para dois, não cabem três.
  • Em má inclinação, não pode haver bom saber.
  • Em Maio, come-se a cereja ao borralho.
  • Em Maio, comem-se as cerejas ao borralho.
  • Em Março, chove cada dia um pedaço.
  • Em Março, o sol rega e a chuva queima.
  • Em Março, tanto durmo como faço.
  • Em matéria de ofender, antes réu que autor ser.
  • Em mesa redonda não há cabeceira.
  • Em mouro morto, grande lançada. .
  • Em muralha cadente não se apoia o prudente.
  • Em Outubro manda o boi para o palheiro e o barco para o muro.
  • Em Outubro pega tudo e recolhe tudo.
  • Em Outubro pega tudo.
  • Em Outubro semeia e cria, terás alegria.
  • Em Outubro, centeio ruivo.
  • Em rio que tem piranha, jacaré nada de costas.
  • Em Roma, sê romano.
  • Em Setembro ardem montes e secam as fontes.
  • Em Setembro, lavra, semeia e colhe que é mês para tudo.
  • Em Setembro, ou secam as fontes ou alargam açudes e pontes.
  • Em Setembro, planta, colhe e cava, que é mês para tudo.
  • Em Sevilha o fizeste, em Sevilha o pagaste.
  • Em sua casa cada um é rei.
  • Em sull nêge Jahr vom Dod dreme.
    i] Eine so derbe Maulschelle (Ohrfeige, Mutzkopf) soll er erhalten.
  • Em tardes de Março recolhe o teu gado.
  • Em tempo de figos, não há amigos.
  • Em tempo de guerra, não se limpam armas.
  • Em tempos de cuco, de manhã molhado, à tarde enxuto.
  • Em terra de cegos, quem tem um olho é rei.
  • Em terra de lobos, uiva-se com eles.
  • Em terra de mouros, cristão é mouro.
  • Em terra ruim, não se gaste boa semente.
  • Em tua casa não tens sardinha e na alheia pedes galinha.
  • Em velha gamela também se faz boa sopa.
  • Emancipatio.
  • Embora Deus saiba trabalhar muito bem, quer que o ajudes.
  • Emenda em ti o que te desagrada em mim.
  • Emendare.
  • <<< list home >>>